Início » Brasil » Dilma quer tablets a preço popular

Dilma quer tablets a preço popular

Avatar Por

Nossa nova presidente Dilma Rousseff, de acordo com está sendo dito, é uma grande fã de tecnologia (será que ela lê o TB? Oi, Dilma! 🙂 ). E foi com o seu querido iPad em mãos que a presidente recomendou ao novo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que buscasse a redução de impostos sobre essa categoria de dispositivos.

“A Dilma falou assim: ‘chama os produtores nacionais de computador e faz uma negociação com eles para fornecer tablets com preço mais popular’. Preço popular seria R$ 400, R$ 500, algo que a prestação caiba no bolso”, contou o ministro.


É claramente leviano pensar que a presidente ou seu ministro consiga trazer o iPad em si (cujo modelo mais barato custa hoje R$ 1650) ao consumidor final no Brasil por até R$ 500 a não ser que o Dólar e o Real ficassem com o mesmo valor e ainda houvessem alguns subsídios do governo, coisas muito improváveis.

O que eu posso inferir que a nossa chefe de Estado tenha em mente, e isso sim seria viável, seria buscar a redução de custo final de tablets mais simples (com Android talvez, por que não?) através de incentivos fiscais e outras medidas similares.

Podemos pensar, no caso, em reduções de taxas de importação para produtos importados e talvez até mesmo em um tablet fabricado aqui no Brasil.

Usar um tablet como instrumento de inclusão digital é, realmente, uma abordagem interessante. Como usuário de um, entendo que a imensa maioria das funcionalidades que as pessoas usam em um computador podem ser realizadas com a mesma facilidade em tablet, quando não com facilidade maior ainda mais para pessoas que ainda nem estão habituadas a usar um sistema operacional tradicional.

Com informações: Veja, O Povo.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Veditto
Tomara que dê certo.ótima notícia :)
Robertto Macedo
Tomara que os Tablets caiam de preço mesmo. ótima notícia.:)
@margarethgg
Meio bobinho escrever no texto "como usuário de um IPad. Bobinho, esnobe e desnecessário. Alguém precisa ter pra dar opinião?
Jean
Só se ela importar os modelos Xing-Lings...
Rodrigo Fogagnolo
Não creio que a internet já possa ser chamada de "o maior meio de comunicação". Provavelmente será no futuro, mas o telefone ainda é o maior Mas concordo com seu post ^^
Daniel Luiz
Mon ami, Qual o maior meio de comunicaçao?!? Qual o unico meio de comunicaçao que une milhoes de pessoas que podem interagir entre si?!?! Qual o meio de comunicaçao que voce usou pra postar essa bobeira?!?
Henrique
ora como foi dito, Ministério da Ciência e Tecnologia é bem mais apropriado. "Comunicações", normalmente trabalha com regulação de radio, tv, telefone, correios... Tem a ver? oO
Fabrus
Só espero que se for importar não seja os XINGPADS de má qualidade com o "Android 0.9" com tela resistiva a tudo... principalmente ao toque....
Juarez Lencioni Maccarini
Na minha opinião um bom tablet com Android Honeycomb da Positivo poderia ser um produto e tanto para o governo dar todos os tipos de incentivo possíveis de forma que até mesmo as classes mais baixas tivessem acesso. Seria uma ferramenta de inclusão digital e tanto.
Gabriel Silva
É verdade, ah, que bom que você também mora no DF! :D
Silvério
É uma vergonha, ao invés de tentar proporcionar o que existe de melhor qualidade aos brasileiros (iPad e afins) querem empurrar tablet's genéricos, se depende-se do governo brasileiro (independente de partido) nós estaríamos ligando um Zeebo numa televisão Full HD. Governo brasileiro, coloque o que existe de melhor de tecnologia (iPhone, iPad, Galaxy Tab, etc) a um preço descente, na mão dos estudantes brasileiros, em 20 anos nós teremos pessoal e empresas qualificadas para fazer gadgets nacionais de qualidade.
André Machado
Considerando-se que você tenha uma cédula de identidade onde está escrito "República Federativa do Brasil", ela é a autoridade máxima de nossa nação independente de sua vontade. E cadê o outro comentário que eu postei agora??!!
André Machado
Concordo plenamente. Eu, por exemplo, por várias limitações técnicas e orçamentárias, tenho uma "banda larga" de 150K, Parece piada, mas é verdade. Em outras cidades, geralmente mais afastadas, nem isso chega. Que o Governo queira incentivar o consumo de produtos nacionais, tudo bem, afinal, é o trabalho dele. Mas quando os produtos nacionais, além de não estarem à altura dos estrangeiros, são motivo de piada entre os entendidos, é hora de repensar muitas coisas. Ou será que o Governo não sabe que os laptops e aquele leitor de e-books da Positivo são importados da Ásia mas com o seu nome gravado? Além disso, temos a questão do usuário: por melhor que seja, um notebook Positivo - e seu dono - vai passar vergonha entre outros da HP, Dell, Lenovo...
@EmanuelSchott
Sim, mas os impostos são somente uma parte do que faz esse tipo de produto ser caro no Brasil. Se convertermos o preço em dólar pra real, e acrescentar os 60% de impostos, o preço ainda fica longe do que é praticado aqui no BR. Como disse, alem de impostos, no Brasil a infra-estrutura é precária, principalmente de transporte e comunicação (ou vão me dizer que nossas estradas estão uma maravilha e que nossa banda larga e telefonia funciona que é uma beleza!!!). Isso acaba encarecendo o produto tb. Incentivar empresas nacionais como a Positivo a criarem porcarias não compensa. Tenho certeza que se esses critérios que citei fossem atendidos, até a Positivo conseguiria fabricar produtos de qualidade tão boa qnt Apple ou Samsung e mesmo assim manteriam o preço baixo.
Renyer
A Positivo está pensando em lançar um tablet este ano.
Exibir mais comentários