A maior parte dos livros presentes na lista de mais vendidos do jornal americano New York Times vão custar dez dólares na loja de e-books do iPad. É isso o que o blog AppAdvice diz ter descoberto, citando uma fonte que não teria respeitado o acordo de confidencialidade que esses assuntos normalmente requerem.

Baratinho, baratinho.

Baratinho, baratinho.

Os top 5 da versão eletrônica do NY Times atualmente são Chelsea Chelsea Bang Bang (de Chelsea Handler), The Help (de Kathryn Stockett), The Silent Sea (de Clive Cussier e Jack Du Brul), Missing e Abraham Lincoln: Vampire Hunter. Todos são ofertados pela bagatela de US$ 9,99, o que dá menos de R$ 20.

Num total de 32 livros mais vendidos pelo jornal americano, apenas cinco não têm o preço de US$ 9,99. O mais barato sai por US$ 8,83, enquanto que o mais caro custa US$ 12,99 na iBookstore.

Modelo de negócios

Ainda de acordo com o AppDevice, o modelo de preços da Apple para a loja de e-books é bastante semelhante ao que hoje em dia é praticado na App Store: o responsável pelo produto pode definir o preço que quiser pelo livro, revista ou jornal. A Apple ficará com 30% do valor pago, enquanto que o produtor de conteúdo fica com os 70% restantes. A empresa de Steve Jobs vai ser responsável pelo armazenamento e transmissão dos conteúdos para o consumidor.

Livros de graça

Donos do iPad ainda poderão baixar livros gratuitamente. Não estou falando de e-books pirateados que são facilmente encontrados na internet, mas sim de publicações que já entraram em domínio público e que podem ser distribuídas gratuitamente.

A iBookstore teria acesso a todo o acervo do Projeto Gutenberg, com download imediato de mais de 30 mil títulos que estão disponíveis gratuitamente.

Quem não deve ter gostado muito dessa notícia é a Amazon e a gerência responsável pelo Kindle.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Thássius Veloso
"O Príncipe" está saindo por R$ 14,99 nas bancas. :F
Juarez Lencioni Maccarini
Maquiavel também? ;D #interna
Thássius Veloso
Esses livros normalmente já estão em domínio público e são tão baratos porque o consumidor paga apenas o custo de impressão e a pequena margem de lucro da editora. Grandes clássicos (Voltaire, Locke etc.) podem ser obtidos por esse valor em bancas de jornal.
Thiago Mobilon
Eu achei caro. Tem livro que custa R$9,90...