Ao lançar originalmente o Zune HD, a Microsoft disponibilizou o gadget apenas com as capacidades de 16 e 32 GB. Para alguns usuários, isso era mais do que o suficiente. Suas coleções de música e vídeos não ultrapassariam a quantidade disponível no dispositivo. Para outros, só o Zune de 80 GB seria o suficiente e ele foi um dos modelos retirados do mercado com a chegada do Zune HD.

Aparentemente a Microsoft não esqueceu desse público, só olhou pro outro lado enquanto eles reclamavam. A prova disso é que o site que lista os modelos do Zune HD agora exibe uma nova versão do media player, com o dobro da capacidade do seu modelo mais caro: 64 GB.

Zune HD 64 GB: ficção ou realidade?

Ao seguir o link, no entanto, um aviso de página não encontrada é mostrado na tela. Isso pode indicar uma das duas coisas: Ou o pessoal do marketing colocou o link no site e esqueceu de subir a página com o Zune HD 64 GB ou isso foi uma propaganda intencional para a Microsoft poder perceber o quanto seus clientes querem um Zune com maior capacidade.

Independente da existência ou não do novo modelo, o título desse post vai permanecer inverossímil enquanto a Microsoft continuar com sua política de vender seu único media player somente no mercado americano. Afinal vender produtos no menor número de mercados possível é uma ótima estratégia para aumentar os lucros. Até a Apple sabe disso.

[via Engadget]

[Atualização dia 31/03]: A Microsoft confirmou que o Zune HD de 64 GB é verdadeiro e passará a ser vendido no dia 12 de abril por US$ 350,00 (R$ 624,00). Devido a isso, as versões de 32 e 16 GB tiveram desconto de US$ 20,00. A empresa também disse que a firmware também será atualizada para a versão 4.5.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Fabiano
^^ Tava pensando de fazer a mesma coisa que vc =/ mas quero tanto um zune!
@ffpviana
Esse lance de ser restrito ao Mercado Americano é muito complicado. Eu comprei um ipod touch, porque não tinha o Zune HD a venda aqui no Brasil. #fail
Lucas Castro
Pra perceber quantos iam clicar no de 64, bastava contar os cliques. Não precisava mostrar um erro pro usuário. Falha de quem mantém o site.