Início » Legislação » Ministério Público do Trabalho processa Samsung em R$ 250 milhões por más condições de trabalho em fábrica de Manaus

Ministério Público do Trabalho processa Samsung em R$ 250 milhões por más condições de trabalho em fábrica de Manaus

Emerson Alecrim Por

Mais uma acusação de más condições de trabalho envolvendo uma companhia de eletrônicos está ganhando repercussão internacional. Só que, desta vez, a fábrica denunciada não está na China, mas bem perto de nós: trata-se de uma unidade da Samsung na Zona Franca de Manaus responsável pela montagem de produtos como smartphones e televisores.

A informação vem do Repórter Brasil, veículo especializado em tratar de questões trabalhistas. De acordo com o site, o Ministério Público do Trabalho (MPT) entrou com uma ação judicial contra a companhia sul-coreana na semana passada em que pede pelo menos 250 milhões de reais como indenização por danos morais coletivos.

De acordo com o processo, os problemas encontrados ali começam no ritmo intenso de produção. O documento menciona, por exemplo, que uma embalagem contendo um telefone celular, fones de ouvido, carregador de bateria e manuais deve ser preparado pelo funcionário em apenas seis segundos.

De modo geral, a montagem de um smartphone nesta fábrica leva cerca de 85 segundos, enquanto que um aparelho de ar-condicionado fica pronto em menos de dois minutos. Isso é possível porque o produto a ser montado passa por dezenas de funcionários, cada um com uma função específica. Caso um atrase, toda a linha de produção é afetada, o que dá ideia do nível de exigência que deve existir ali.

O ritmo intenso de trabalho e as tarefas repetitivas por si só já podem causar problemas de saúde aos funcionários, mas este aspecto se agrava porque, de acordo com o MPT, a fábrica apresenta também falhas relacionadas à saúde ocupacional, como mesas com altura inadequadas e falta de cadeiras para descanso.

Como se não bastasse, o MPT encontrou indícios de outras irregularidades, como jornadas de trabalho excessivas, que superam 15 horas diárias, e funcionários que trabalham cerca de 10 horas por dia em pé com pausas para descanso insuficientes.

Linha de produção da Samsung em Manaus (fonte: Agência de Comunicações do Governo do Estado do Amazonas)

Linha de produção da Samsung em Manaus

A quantidade de pedidos de afastamento por problemas de saúde pesa mais ainda contra a Samsung. Somente em 2012, foram registrados 2.018 solicitações de licenças médicas de até 15 dias por problemas como tendinite, bursite e lombalgia. Se o sistema de trabalho não mudar, cerca de 20% dos funcionários da fábrica terão algum tipo de DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho) nos próximos cinco anos, estima o MPT.

Em resposta ao contato feito pelo Repórter Brasil, a Samsung declarou o seguinte sobre o problema: “assim que recebermos a notificação sobre este caso, realizaremos uma análise do processo e cooperaremos plenamente com as autoridades brasileiras. (…) Estamos comprometidos em oferecer aos nossos colaboradores ao redor do mundo um ambiente de trabalho que assegura os mais altos padrões da indústria em relação à segurança, saúde e bem-estar”.

Mesmo se considerada culpada, é difícil saber se a Justiça fará com que a Samsung pague mesmo 250 milhões de reais como indenização, sem contar que o processo pode levar anos. De qualquer forma, a ação já está tendo algum efeito se considerarmos que, além da repercussão no Brasil, o assunto está sendo noticiado em veículos de vários países, como informado no início do post.

Não é de se estranhar: de acordo com outra matéria do Repórter Brasil, representantes de ONGs internacionais acreditam que as condições de trabalho da fábrica são semelhantes às encontradas em unidades fabris chinesas. “Se a Samsung faz isso na China, vai tentar fazer em outros países também. Eles tentam se beneficiar das legislações trabalhistas que não são cumpridas”, explica Kevin Slaten, da ONG China Labour Watch.

Como se vê, o problema é mais grave do que aparenta.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Alex
Sim, mas os salários aqui são bem diferentes...
Molisb Zusgrulha
OUTRO ASPECTO A SER CONSIDERADO É O EFEITO DOMINÁ. OU SEJA: MESMO TENDO O EXCESSIVO CRITÉRIO DA BUSCA DE QUALIDADE OS PRODUTOS APRESENTAM DEFEITO, CONFORME ACONTECE NAS LOJAS DE MANUTENÇÃO EM VÁRIAS CIDADES BRASILEIRAS. NA VERDADE ESSAS LOJAS APRESENTAM MÉTODOS DE ESPERA BUROCRATIZADO, SEMELHANTEMENTE AOS BANCOS
seniram
As empresas Japonesas, Koreanas e Chinesas tem a mesma filosofia de trabalho e empregam está pratica em Manaus. Em eletrônicos, Motos e etc.
Maria Da Graça Fig
///NÃO VAMOS COMPRAR NADA SANSUNG NA MINHA FAMILIA ///ENQUANTO HOUVER TRABALHO MEDIDO EM SEGUNDOS!!!!GENTE 10 HORAS TRABALHANDO DE PÉ!!!!
Paulo Patto
Nossa querem criar uma filia da china aqui?
Rafael Parma
O que são alguns trabalhadores e uma imagem arranhada perto do MONEEEY?!!! (leia esta palavra como se fosse uma música do Pink Floyd...)
Allan Luiz
É uma pena que algumas empresas ainda adotem esse tipo de sistema. E antes que algum Applemaníaco venha fazer gracinhas, não se esqueçam que seus amados itrecos são montados em fábricas com condições piores que as da Samsung, chegando ao extremo de suicídios coletivos por parte dos funcionários. No final, isso não é bom pra ninguém, nem para os trabalhadores que são explorados e nem para as empresas que tem suas imagens arranhadas.
ajunior.analista
Olhe a primeira trabalhadora à esquerda. Ela está em pé com a cabeça baixa. A coitada deve chegar em casa todos os dias com dor no pescoço. #PodeNão