Nesses grandes eventos, é natural que um número grande de pessoas se desloque para acompanhar uma ou outra atividade. Para os Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem, o prefeito da cidade já sinalizou ter medo de que o pior aconteça com a rede de telefonia por lá. Um apagão de celulares não está descartado.

O grande desafio de Londres é ampliar a sua capacidade de transmissão de dados durante o próximo  ano — pouquíssimo tempo antes do início das Olimpíadas —, de modo a oferecer uma maior cobertura, e principalmente uma cobertura mais robusta.

Imagina essa gente toda tuitando e subindo fotos para o Facebook

Boris Johnson, prefeito da cidade, citou a nossa dependência cada vez maior dos celulares para transmitir dados. O envio de fotos seria um dos maiores gargalos, tendo em vista que a capacidade de upstream costuma ser inferior à de downstream. “Nós estamos fazendo um trabalho descomunal para assegurar de que há cobertura suficiente”, diz o prefeito.

Eu fico imaginando como não será por aqui quando estivermos a um ano da Copa do Mundo, marcada para 2014. Ou então faltando 12 meses para os Jogos Olímpicos do meu Rio de Janeiro, em 2016. Não quero cair naquele papo de “essa é a terra da Copa”, mas…

É preocupante pensar que ainda há tanto a ser feito. A Oi conseguiu o direito fornecer a estrutura de telecomunicações para a próxima Copa do Mundo. Sim, a Oi, cujo histórico de problemas fala por si. Não duvido que, a três meses da abertura, o Governo Federal tenha que entrar no jogo colocando dinheiro para viabilizar a cobertura de telecom durante o evento.

Vejamos como as coisas se encaminham em Londres. Algo me diz que a administração de lá terá boas lições para ensinar aos comitês organizadores da Copa e das Olimpíadas por aqui.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marcelo
Nessa hora todo mundo se apavora!
@brunogdb
As operadoras do RJ não aguentam nem o povo daqui, quem dirá na Copa e Olimpiadas.
Yangm
Chama esse cara para governar o Brasil!
vinnicius
Eu acho que a VIVO ou a Claro teriam mais capacidade de fornecer a infra-estrutura das comunicações. A TIM não está qualificada, sempre com sobrecarregamento, fora do ar sempre, internet não funciona... E a Oi rouba absurdos para acessar a Internet, envia uma foto e lá se vai os créditos que você acabou de colocar. Sem falar no péssimo histórico dela. Boa ideia seria os pacotes que a Claro e a VIVO fornecem para acessar a web: VIVO = 9,90 por mês / Claro = 12,90 por mês, só assim a Oi estaria qualificada para fornecer essa infra-estrutura.
@amsalau
No caso da copa até pode não ser tão complicado porque é um evento descentralizado então o tráfego acaba ficando mais distribuído, embora tenha grande concentração em SP e RJ, além de Brasília que será o HUB de conexões para todo o país. Mas para as Olimpíadas, aí o bicho pega mesmo, é tudo em uma cidade só.
Vinicius Kinas
As olimpíadas aqui podem até dar certo, por serem concentradas em uma cidade só, por terem um publico relativamente menor, e por vir depois de um evento de maior magnitude (a copa). Agora a copa vai ser o maior oba-oba com o dinheiro público da história desse país. As várias cidades selecionadas não tem infra-estrutura de transporte (e turismo) necessárias para comportar as viagens necessárias. O medo de um novo caos nos aeroportos fez com que se planejassem mundos e fundos para a reforma e ampliação dos aeroportos. Quase nada foi feito até agora, e quando o prazo apertar, pode mandar as licitações pras cucuias, já que vai ser tudo em caráter emergencial. Mas se a nossa telefonia mal dá conta do ritmo normal das cidades hoje, imagina um dia que aparecem mais 100 mil pessoas tentando usar 3G e fazendo ligações, o que vai acontecer? Essa preocupação do prefeito de Londres é legítima, mas é um problema menor, se comparado ao que temos aqui.
mozart
Até parece né, Kowalski. todo mundo sabe q a Oi é amiguíssima do psdb. política de lado, espero q consigam fazer uma estrutura adequada até lá. Tempo tem, de sobra, agora comprometimento eu já não sei.
Kowalski
Pois é, Thássius, concordo com você especialmente na dúvida sobre a capacidade da Oi em atender a esse grande evento. Certamente, a operadora foi "escolhida" como provedora oficial por ter "ligações antigas" com o atual governo. No ano passado, a empresa foi uma das maiores "doadoras" da campanha da "Dona Dilma". Lembro, ainda, do sorteio dos grupos da Copa 2014. Segundo a imprensa, não havia sequer cobertura de internet na região do evento. Às pressas, a Oi instalou uma antena 3G para atender à infra-estrutura do sorteio, que custou 30 milhões de reais.