Essa semana minha coluna aqui no Tecnoblog atrasou um pouquinho… é que eu estava esperando algumas novidades importantes, como a MP do Bem para tablets e o lançamento do Ypy da Positivo, e algumas respostas de emails que encaminhei a especialistas com dúvidas sobre o tema.

Vocês, leitores do Tecnoblog, já sabem o quanto desejo ver nossa indústria nacional prosperando, mais pessoas sendo incluídas no mundo digital — que nos dias de hoje é questão de cidadania — e nossos índices educacionais saírem dos números vergonhosos que temos hoje.

No meu blog, reagi com entusiasmo ao anúncio do Ypy, da Positivo, o primeiro tablet brasileiro. Mas é preciso deixar bem claro algumas coisas:

1. O Ypy não foi feito para competir, em termos de hardware, com o Xoom ou o Galaxy Tab da Samsung. O acabamento é bem feitinho, mas por dentro, certamente não terá o poder de processamento dos concorrentes. O público é outro. O objetivo é levar os tablets à classe C.

2. O que mais me animou no Ypy não foi o hardware. A Positivo Informática tem longa tradição em softwares educacionais, e eu os conheço há décadas. Aliás, cresci acompanhando-os, aqui em Curitiba. E a empresa sinalizou que pretende portar seus softwares para o tablet, além de estimular terceiros a desenvolverem os seus — vide a Loja Positivo de apps. Sempre falo isso isso aqui no blog: o maior potencial dos tablets está na educação, desde, lógico, que sejam inseridos em rígidos protocolos pedagógicos.

Paulo Bernardo, ministro de Comunicações, conhecendo o Positivo Ypy

O que me desanimou um pouco foi o preço. Claro que R$ 999 a R$ 1.299 já é um grande começo, ainda mais com as possiblidades de parcelamento a longo prazo, que o brasileiro tanto gosta. Mas sinceramente, acho que poderiam cair ainda mais. Agora que o Senado aprovou a inserção dos tablets na Lei do Bem (falta só a sanção presidencial), finalmente veremos a tão aguardada queda de preços.

Perguntei a diversos especialistas como poderíamos enxugar ainda mais os valores dos tablets brasileiros, e recebi as mais diversas respostas. Alguns falaram em aumentar mão de obra qualificada, que está em falta. Outros disseram que é preciso promover ainda mais políticas fiscais, principalmente no estímulo à contratação. Contratar funcionário no país continua sendo caro. E antes que alguém atire a primeira pedra, não estou falando em abolir direitos trabalhistas, e sim, do recolhimento dos tributos que nem meu contador sabe explicar para onde vão. E por fim, uma terceira vertente aponta a faminta margem de lucro das empresas, que se defendem dizendo que não é tão grande assim, pois apostam mais no volume das vendas, diferentemente da Apple.

Falando em Apple, o iPad também deve cair de preço, mas não muito. Ele será montado no Brasil e não “fabricado”. Além de tudo, o foco da Apple não é popularizar seus produtos, e sim criar uma aura de diferenciação, transformando-os em objetos de desejo. Tanto que o lucro impressionante que a empresa vem alcançando é pela alta margem de lucro, e não pelo volume de vendas. Mesmo assim, fazendo algumas contas por cima, presumo que o iPad brasileiro continuará sendo o mais caro do mundo.

Pela simplicidade, portabilidade e facilidade de uso, aposto muito nos tablets como a principal janela de todas as pessoas comuns ao mundo. Em especial, aposto nas crianças e na terceira idade — uma categoria culturalmente muito esquecida e até desprezada no Brasil.

Portanto, passo a bola para vocês, leitores: como podemos baratear mais ainda os tablets, tornando-os verdadeiramente acessíveis a todos?

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Felipe
Q:"como podemos baratear mais ainda os tablets, tornando-os verdadeiramente acessíveis a todos?" R: Reduzindo a margem de lucros das empresas, que está muito alta. Simples, não? Quanto aos softwares educativos da Positivo, já os utilizei e achei a maioria deles fraquíssimos. A empresa só se mantém no mercado porque seus consumidores são leigos em educação e, principalmente, em educação com aplicação de informática. Quanto ao potencial dos tablets para a educação, é o mesmo potencial dos lápis/canetas, cadernos e livros. Nem mais, nem menos. Houve gente achando que computadores iriam fazer milagres e melhorar os "nossos índices educacionais". Não aconteceu. Não acontecerá com tablets também, porque não é a tecnologia que "faz" a educação. Mas sim as pessoas (pais, professores, alunos e funcionários). Achar que os números da educação brasileira vão melhorar por causa de traquitanas high-tech é pensamento típico de entusiastas de tecnologia que entendem pouco ou nada de pedagogia e da prática pedagógica.
@asrsantos
Quanto a redução de preços, todo mundo sabe o que precisa ser feito. Já em relação ao tablet Ypy. Dizer: Tablet brasileiros para brasileiros é no mínimo uma ofença. Nós mesmos nos rebaixamos. Vejam o review do produto. Nós brasileiros merecemos coisa melhor.
Tux
Lendo os comentários pelo visto o que pode fazer baixar os preços mesmo é a concorrência acirrada, não tem jeito. É esperar mais fabricantes entrarem na concorrência. Se o governo dá estimulos o fabricante e atravessadores comem parte disso, só concorrência mesmo para poder mudar isso.
@leonardo_xis
Existem vários fatores. Eu acredito (de forma ingênua) no volume de vendas. Acredito que a primeira empresa que apresentar um tablet com recursos médios (questão de desempenho, armazenamento de dados, etc), com um preço acessível, conseguirá "dominar" o mercado. Se tivermos aparelhos bons, comprar Galaxy e iPad será apenas questão de marca. Falta o povo brasileiro acreditar na capacidade do povo brasileiro. Se acreditarmos na nossa mão de obra, nas nossas qualidades pra desenvolvermos produtos decentes, com preços justos, a cultura muda e a tecnologia cresce.
Gb
Antes de Tablets, deveríamos ter: Saúde (Hospitais), Educação (Escolas), Sistema Prisional, Aposentadoria Decente, Estrutura de Transportes (Aeroportos, Estradas, exploração da Hidrovia) .... e muito mais. Considero importante essa MP e esse esforço do governo em baratear, mas ao meu ver, temos coisa muito mais importante para ser feita nesse país, talvez essa MP esteja justamente do interesse de empresas que podem fabricar, e que indiretamente, acaba 'agradando' a nós brasileiros, fazendo nos pensar, "olha que legal tem tablet 'barato'".
Rodrigo Fante
@bawlaw, talvez porque no Brasil as empresas terem em muitos mercados como computadores, bancos, telefonia e automóveis as maiores taxas de lucro do mundo, tem muita empresa que a subsidiária brasileira rende muito mais que a matriz vendendo menos. Os impostos são absurdos? são, mas o lucros também, só quem perde nisso tudo somos nós, tem que ser cobrado justamente de ambos, quando ambos estiverem ganhando demais.
@josue_rodrigosr
Será difícil, pra termos tablets baratos terá que TODOS os componetes, desde um chip á tela, fabricados e construidos aqui no Brasil. Eu acabo de pensar que podia surgir o BOLSA TABLET ou BOLSA TECNOLOGIA.
Guilherme Macedo
@Vinicius Kinas, não é obrigatório a filiação não. Na Constituição, no artigo 8º, inciso V diz: "Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte: V - ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado a sindicato;" Única coisa que acontece que é obrigado a filiar-se pra exercer a profissão é em referência a órgãos de classe, como OAB, CREA, CRM, etc. Mas pq são órgãos que regulamentam a profissão. Geralmente ocorre em profissões que tem grande repercussão na sociedade, pra ter um controle melhor, principalmente ético, do que se pode ou não fazer.
Tepple
O jeito é comprar dois copos e um barbante e se comunicar assim! Nos ainda temos a opção de parcelar valores altos, mais eu penso na população pobre que nem condições de parcelar um simples android de 500 reais tem. Isso mexe com a cabeça de um menino de 15 anos que sonha em ter um celular,o duro é depois que ele vem pegar o seu. Lembrando que nao estou culpando o governo por assaltos ou coisas assim,pois a índole de cada um é o que vale.
Tepple
A culpa disso tudo é nossa! Permitimos essas injustiças do tempo dos nossos avós! O individualismo brasileiro causa o beneficio de uma minoria que se une para levar o que é nosso! Talvez quando a massa de pessoas do bem pensarem em se unir também nosso Brasil mude.
gokernel
Boicote deu sim bom resultado na história. No Brasil não mas ... O HP TouchPad não foi sucesso de venda por isso tiveram de baixar os preços 3 vezes(eu acho) até conseguirem vender.
gokernel
Pois essa é a jogada dos fabricantes quanto ao lançamento de um produto: 01 - Lançar com preço elevado para passar um status de bom produto. 02 - Sempre existirá pessoal desinformadas e compulsivas para comprar mesmo por um valor tão alto. 03 - Reforçar na mídia para o produto fazer uma boa impressão. 04 - Anunciar a data do lançamento pra os compradores já irem se programando pra comprar. 05 - Vender caro logo no lançamento pois existem otários que vão comprar para manter a imagem de atualizados.
Agnatos
Boicote? Isso já deu certo alguma vez na história do Brasil?
Kowalski
Se depender da Positivo, a "MP do Bem" vai... pro brejo. :D :P
Henrique
Será que a Apple tem interesse nisso?Duvido muito.Imposto menor significa vender muito mais e competir com tablets mais baratos.
Exibir mais comentários