A gente sabe que até tem como jogar clássicos da Nintendo no seu dispositivo móvel, mas não de um jeito oficial. E, aparentemente, a empresa não tem a menor das intenções de levar seus títulos para smartphones e tablets tão cedo, apesar de ter feito “experimentos”.

Reggie Fils-Aime, presidente da Nintendo para a América, confirmou isso em uma entrevista. Perguntado do motivo pelo qual a Nintendo é tão resistente aos dispositivos móveis, ele afirmou que esse é um assunto que sempre é discutido na empresa, mas eles estão utilizando esses aparelhos com finalidades de marketing, que acabem levando os jogadores para o hardware da própria Nintendo.

Reggie diz que algumas tentativas têm sido feitas aproveitando funcionalidades dos smartphones e tablets para ter um pouquinho de gameplay (afinal, é uma empresa de jogos). Por exemplo, movendo ou chacoalhando o device.

É inevitável lembrar do controle do recente Angry Birds Go!, que pode ser dirigido só entortando o aparelho, e das semelhanças desse game com Mario Kart. Ou seja, é possível fazer isso, mas dificilmente a Nintendo levará o jogo de corrida do Mario para as lojas de aplicativos.

Mario Kart, chegando ao seu smartphone nunca

Mario Kart, chegando ao seu smartphone nunca

E por que a Nintendo simplesmente não larga mão e expande o seu mercado de venda de jogos disponibilizando alguns títulos para mobile? Para citar só dois exemplos, a Sega e a Square Enix já o fizeram. Qual o problema?

Bom, a Sega e a Square Enix não criam seus consoles. A Nintendo, de uma maneira mais simpática, diz que é porque a experiência de seus jogos é pensada somente para os fabricados pela própria empresa e portá-los para outros devices não faria com que eles fossem jogados da maneira que deveriam ser. Além disso, a empresa tem uma tradição em consoles portáteis, inclusive com três no mercado atualmente: o 3DS, o 3DS XL e o 2DS.

Ou seja, pelo que Reggie falou, pode ser que, em breve, surja um app com algum mini-game oficial da Nintendo para baixar. Mas não conte com um jogo completo tão cedo – ou, melhor dizendo, nunca.

Com informações: Polygon

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Cesar Costa Ventura
Quando a gente pensa que a Nintendo está indo pro ralo eles vem com uma idéia genial e ganham ganham rios de dinheiro, foi assim com o nintendinho 8 bits na época que vídeo games quase deixaram de existir, com o inovador Nintendo 64 e seus jogos que só não foi mais agressivo em vendas devido a suas mídias serem em cartucho, e recentemente o Nintendo wii. É claro que eles tem bons motivos para não entrar nessa onda de smartphones, dessa empresa eu duvido nada da sua capacidade criativa. Nintendo é a Apple em versão japonesa!!!...
Cláudia Silvano
A Nintendo falir, acho improvável... não impossível, mas certamente é uma visão muito conservadora essa de não produzir jogos pra smartphones e tablet, estão deixando essa fatia do bolo de lado.
Josiel Hen
"Nunca" nesse meio é uma palavra forte, ainda mais para a Nintendo, mas pensando bem, acho que nesse caso, pra ela, pode ser válido sim, vejo ela falindo antes mesmo de lançar algum game para dispositivos mobile, ou lançando para não falir de vez.
Emanuel Sousa
Será que não afetaria mesmo? Já existe um certo pensamento de "se eu posso jogar num celular, pra que preciso de um videogame?". Se começar a sair Mario pra celular, talvez mais gente desista de comprar consoles. E olha, devo dizer que não é raro não. O público que consumia esse tipo de produto continua consumindo.
Emanuel Sousa
Eles lançam os jogos antigos em seus próprios consoles, cobrando preços relativamente altos. É provavelmente muito melhor e mais fácil pra eles, embora ainda façam coisas inexplicáveis como não disponibilizar jogos de GBA no 3DS.
Alex Portugal
entendo esse lado na Nintendo e não critico, mas ela poderia lançar jogos antigos, que não são utilizados mais nos novos consoles, com certeza ela ganharia um bom dinheiro com isso sem perder o apelo dos jogos mais novos em seu próprio console.
Rodrigo Badin
Eu não diria nunca, ter um console portátil de jogos no bolso, quando você já tem tudo no celular já é hoje em dia algo tão raro quanto alguém carregar uma câmera portátil. A convergência de plataformas é inevitável, e como a Sega mesma faz, a Nintendo não perderia em nada convertendo jogos antigos já populares, nos quais ela já lucrou muito, para lucrar mais um pouco nos celulares. E fazer algum "Temple Run" da vida do Mario não afetaria em nada os consoles da Nintendo, apenas aumentaria seus lucros.