Um estudo conduzido por pesquisadores argentinos sugere que as ondas de WiFi podem ser prejudiciais à fertilidade masculina, reporta a agência de notícias Reuters.

De acordo com o levantamento realizado pela clínica Nascentis Medicina Reproductiva, as ondas eletromagnéticas emitidas por laptops e outros dispositivos móveis afetam na integridade e mobilidade do esperma humano.

Durante o teste, amostras de esperma de 29 volutários foram colhidas e depositadas perto de um notebook conectado à rede sem fio e baixando algum arquivo. Depois de quatro horas, 29% dos espermatozóides estavam mortos e 9% deles apresentavam danos em seu DNA, enquanto as amostras de controle — que ficaram guardadas pelo mesmo período em um local em condições normais — mostravam índices de 14% de mortalidade e 3% com danos genéticos.

Segundo Conrado Conrado Avendano, que coordenou o estudo, isso aconteceu por conta das ondas do WiFi. “Nossos dados mostram que o uso de dispositivos de internet sem fio provocaram uma sensível queda na qualidade do esperma“, afirmou o doutor no artigo publicado na última edição da revista Fertility and Sterility.

De qualquer maneira, ainda não é hora de usar uma cueca de chumbo antes de acessar a internet de seu laptop. “Até o momento não sabemos se este efeito é produzido por todos os computadores conectados por WiFi ou se estar conectado desta maneira pode de fato prejudicar a qualidade do esperma”, completa o estudioso.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rafael
Eu já vi esse negócio das árvores e também já vi o estudo que desmente que Wi-fi faça mal a elas. :P
Rafael
Uma ótima desculpa pra pegar AIDS.
Rafael
É tipo você não pode fazer sexo e zoar no Tecnoblog ao mesmo tempo, entendeu?
Vinicius Kinas
@ricardo A questão do calor do ambiente não deve ser levada em consideração porque nós somos animais homeotermos e mantemos a mesma temperatura do corpo independente do ambiente. Mas se o seu corpo receber uma aplicação de calor concentrada, (na virilha, nesse caso) vai ter muita dificuldade de reverter isso, e isso afeta a produção de esperma sim (tem estudos mostrando isso). O que acontece em fornos microondas, é que a intensidade do sinal é tão forte, que ao atravessar um objeto consegue reagir com as moléculas dielétricas de água, causando fricção, e gerando calor. Por isso, se um material tiver pouca água, o microondas não o esquenta, ou esquenta pouco. Claro que ondas de rede sem fio atravessam o corpo humano, essa é a idéia das ondas eletromagnéticas em geral, o máximo que nosso corpo faz, é causar alguma distorção, mesmo que mínima. Procure ler sobre o que você está falando, a radioterapia usa outro tipo de radiação (iônica) e para funcionar precisa de uma potência MUITO MAIOR, que sinais de rede sem fio. O raio-X e o microondas usam o mesmo tipo de radiação (eletromagnética), mas com potências MUITO MAIORES, que o sinal da rede sem fio. Um sinal de rede sem fio nunca vai afetar "de forma extremamente concentrada" órgãos internos. Independente da rede sem fio, somos bombardeados por níveis de radiação todos os dias dos mais diversos lugares (alô TVs/monitores CRT). A questão é que nosso corpo está pronto para lidar com níveis baixos disso. A exposição continuada a níveis altos que constituem problemas. Entendo sua preocupação, e existem estudos na área para tentar descobrir se existem problemas, mas repito que não é nenhum pouco óbvio como você falou no primeiro post, tanto que nenhum estudo até hoje conseguiu estabelecer essa relação.
ricardo
A questão não é esquentar. Óbvio que a temperatura do seu corpo não vai aumentar por causa do Wifi. Se a única causa fosse o calor, então viver no Brasil causaria alterações genéticas e viver na Europa, não. Algumas vezes, quando esquentamos algo no microondas, percebemos que o calor se concentra mais em alguns pontos, muitas vezes internamente. Essa é a questão: alguns materiais são transparentes às ondas, enquanto outros são mais sensíveis. O que pode ocasionalmente ocorrer é que, devido a certas condições, o sinal atravessa sua pele a atinge algum órgão interno, de forma extremamente concentrada, causando mudanças genéticas. Esse concento é utilizado em radioterapia. E ao Ramon: Microondas é um conceito ligado à frequência do sinal, não a sua intensidade. Os raios-X foram utilizados por muitos anos de forma irresponsável e muita gente adoeceu por causa deles, até descobrirem que eram altamente cancerígenos. Por último: Com certeza o sinal de WiFi é capaz de atravessar seu corpo. Faça o teste; coloque um transmissor direcional de um lado do tórax e um receptor do outro, e verá que a comunicação ocorre sem problemas.
Vinnicius
Arvore (,wifi) e esperma? Seguei?
Ramon Melo
Microondas são ondas de baixa energia, para causar câncer precisaria ter frequências maiores (como os raios-x, por exemplo). Sem falar que as microondas são absorvidas pela água, ou seja, a chance de atravessarem sua pele é bem baixa. O que nos leva a uma consideração interessante sobre o estudo: o esperma estava desprotegido nos testes, o que não acontece na vida real. Considerando que os espermatozoides têm vida curta e são produzidos todos os dias (logo os efeitos não são cumulativos), eu me pergunto se haveria algum efeito se os testes fossem realizados em condições reais.
@yagogabriell
Procura ví essa notícia faz tempo
Rodrigo Fante
Exato, e essa pesquisa é bem simples e superficial, o máximo que ela consegue é dar indícios para sustentar uma futura pesquisa mais bem feita, embora eu ainda quero ver mais detalhes sobre a mesma para ver se o ambiente não comprometeu a mesma, como por exemplo aquecimento proveniente do computador, seria um erro bobo, mas cientistas as vezes para provar um ponto fazem esse tipo de besteira infantil.
Sergio
Qual é esse "local em condições normais"? A meu ver, para ter validade o local deve ser o mesmo, com diferença apenas na não existência de um notebook perto. E ainda deveria ter um terceiro local com o notebook ligado mas com o wifi desligado.
Vinicius Kinas
É a mesma frequência do microondas sim (~2.4GHz) que fica no espectro das frequências UHF (aquela usada em TVs), mas você está comparando a rede sem fio (0,1W de potência) com o forno microondas (1200W de potência) ??? O dano pode até ser causado pelas ondas da rede sem fio, mas isso é somente no caso do esperma desprotegido do corpo humano. A rede sem fio não tem potência para esquentar o toda a camada de pele do corpo e afetar órgãos internos. E não é "óbvio" que a Wifi pode causar câncer, tanto que NINGUÉM conseguiu provar isso até hoje.
Rodrigo Fante
Sei lá hein, a proteção do meu corpo contra ondas de rádio é um saco.
Vinicius Kinas
Provavelmente não. O que gera esse desgaste é o aquecimento que as ondas da Wifi causam em uma pequena quantidade de esperma desprotegido. A potência das ondas de Wifi não são suficientes para esquentar o nosso corpo a ponto de danificar alguma coisa dentro.
Rodrigo Fante
Despenteia o cabelo delas.
Turdin
AGORA SIM A ~~PORRA~~ FICOU SÉRIA
Exibir mais comentários