A OpenSignal publicou nesta semana um relatório que dá um interessante panorama da adoção do Android no mundo todo. A constatação mais chamativa mostra que, atualmente, há quase 19 mil modelos de aparelhos baseados na plataforma. Este número gigantesco talvez explique outra percepção: a de que o Android está mais fragmentado do que nunca.

Para chegar a estes números, a OpenSignal analisou estatísticas de uma base de 682 mil usuários (se não é suficiente para refletir a realidade, deve chegar próximo). A empresa é relativamente popular: seus aplicativos prometem ajudar o usuário a obter sempre o melhor sinal em redes 3G/4G e Wi-Fi.

Embora os rivais venham apresentando produtos mais interessantes nos últimos meses, a Samsung continua sendo a companhia mais forte no segmento: quase metade dos modelos Android ostentam a sua marca.

Samsung: 43% do mercado

Samsung: 43% do mercado

Em parte, este domínio se deve à estratégia de lançar uma variedade monstruosa de aparelhos para atender às mais diversas categorias, especialmente os segmentos de baixo e médio custo.

Smartphones topo de linha também registram forte presença: o Galaxy S3 aparece como o aparelho Android mais utilizado, seguido do Galaxy S4. Mas convém ressaltar que estas posições se baseiam no uso dos aplicativos da OpenSignal e podem não ser exatos.

Outro detalhe que chama atenção é a quantidade de dispositivos novos em relação ao relatório de 2013. Os números atuais mostram 18.769 modelos; no ano passado, esta quantidade foi de 11.868 aparelhos distintos.

O avanço acelerado de companhias chinesas como ZTE, Xiaomi e Huawei ajudam a explicar a enorme diferença de um ano para o outro. Se o ritmo se mantiver, poderemos esperar por discrepâncias maiores no relatório de 2015.

Se por um lado estes dados indicam o quão promissor é o mercado do Android, por outro, evidenciam a sua complexidade. A fragmentação de versões da plataforma é uma consequência da enorme variedade de modelos – para desespero de desenvolvedores e empresas que fornecem serviços móveis.

Fragmentação do Android: longe de terminar

Fragmentação do Android: cada vez maior

O Android 4.4 (Kit Kat) já possui boa fatia de participação, 20,9%. Mas o Android 4.1 (Jelly Bean) continua sendo a versão mais popular com 26,5%. Como comparação (talvez não muito justa), o iOS 7 já está presente em 91% dos dispositivos móveis da Apple.

O relatório completo com infográficos e correlação com a pesquisa de 2013 está disponível no site da OpenSignal.

Com informações: GigaOM

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Henry Nunes

10000 só da SAMSUNG. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Paulo
10000 só da SAMSUNG. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
João Silverado
Ainda bem, imagina se não funcionasse Henrique Dourado, que dor de cabeça seria!
mhenriquecd
sem contar que a diferença entre o Android 4.0 e o 4.4 é muito pouca quando o android muda muito eles mudam o primeiro numero os Android 2.x são diferentes dos ANdroid 4.x, mesmo assim aplciativos e jogos feitos na epoca do 2.x ainda funciona perfeitamente
Felipe Mesquita Ramos
Falar de fragmentação no Android sem citar como o Google Play Services age no sistema trazendo updates de APIs, segurança, erros, entre outros; em todas as versões é oportuno e não condiz com a realidade da plataforma. O Google ja usa essa estratégia a alguns anos e isso faz com que tanto os desenvolvedores quanto os usuários tenham quase todas as mesmas ferramentas atuais independente da versão do OS, o que cria uma facilidade muito maior de criar apps compatíveis com todos os celulares independente do tamanho da tela e hardware tranquilamente. Isso só não se aplica a China que não usa serviços do Google, o que causa muita dor de cabeça a desenvolvedores, mas a culpa é do governo chinês e o Google não pode fazer muito ja que o Android em si é open source e qualquer um pode fazer o que quiser com ele.