Na manhã de quinta-feira (6), a revista Newsweek publicou uma extensa reportagem para contar a história de Dorian Prentice Satoshi Nakamoto, um imigrante japonês de 64 anos que mora na Califórnia e supostamente seria o homem por trás da criação do Bitcoin. Poucas horas após a enorme repercussão da matéria, Nakamoto deu uma entrevista para a agência de notícias Associated Press para afirmar que não, ele não inventou o Bitcoin.

"Peer-to-peer pode ser qualquer coisa. Mas que diabos é isso? Não faz sentido para mim" — O homem apontado como o suposto criador do Bitcoin

“Peer-to-peer pode ser qualquer coisa. Mas que diabos é isso? Não faz sentido para mim” — O homem apontado como o suposto criador do Bitcoin

A repórter da Newsweek afirma ter ido até a casa de Nakamoto para tentar uma entrevista frente a frente após um papo por email sobre trens ter fluido bem. Ao chegar lá, Nakamoto se recusou a comentar o assunto e chamou a polícia. Quando os policiais vieram, ele fez uma breve declaração: “Eu não estou mais envolvido nisso e não posso mais discutir sobre isso”. Ou seja, Nakamoto praticamente confessou que, em algum passado, estava envolvido com o Bitcoin, certo?

Talvez não: na entrevista para a Associated Press, Nakamoto afirmou que sua declaração foi mal entendida. Na verdade, ele queria dizer que não estava mais envolvido com um trabalho. “Estou dizendo que não estou mais na engenharia. Isso é tudo. E mesmo se eu estivesse, quando somos contratados, você precisa assinar um contrato dizendo que não vai revelar nada durante e após o emprego. Então isso é o que eu insinuava”.

Toda a confusão provavelmente se deve ao fato de que Dorian Prentice Satoshi Nakamoto nasceu no Japão, foi para os Estados Unidos em 1959 ainda criança e fala tanto inglês quanto japonês, mas seu inglês não é perfeito. A Associated Press diz que, durante a entrevista, Nakamoto várias vezes se referiu ao Bitcoin como uma empresa (mas nós sabemos que se trata de uma moeda virtual) e pronunciou o termo como “bitcom”.

Mas por que ele faria tanto mistério a respeito de trabalhos anteriores? Porque algumas de suas funções eram realmente confidenciais: ele havia trabalhado na companhia aeroespacial de defesa Hughes Aircraft por volta de 1973 e projetou sistemas de mísseis para a Marinha e as Forças Armadas dos Estados Unidos; por volta de 1999, Nakamoto começou a trabalhar para a Administração Federal de Aviação, mas foi mandado embora após os ataques de 11 de setembro.

Nakamoto ainda afirmou que nunca tinha ouvido falar de Bitcoin antes de ser contatado pela repórter da Newsweek, há três semanas, e que havia trabalhado com software por cerca de quatro anos, a partir de 1987, inclusive com um projeto para o Citibank. Quando foi perguntado se seria tecnicamente capaz de criar o Bitcoin, Nakamoto afirmou que sim, mas que “qualquer programador poderia fazer isso”.

Ou seja, é provável Dorian Prentice Satoshi Nakamoto realmente não seja a pessoa por trás do Bitcoin. E talvez a pessoa (ou o grupo de pessoas) que criou a moeda nunca confirme isso.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Consultor Cristiano Alves
Eu nunca usei essa moeda, mas sua história e forma como ela funciona, o blockchain (nem sei se é assim que se escreve), me fascina muito! O criador realmente é um gênio.
Jc 8 **
Este japonês esta enganando todo mundo .é claro que foi ele o criador do Bitcoin ..o que estão tentando descobrir desse japa é uma forma de gerar bitcoins mais simplificada ..se revelar vai acabar com a moeda
Matheus Mattos
Quem já assistiu a esse episódio de The Good Wife já sabe como essa história termina... http://www.imdb.com/title/tt2148561/?ref_=fn_al_tt_ Aliás, impressionante a semelhança entre histórias, resta aguardar os próximos capítulos.
RamonGonz
esses reporteres sensacionalistas, que fazem de uma gota um oceano de maluquices são muito chatos! ô povinho!!
Vagner Alexandre Abreu
Diogo Ramos Gutierre Meu Deus eu que o digo. O que você não entendeu quando eu falei que "excelentes jornalistas ficam no pé de alguma prova ou suspeita até que ela se esvazie"? Como dito na matéria anterior, os jornalistas da Newsweek foram atrás de toda e qualquer prova mínima que resultasse no perfil deste cara. A culpa não é dos jornalistas, mas dos gerentes do Bitcoin, e provavelmente do próprio programador. Eu me coloco sim no lugar dele. Se eu me associo com alguém ou alguma situação da qual eu tenho o mínimo de ciência que isso possa acarretar em algo no futuro, tenho que admitir minha responsabilidade. Vide a lista de trabalhos que o mesmo fizera. Eu tenho meus podres, talvez você tenha os seus. Prefiro falar que sou falho do que esconder que erro. E você distorceu o que eu escrevi. Vou reescrever para deixar mais claro: "Não é "deixem o pobre do senhor viver". Fale isso sobre os banqueiros então, ou para os políticos corruptos, ou até mesmo para a população, que adora atacar os outros mas odeia quando lhe atacam." Ou se preocupe em fazer as suas coisas e que se dane as consequências do alheio perante a sociedade, ou preocupe-se com a sociedade e faça de forma harmoniosa e transparente ao próximo. Provavelmente nem você tem paz e sossego tamanha carga de impostos, e talvez até multas de trânsito ou um processo levado pelo governo. Estamos em um mundo regido por regras e moralidades conflitantes, e por necessidades egocêntricas. E todos vão se atacar para atender o "eu". Se for para o "pobre senhor ficar tranquilo", das duas uma: ou se proíbe o trabalho de investigação da imprensa, ou se transpareça mais trabalhos como este. Se existe confidencialidade em certas situações, principalmente as que ficam em torno de coisas comuns às sociedades, alguém vai tentar arrombar com um pé de cabra a trava da confidencialidade. Pense nisso.
Diogo Ramos Gutierre
Vagner Alexandre Abreu Se amanhã aparecer uma multidão na sua casa porquê acharam que você é uma pessoa que você não é, isso é compreensível por causa de como a sociedade é? Você acha justo ser confundido por alguém ter um nome parecido? Você tem problemas, esta confundindo um senhor que estão supondo sem nenhum argumentos com políticos corruptos, banqueiros.... Meu deus. Vou completar o seu argumento: "Como existem políticos corruptos, banqueiros, safados, ladrões... Ninguém pode ter paz e sossego." E antes que você fale sobre mim, sou totalmente contra o bitcoin. Agora este senhor não tem nada a ver com isso, ele não tem que arcar com os problemas desta "moeda virtual". Você esta dando os seus argumentos sem pensar neste senhor, sem se colocar no lugar dele, este é o seu problema. Você esta pensando em você e julgado ele como se posse um político corrupto. Que absurdo que eu acabo de ler, meu deus.
Vagner Alexandre Abreu
Cara, estamos em uma sociedade. Se você se envolve em certas situações, o risco de você continuar no meio desta situação, direta ou indiretamente, é gigante. Não é "deixem o pobre do senhor viver". Fale isso sobre os banqueiros então, ou para os políticos corruptos, ou até mesmo para a população, que adora atacar os outros mas odeia quando lhe atacam. Basta analisar alguns fatores que fizeram a situação chegar a isso: - Quando criaram o Bitcoin, divulgaram (alguém divuglou) o nome deste cara, pensando que só porque é um nome japonês, ninguém ia atrás. Se assistiu alguma vez na vida o filme "Todos os homens do presidente", vai se ater ao fato que excelentes jornalistas ficam no pé de alguma prova ou suspeita até que ela se esvazie. "Satoshi Nakamoto" para muitos poderia ser um jogo de palavras, já disseram. No final, descobriram que era verdade, que existia e que poderia ser essa pessoa. - Se existe um contrato de confidencialidade, como ele dissera, então quem quebrou este contrato fora quem divulgou o nome deste cara. Ponto. Cabe agora ao Satoshi mandar um processo gigante a quem tinha divulgado na primeira vez o nome dele. - Se está envolto em alguma situação que possa prejudicar alguém ou alguns, provavelmente alguém vai atrás de seu pescoço, custe o que custar. O Bitcoin resultou em uma situação de especulação que prejudicou muitos e satisfez outros. Alguma hora alguém ia atras de explicações, já que parece que o pessoal do Bitcoin não parece tão transparente quanto se coloca. Se existe alguma coisa que se diga transparente, que ela seja TOTALMENTE transparente. Esse é o mal do Bitcoin e é por isso que peguei sina disso: esconder quem criou, ou algumas coisas relacionadas ao nascimento do sistema resultou nisso. Um sistema de "moedas virtuais" que se diz seguro, mas que muitas pessoas estão perdendo com a insegurança de quem os gerencia. Não é lá algo muito legal.
Diogo Ramos Gutierre
Deixem o pobre do senhor viver. Coitado, da pra ver que é uma pessoa que presa muito pela privacidade, reclusa e dai do nada e sem motivos tem que passar por isso. Imagina o susto que de repente este senhor passou, várias pessoas na porta da casa dele do nada por causa de uma moeda virtual.