Poucas horas depois de o Google Reader ter ido desta para melhor, Chris Wetherell, principal nome por trás do projeto, declarou à revista Forbes que, se fosse hoje, jamais teria criado o leitor de feeds como um serviço do Google. Trata-se, talvez, de um sinal de que o encanto em relação ao universo da empresa já não é mais o mesmo.

Um dos motivos que fizeram com que o Google fosse tão visado por profissionais talentosos, especialmente de áreas da computação, é o incentivo que a empresa dá – ou dava – para que seus funcionários dedicassem parte do seu expediente ao desenvolvimento de ideias próprias dentro da companhia. Foi assim que vários de seus produtos surgiram, aliás.

O problema é que, se outrora o Google tinha como filosofia “faça um produto interessante primeiro, depois descobriremos como monetizá-lo”, hoje o foco está fortemente ligado à obtenção de receita. Isso significa que a companhia pode descontinuar um projeto a qualquer momento, por mais usuários que o serviço venha a ter, em nome do desempenho financeiro. O Google Reader é prova viva, ou melhor, morta disso.

Sede do Google em Mountain View, na Califórnia (Foto: Wikipédia)

Google: já não tão interessante assim?

É nesta parte que o ponto de vista de Chris Wetherell fica mais claro: para o desenvolvedor, atualmente é mais viável sair do Google e implementar um projeto por conta própria do que submetê-lo à aprovação dos líderes da empresa, que estão preocupados com outras coisas. “De maneira alguma eu o faria dentro do Google [de hoje]. Odiaria que a minha ideia fosse confrontada com o Google+. Seria frustrante”, disse na entrevista à Forbes.

A opinião é compartilhada por Jenna Bilotta, que, assim como Wetherell, é ex-funcionária do Google: “se as pessoas têm uma ideia incrível e se apaixonam por ela, podem se sentir mais seguras se deixarem a empresa para protegê-la”.

De fato, muitos funcionários talentosos debandaram do Google nos últimos anos para criar seu próprio negócio, muito dos quais com ideias semeadas ainda dentro da empresa. Mas, sendo razoável, não há (quase) nada de lastimável aqui: várias destas pessoas perceberam que o seu projeto teria mais chance de atrair as atenções e vingar se surgisse como uma startup ou algo do tipo.

Além disso, é necessário levar em conta que o Google está atualmente muito mais focado em determinados produtos porque o mercado exige resultados; portanto, é até compreensível que a empresa tenha deixado de ver com prioridade as ideias que em um passado recente fazia questão de incentivar. Por outro lado, é inegável que esta mudança de visão é uma balde de água fria em quem se acostumou com o estilo inovador e “anticorporativista” de seus primeiros anos.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Vitor
Dava para prever isso quando o Google Labs foi fechado.
Vitor
Dava para prever que isso aconteceria quando o Google Labs foi fechado.
portela.thiago
é que a porcaria toda já migrou pro Facebook
Gabriel Lucas Ribeiro
Orkut ainda dá muito dinheiro com jogos pro Google.
@kadugaspar
Pra mim o Google matou o Reader provavelmente esperando que seus usuários passassem a usar o Google+ em substituição (seguindo as páginas dos sites que antes tinham nos feeds do Reader). Mas não funcionou por que dificilmente alguém que segue páginas via RSS vai se sentir satisfeito com esta forma de seguir conteúdo - falta muita coisa.
@kadugaspar
Pra mim o Google matou o Reader provavelmente esperando que os usuários do Reader passassem a usar o Google+ em substituição (seguindo as páginas dos sites que antes seguiam
@kadugaspar
DUVIDO que o Google tenha mantido o Orkut no ar por este motivo. Certamente ainda não encontraram uma forma de levar todo mundo pro Google+ e querem segurar no Orkut a resistência até encontrar esta maneira.
Thiago Leite
Já tenho um nome pra colocar na boca do sapo: Chris Wetherell
Marcelo Buer
O Google+ é um produto "Mãe", dificilmente ele tera anúncios, ainda mais agora que está tentando conseguir usuários.
Ramon Gonçalves
orkut é bom. Ainda uso todo dia... e ainda vejo lá bem movimentado (e agora que tem menos usuários as discussões são mais legais). Pelo jeito o google percebeu isso e não tirou do ar. só isso.
Tales Cembraneli Dantas
é estranho, pq a receita tava dando certo, pois fez do google oq ele é hj, isso pode ser um tiro no pé e o google se transformar em +1...
Henrique Dourado
é simples , não ta dando dinheiro então tchau , eles não querem elefantes brancos !! a google parece que não pode se dar ao luxo de financiar algo que não da dinheiro por muito tempo !!
Vitor Salvatore
Vale notar, que o google tem o news.google.com que é basicamente como o Reader, mas é mais para noticias em tempo real. Sorte a minha que eu já usava. E o Google + não tem anúncios, só tem se não me engano, tipo os "Promote" do facebook, assim paginas de noticias, tals, faz o post aparecer no "Posts Quentes" que fica numa aba separada, mas, aparece na Stream também. Só isso! Não tem uma propagandinha, o Orkut ainda tinha... E é a mais pura verdade, tem vez, por mais que eu uso o G+, eu não querer integração dos serviços com o G+, e tem serviços, que já era para estar integrados, como o Google Groups, que está lá, as moscas! Vai Saber!
André Simões
Acho que o Orkut só não morreu porque eles não encontraram resposta a uma pegunta: Como fazer o Google+ absorver a base de usuários do Orkut sem perder usuários para o Facebook? O dia que eles acreditarem que tem a resposta o Orkut morre.
Alex Oliveira
Pois é, queria entender o método Google de cortes.
Exibir mais comentários