O Ministério Público do Rio de Janeiro está processando a Dell por ter se recusado a vender produtos para clientes que demonstraram interesse em viajar para Cuba ao serem questionados a respeito. A postura da empresa deve-se a manter a mesma política de embargo econômico a Cuba que a matriz americana pratica.

Segundo o promotor de justiça Rodrigo Terra, autor da ação, “o consumidor brasileiro não está obrigado a contribuir para o embargo. Isso é uma violação a vários artigos do Código Brasileiro do Consumidor,” disse ele.

Já segundo o professor de direito civil José Fernando Simão, da USP, ao limitar a venda, a Dell exerce “gerência indevida” na liberdade de ir e vir do consumidor, o que caracteriza “abuso de direito”.

Em 2007 a Dell teria exigido que o físico nuclear Paulo Gomes, da Universidade Federal Fluminense, assinasse um termo se comprometendo a não usar os equipamentos “na produção de armas de destruição em massa” e a não transferi-los a cidadãos de Cuba, Irã, Coreia do Norte, Sudão e Síria.

Com informações: Folha.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Jan
muito estranho isso! fiz questão de deixar meu comentário pois já adquiri 3(treis) notebooks da dell e em nenhum momento me fizeram tal questionamento.
JoseRenan
a imagem foi dez! Mas também o que a empresa tem a ver se os compradores vão ou não para cuba, isso não tem que interverir na compra! pelamor, é cada coisa!
Alexandre
Absurdo, nao sabia que isso acontecei por aqui.
kylefurtado
KKKKKKKKKKKK, vi a montagem agora. Mas, sinceramente? Acho ridículo esse embargo surgir até hoje.
Hernani
A montagem ficou muito boa ri muito. sobre o tema, as empresas levam muito a sério o embargo nos EUA, não sabia que isso se extendia até as filiais no Brasil
Guilherme Mac
A Dell estadunidense que se entenda com o governo dos EUA e seus fornecedores. A filial brasileira tem que seguir a legislação brasileira e se não está satisfeita que procure outro país (ou alguém acha que é o país que se deve adaptar a uma empresa privada estrangeira?).
elionw3
diz q eh gay que eles vendem. "Tem medo da repercussão"
@ThiagoCapuano
Gostaria de entender como que descobrem que alguém vai viajar a cuba após a compra.
@nelson_integra
A DELL está certa! A matriz americana da DELL e vários fornecedores de software e hardware que compõe os seus computadores seguem contratos de restrição a países considerados inimigos dos Estados Unidos. Prevê-se o risco desses computadores serem usados em Cuba. Se vocês lerem os contratos de software (Windows, Office, Delphi, etc), geralmente em inglês, e claro, quase ninguém lê, verá que está tudo lá: não pode usar em Cuba, Irã, etc, etc. A DELL está seguindo os contratos que assinou.
Vinicius Kinas
Fora que, é diferente aceitar uma licença que diz que eu não posso fazer determinada coisa, do que ter uma venda negada, como diz na matéria, por demonstração de interesse de fazer alguma coisa.
Vinicius Kinas
Honestamente? Não. Mas qual a ação que eles podem tomar caso essa regra seja desrespeitada?
Guilherme Mac
E não precisa nem viajar. Cientistas brasileiros já fizeram protestos pedindo boicote pq não se pode nem usar computadores Dell para fazer pesquisas, programas ou qualquer outra coisa que liguem direta ou indiretamente certos preceitos das "regras imperialistas" (ou seja, quem os EUA acham o mal do mundo).
Guilherme Mac
Só falta agora acabar com a venda casada de equipamentos e sistema operacional...
Breno Brito
o Fidell foi engraçado. hahaha! vcs estragaram a marca. Agora toda santa vez que eu ver a logo vou lembrar desse trocadilho e, consequentemente, desta notícia xD Pior q eu gosto da Dell... =X
Eduardo
Todos já assinaram esse term de compromisso uma vez... Ate para o iTunes se tem que afinar isso.......... O que êh uma grande besteira
Exibir mais comentários