Início » Comportamento » Aaron Swartz, ativista da internet livre e programador, comete suicídio aos 26 anos

Aaron Swartz, ativista da internet livre e programador, comete suicídio aos 26 anos

Jovem era acusado de furtar artigos acadêmicos do MIT

Avatar Por

foto_aaron-swartz

O universo da computação ficou mais triste na sexta-feira (11). Aaron Swartz, um reconhecido programador e ativista da internet livre, cometeu suicídio em Nova York, nos Estados Unidos, de acordo com informações reveladas pelo tio no sábado. Swartz tinha 26 anos. Seu currículo de serviços prestados à rede mundial de computadores inclui participação na criação do RSS e fundação do Reddit por meio de uma startup adquirida pelo site.

Swartz respondia a um processo criminal na justiça estadunidense depois de ser indiciado por furtar artigos acadêmicos do sistema eletrônico do renomado MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts na sigla em inglês). Ele modificou IP e MAC Address do computador para baixar “milhões” de documentos do sistema acadêmico do MIT. Caso condenado, poderia ficar até 35 anos cumprindo pena na cadeia.

O hacker (daqueles que fazem coisas boas) teve participação importante para a criação de especificações do RSS, formato de distribuição de conteúdo na rede disponível até hoje. Nós usamos a tecnologia aqui no site. Aaron tinha 14 anos quando participou desse desafio. Também auxiliou na concepção do Creative Commons, formato de licenciamento de conteúdo pela rede, e esteve na fundação da empresa que mais tarde viria a se tornar o Reddit, espécie de fórum no qual os usuários publicam links para votação dos demais internautas.

“Esse é um trágico fim para uma vida breve e extraordinária”, disse Peter Eckersley, da instituição para defesa dos internautas Electronic Frountier Foundation (EFF). O diretor de projetos tecnológicos conta que Aaron tinha dificuldade de lidar com o ambiente social em torno dele, ainda que o achasse fascinante. Também diz que certa vez o hacker confessou ficar mais confortável lendo livros do que conversando com outras pessoas. Tenho certeza de que alguns leitores do TB se verão nessa declaração.

Aaron sofria de depressão e chegou a abordar o assunto no blog dele. Descreveu da seguinte forma: “Sair de casa e respirar algum ar fresco ou ganhar o afago de alguém querido e não se sentir nada melhor, apenas mais triste em não poder sentir a alegria que todo mundo sente.” Ao fim do texto, ele pede desculpas por não produzir mais coisas e ainda brinca dizendo que “pelo menos” tem um bom plano de saúde.

Larry Lessig, um dos fundadores do Creative Commons, considera que as autoridades americanas exageraram nas investigações e no bullying (palavra dele) contra Aaron. Professor Lessig mostrou-se contrário à invasão e download dos arquivos do MIT.

Com informações da Wired.com. Atualizado em 13/01/2013 00h28.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Douglas Caetano dos Santos
Sobre a questão da burocracia, me fez lembrar de um livro que li recentemente sobre como a sociedade se organiza e como as novas tecnologias estão mudando isso: "Lá vem todo mundo: O poder de organizar sem organizações" de Clay Shirky. O foco do livro é em como as redes sociais e outras tecnologias reduziram muito o custo de criação de grupos, mas dá vários insights sobre burocracia e como ela impede a inovação.
Rafael Sordi
Os motivos são obscuros... É uma tragédia e uma grande perda para a "liberdade de expressão na área acadêmica e cientifica"... A mente humana leva a crer que a morte é a solução, quando, na verdade, ela é o caminho mais fácil... Esse é a extensão da gravidade da doença chamada "depressão".... Que a morte dele não seja ignorada... ele já deu grandes contribuições... mas, vivo, ele poderia fazer muito mais... infelizmente....
Micael Silva
Estava vendo ontem uma série britânica chamada "Why The Industrial Revoltion Happened Here" sobre como e porquê a Revolução Industrial aconteceu no século 18 na Grã-Bretanha. Em uma parte mostra-se a França e pergunta-se por que a mesma revolução não aconteceu por lá. Estudiosos afirmam que a burocracia intelectual francesa, que obrigava tudo passar pela Academia de Ciências para ser analisado e publicado freou todo o desenvolvimento intelectual da época. Podemos traçar um paralelo disso com o trabalho de Aaron e a repressão que ele sofreu. E que a morte dele tenha sido um sinal de alerta para mostrar como os países estão caminhando no sentido errado.
EFG
*para defender um possivel tabu sobre os* acabei comendo um pedaço da frase, o sentido ficou errado.
EFG
Isso faz sentido. Apesar de eu poder usar parte do argumento para defender os três crimes que eu citei.
Fabio Silva
Acho isso correto, mas deviam parar também de dar grande destaque a massacres como os do EUA, que cai exatamente nisso, de incentivar outros. Sem dúvida deviam noticiar, além da colaboração para internet, a luta dele contra a cobrança de artigos científicos (privatização do conhecimento) deveria sem seguida por todos.
ricardo
Tenho a impressão de que pessoas com inteligência acima da média não suportam viver em uma sociedade em que as decisões são tomadas por pessoas de inteligência muito inferior à deles. E surtam ao sentirem-se incapazes, apesar de sua capacidade mental, de mudar os rumos que a humanidade está tomando.
viniciusghietti
#tragico :(
Claudio H.
Não é bem assim... O problema é que geralmente, pessoas que pretendem cometer suicídio estão a beira de um colapso mental, pode ser por vários motivos, mas geralmente (não são todos os casos) o suicida espera que com a sua morte (além dele se "livrar" da situação em que se encontra), as coisas mudem, ou seja, ele pretende deixar alguma mensagem, ou afetar alguém com a sua atitude drástica. Se um suicida é divulgado no Jornal Nacional por exemplo, ele completou seu objetivo que era deixar essa mensagem. Outras pessoas com tendências/pensamentos suicidas consequentemente podem acabar pensando: "Se ele conseguiu essa visibilidade, eu posso conseguir também!". Isso pode acabar se tornando um estímulo sério para essas pessoas que já estão fragilizadas mentalmente. Tudo o que elas precisam é de um empurrãozinho, e esse seria o empurrão ideal.
EFG
Eu sabia disso, mas então também devemos parar de publicar noticias sobre digirir embriagado, assaltos e estupros. Também pode incentivas as pessoas.
Gabriel
:( Espero que isso, pelo menos, sirva para as pessoas lidarem com problemas de saúde e depressão com mais seriedade. Muitas vezes falam que é "frescura" e coisa de rico, mas acabamos de perder um gênio. O RSS é algo que mudou minha vida, imagina quantas coisas ele poderia fazer por esse mundo...
Bruno Rodrigues
Infelizmente os Bons morrem jovens
João Neto
Aaron é um mito, para ele liberdade é tudo, se existissem mais umas 10 pessoas como ele, daria para mudar o mundo e deixar de lado essa "Justiça" covarde. LUTO!
Fábio de Jesus
uma pena realmente, principalmente depois de saber das grandes contribuições dele para a Internet.
Marcos Tony Lehmann
Deve ter a ver com a ideia de que a imprensa tem poder tão grande sobre as pessoas que elas poderiam fazer o mesmo que a pessoa que motivou a noticia
Exibir mais comentários