Num dia de lançamentos da Microsoft para o Windows Phone (teremos matérias sobre o assunto em breve), a rede de livrarias Barnes & Noble apresentou ao mercado a futura geração do leitor de e-books Nook. Parece que, dessa vez, a B&N vem com tudo para cima do tradicional Kindle, da Amazon.com.

Nook: segunda geração

O leitor de e-books passou por uma transformação completa. Agora ele tem cantos mais arredondados, por exemplo, dando um ar de despojamento ao produto. Além disso, perdeu o visor touchscreen colorido que foi sua marca registrada na primeira geração do Nook. Nessa segunda geração, o visor monocromático, que utiliza tecnologia e-ink para exibir os textos, é integralmente sensível ao toque.

A simplicidade fica por conta dos movimentos para realizar operações no Nook. Nos vídeos de demonstração liberados pela Barnes & Noble, por exemplo, basta tocar uma vez na tela para passar para a página seguinte. Como em qualquer leitor de e-books que se prezem, os ajustes de tamanho do texto, fonte tipográfica etc. permanecem na segunda geração do Nook.

De acordo com a Barnes & Noble, o novo visor do Nook oferece um contraste 50% superior ao da geração passada. Falando em visor, ele tem agora 6 polegadas diagonal, 1 polegada a menos que no Nook da geração passada.

O Nook de segunda geração tem preço fixado de US$ 139 no modelo com Wi-Fi, mesmo valor cobrado pela Amazon para quem quiser levar o Kindle para casa. O aparelho encontra-se atualmente em pré-venda, com distribuição das unidades agendada para começar em 10 de junho nos Estados Unidos.

Assista abaixo ao vídeo de apresentação do novo Nook.


(YouTube)

Eu tive um Nook de primeira geração e confesso que não gostei muito do produto. O visor dele é excelente e reproduz muito bem as páginas de um livro. Meu problema maior foi devido à ausência de uma loja de livros. Por mais que a B&N ofereça milhões de títulos, eu não podia compra-los (no formato ePub) simplesmente porque meu Nook estava localizado no Brasil.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Silvério
A dúvida é: Eu consigo comprar ele e receber sem pagar imposto? Sei que algumas pessoas conseguiram isso, mas entrando na justiça e gastando mais em honorários do que em imposto.
Alexandre
design meio gordao o lance do touchscreen eh beeeeeeeeeeeeeem legal
Caio Furtado
Impressão? Mas achei que fosse tudo digital...
@oscher88
Esqueci de acrescentar ao Thássius. Você não gostou do serviço (nao) oferecido, e nao do produto em si. Ja vi o kindle e o nook, e eles fazem o trabalho deles direintinho
@oscher88
Pra quem não sabe o Nook (1st gen) ta por 100 dólares. è um bom negócio pra quem quer um e-reader e não um tablet
Jairo
Por enquanto a leitura em tela e-ink é MUITO mais confortável, fabricantes de PAD´s querem vender o "peixe" deles, mas é fato que tela de PAD´s não são visualmente confortáveis para leitura de horas à fio de um livro quando comparadas à telas e-ink. O e-ink pode ate desaparecer do mercado assim como o Betamax que era um padrão melhor sumiu para dar lugar ao VHS é um passado remoto, coisas de mercado.
@brunogdb
Tudo isso em preço curto, em 140 dólares, e que nem no Twitter, 140 dígitos já bastam.
Kadu
Eu não conheço a primeira geração do Nook, mas pelo que lí aqui, este modelo não é um retrocesso? Tela menor, monocromática...
elionw3
Claro que... nunca tive um em minha mão pra falar, essa é a primeira impressao.
elionw3
Eu acho a lateral muito grande, tipo, a area que eu particularmente considero "utilizavel".
Matheus Eichelberger
A não ser que inventem um tablet com display híbrido (se já não fizeram algo parecido), os leitores de ebook vão continuar. Por dois motivos: duração da bateria e qualidade da tela. Simplesmente a experiência de ler num LCD está muito aquém daquela de ler num e-Ink; e a duração de bateria de menos de dez horas é um bom empecilho.
Rafael
Infelizmente também acho! Queria ver uma tela e-ink colorida, aí sim. Mas o que mantém o kindle no mercado é a tela, a rede 3g, a autonomia da bateria... Ainda acho melhor para leitura do que os tablets.
@dpetry
Já está na minha lista de compras. O problema do kindle é que, para fazer uma anotação ou marcar algo, tem que usar aquelas teclinhas...
Pedro
Acho que com o fortalecimento dos tablets no mercado, a extinção dos Kindle's da vida será apenas uma questão de tempo.