Início » Internet » Google deixará de exibir fotos de autores nas buscas

Google deixará de exibir fotos de autores nas buscas

Decisão colabora com os rumores de que a empresa está perdendo interesse pelo Google+.

Emerson Alecrim Por

Enquanto estávamos de olhos bem atentos às novidades do primeiro dia do I/O 2014, um analista do Google discretamente soltou um comunicado que, a princípio, parece pouco importante, mas que reforça os recentes indícios de que a empresa está dando menos prioridade a aspectos sociais: as páginas de resultado do buscador não exibirão mais fotos de autores em determinados links.

Chamado de Google Authorship, o recurso existe desde 2012 e faz parte de uma tentativa de “humanizar” os resultados das buscas: a foto do autor é acompanhada de seu respectivo link no Google+; na visão da empresa, estas informações ajudariam a tornar os resultados mais confiáveis ao deixar claro quem está por trás do conteúdo da página.

Havia também a ideia de que a foto do autor ajudaria a destacar seu respectivo link nos resultados, mas, de acordo com John Mueller, o analista que deu a notícia, o Google constatou que a média de cliques nas páginas com Authorship pouco ou em nada aumentou – na verdade, testes teriam indicado que a remoção das fotos melhorou estes índices.

Fotos como essas aí deverão sumir dos resultados do Google

Fotos como essas aí deverão sumir dos resultados do Google

Agora, a companhia alega que a eliminação das tais fotos diz respeito ao seu esforço para deixar os resultados com visual mais limpo, especialmente nas buscas móveis. A mudança começa a valer a partir de hoje, embora deva demorar alguns dias para afetar todas as pesquisas.

Apesar desta decisão, o Google Authorship continuará existindo, só que de maneira mais discreta: saem a foto do autor e o número que informa a sua quantidade de círculos no Google+, mas o nome da pessoa permanecerá aparecendo nos resultados com um link para o seu perfil na rede social.

É uma decisão que causa certo espanto, mas não tanto pelo Google Authorship em si: apesar de o Google ter promovido fortemente a ideia, o recurso não é obrigatório e exige que o autor interessado realize alguns procedimentos para ativá-lo. Na prática, a sua modificação não afeta a qualidade das buscas e é isso o que importa.

A surpresa vem mais da relação do Authorship com o Google+. Ainda que o Google nunca tenha reconhecido, desde o início houve a impressão de que a ideia é uma maneira indireta de promover a rede social, seja pela adesão de pessoas com potencial de influência na web, seja pela interação oriunda do clique nas fotos – se você admira o trabalho do autor, talvez se sinta motivado a adicioná-lo aos seus círculos.

Assim, a decisão corrobora com os rumores de que o Google não trata mais o Google+ com prioridade que tomaram forma depois que Vic Gundotra, principal mente por trás do serviço, saiu da companhia.

Outro forte indício veio do Google I/O: na apresentação de ontem, as atenções ficaram voltadas quase que exclusivamente no universo do Android; praticamente não houve menção ao Google+.

Mas também não convém encarar a decisão como o prenúncio do fim da rede social. Se o fosse, seria uma grande ironia John Mueller noticiar as mudanças justamente pelo serviço.

Com informações: Search Engine Land

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lucas Carvalho da Silva
Eu fiquei meio perdido nesse parágrafo: "Assim, a decisão corrobora com os rumores..." "...Principal mente..." Mas eu reli e deu pra entender.
Lucas Carvalho da Silva
Eu fiquei meio perdido nesse parágrafo: "Assim, a decisão corrobora com os rumores..." "...Principal mente..." Mas eu reli e deu pra entender.
Pedro Maich
Ninguém confia em que ta no Google+, nem mesmo pra recomendar links em pesquisa heheheh
William Bannach
Também, com essa foto de vocês nunca vão conseguir mais cliques mesmo =/ *JK*
Thiago Oliveira Santos
Acho que se algo é descontinuado é proque não teve adesão e o resultado esperado. Manter legado é uma coisa boa mas é uma barreira para a inovação, por isso é sempre bom ponderar quando matar ou não algum serviço ou aplicação. A meu ver eles não matariam algo que está "bombando", no máximo enterrariam algo que morreu sozinho
Vitor Mendrone
Lucas Corrêa O problema é que muitas vezes você acaba trabalhando em cima desses recursos, trabalhando em formas de seu sistema facilitar para os usuários a publicação desse tipo de coisa e é trabalho, tempo e dinheiro jogado fora. (Sem contar o auê que eles fizeram sobre as vantagens disso no SEO). Minha afirmação de não confiar em serviços foi ligada as APIs, aplicações, etc, que o Google cria e descontinua todo mês. Esse ai é o menor dos exemplos cara, mas sou um grande fã do Google como um todo.
Lucas Corrêa
Essa revolta é por uma foto?
Lucas Corrêa
Essa revolta é por uma foto?
Vitor Mendrone
O Google as vezes torna a vida de desenvolvedores tão difícil que seria bom viver em um mundo que não dependesse dos serviços deles... Não da pra confiar em serviço nenhum!
Lucas Corrêa
É nessas horas que se percebe que nem sempre qualidade conta. O Google+ é muito bom, mas sua baixa adesão dificulta muito o acesso, como utilizar uma rede social sem seus contatos?