Início » Arquivos » Inteligência Artificial » Este algoritmo que prevê interações humanas sabe o que você vai fazer no próximo segundo

Este algoritmo que prevê interações humanas sabe o que você vai fazer no próximo segundo

Com mais de 600 horas assistidas e muita inteligência artificial envolvida, o robô é 43% preciso (e isso é ótimo)

Jean Prado Por

Mais um item na lista de “coisas assustadoras que a inteligência artificial consegue fazer”. Pesquisadores do MIT conseguiram criar um algoritmo de inteligência artificial capaz de prever a interação humana. Ou seja, a partir da análise de um vídeo ou imagem, ele sabe dizer o que as duas pessoas envolvidas vão fazer depois: se beijar, abraçar ou apertar as mãos. Medo.

Robot-and-frank-arm-wrestle

O algoritmo usou a aprendizagem profunda da IA para entender como os humanos se comportam. Nesse caso, ele assistiu 600 horas de séries no YouTube, como The Office, Desperate Housewives e The Big Bang Theory. Isso dá cerca de 25 dias de maratona (!) — muito mais do que eu e você já conseguimos assistir de uma vez, provavelmente. Essas séries foram selecionadas com base na avaliação e porque mostram pessoas realizando ações bem cotidianas, como as do exemplo acima.

Todo o projeto durou cerca de dois anos, foi comandado pelo doutorando Carl Vondrick, que estuda visão computacional, e conseguiu até subsídio do Google. A intenção era criar um algoritmo que pudesse mimetizar a intuição humana e descobrir o que aconteceria depois que duas pessoas se conhecessem. Os vídeos foram convertidos no que eles chamam de “representação visual”, uma interpretação numérica dos pixels que o algoritmo pode ler e procurar por padrões.

No total, ele acertou 43% das vezes. Parece pouco, mas os robôs que já tentaram fazer isso antes conseguiram uma taxa de sucesso de no máximo 36%. Nós, humanos, também não somos perfeitos nesse aspecto: nossa precisão é de aproximadamente 71%. Os resultados podem ser vistos no vídeo abaixo. Como informado, é só dar um frame para o algoritmo que ele diz o que duas pessoas vão fazer logo em seguida. Logo no final, dá para ver que nem toda ação é previsível.

Mas qual é exatamente a utilidade disso? Em entrevista à Associated Press, Vondrick informou que pode ser usado para deixar o movimento dos robôs menos estranhos. “Pode fazer com que um robô se movimente de uma forma mais fluída ao seu redor. Por exemplo, ele não vai começar a colocar leite num copo se ele percebeu que você está tirando o copo da mesa”, disse.

Também existem aplicações médicas. Se o algoritmo consegue saber que um paciente vai desmaiar ou fazer algo letal a si mesmo, por exemplo, daria para ganhar alguns segundos e possivelmente evitar algo bem grave. Para melhorar a precisão, os pesquisadores vão continuar treinando o sistema. 600 horas pode parecer muito, mas, em dez anos de vida, nós adquirimos mais de 60 mil horas de experiência. Imagina se ele consegue acertar tanto quanto a gente?

Com informações: International Business Times.

The Next Big Thing

No Tecnocast 044, discutimos os usos e aplicações da inteligência artificial. Será que ela consegue ir tão longe como imaginamos? Quão rápida a inteligência artificial pode evoluir, exatamente? Também explicamos como ela funciona e quais empresas têm as melhores tecnologias. Vale apertar o play!

044

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

João Santana
Submarinos, viagens ao espaço exterior, veículos mais rápidos que o som, telefones digitais, tablets, microchips, tudo isso era ficção. Think about that.
leandrw
Você está ligado que cérebro positrônico e leis da robótica são só ficção né?
Moisés
Não consigo acessar o site
João Santana
Nada disso me assusta. Assusta não ver ninguém implementando as Leis da Robótica desde já.
Ricardo - Vaz Lobo
Genial e apavorante.
LuisLimaGV
na boa, eu acho q ainda vou ver robôs entrarem na mesma brisa de filmes iguais ao esterminador do futuro kkkkk