Início » Arquivos » Telecomunicações » Com média de 3,4 Mb/s, Brasil ocupa 89º lugar em ranking de velocidade de acesso

Com média de 3,4 Mb/s, Brasil ocupa 89º lugar em ranking de velocidade de acesso

Emerson Alecrim Por

Fibra óptica / cabo Ethernet

A Akamai liberou nesta quarta-feira (24) mais uma edição do State of the Internet, estudo periódico que avalia a capacidade de acesso à internet de mais de 200 países. Em relação ao Brasil, a pesquisa aponta discretas, mas consideráveis melhorias na qualidade das conexões.

O novo relatório é baseado em dados coletados no primeiro trimestre de 2015. Durante o período, o Brasil registrou média de 3,4 Mb/s (megabits por segundo) nas conexões à internet. No primeiro trimestre do ano passado, o país obteve média de 2,6 Mb/s.

Não deixa de ser um avanço importante, mesmo assim, não dá para comemorar muito: o Brasil permanece abaixo da média mundial que, no primeiro trimestre do ano, foi de 5 Mb/s. Isso faz com que o país ocupe, novamente, a 89ª posição do ranking global de velocidade criado pela Akamai.

Para o espanto de ninguém, a liderança da classificação está, outra vez, nas mãos da Coreia do Sul: a média de velocidade do país ficou em 23,6 Mb/s. Irlanda e Hong Kong aparecem na sequência com 17,4 Mb/s e 16,7 Mb/s, respectivamente.

Ranking global Akamai - Primeiro semestre de 2015

Em relação à América Latina, o Brasil ocupa a 8ª posição. O país perde para o Uruguai (média de 6,7 Mb/s), Chile (5,7 Mb/s), México (4,9 Mb/s), Argentina (4,6 Mb/s), Colômbia (4,5 Mb/s), Peru (4,5 Mb/s) e Equador (4,1 Mb/s).

Por aqui, há ainda outro complicador. A Akamai considera como banda larga apenas as conexões que possuem velocidade de 4 Mb/s ou mais. No Brasil, essa é a realidade de apenas 31% das conexões fixas à internet. Já a proporção de acessos que contam com taxa de pelo menos 15 Mb/s é de 0,5%.

Ranking global Akamai - Primeiro semestre de 2015

A boa notícia para nós é que a abrangência do acesso à internet aumentou 17% em relação ao primeiro trimestre de 2014 — a maior proporção de todo o ranking. Em outras palavras, há mais brasileiros com conexão à internet. A conclusão tem como referência a quantidade de IPs obtidos por cada país. O Brasil usou 48,1 milhões de endereços no início do ano, ficando atrás apenas dos Estados Unidos (151,8 milhões) e da China (127 milhões).

Ranking Akamai - endereços IP

Também houve medições referentes aos acessos móveis. Nos primeiros três meses do ano, o Brasil apresentou média de 2,5 Mb/s contra 1,8 Mb/s do trimestre anterior. Novamente, um progresso importante, mas que deixa claro que ainda há muito o que ser feito: somente 7,2% das conexões móveis do país têm 4 Mb/s ou mais de velocidade.

O relatório completo da Akamai está disponível aqui (PDF).

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sam86
A Telefonica não precisaria fazer grandes investimentos levando fibra ótica até a casa do cliente para melhorar a velocidade e qualidade do serviço. Pouca gente sabe mas já existe o sucessor do ADSL: o VDSL. Funciona na mesma infra (cabo de cobre) porém pode, teoricamente, alcançar até 50Mbps. Com VDSL a Telefonica levaria fibra até aqueles armários que ficam nas ruas dos bairros. De lá até a casa do cliente continuaria com os tradicionais cabos de cobre que já estão aí. O investimento não é tão alto quanto levar fibra até a casa de todos os clientes. A Algar Telecom (CTBC) está fazendo isso em Uberlândia/MG. Graças ao VDSL foi possível sair dos 4 Mbps que eu tinha antes para 20 Mbps, pagando mesmo preço de antes. Ainda é um preço alto (90$), mas pelo menos são 20 Mbps. ?
Ricardo - Vaz Lobo
Senhores, e aquela ideia de usar a rede elétrica para banda larga? Que fim levou? A promessa era no mínimo 50mbps. Ia ter wi-fi até no chuveiro.
Felipe Francelino
Bem verdade! Já contratei oi veloz via modem e era horrível na qual não havia cobertura 3g mas ao contratar a mulher disse haver ter. Paguei em 1 mês cancelei pois não prestava e como eu nao conhecia bem os meus direitos acabei pagando... E quem o diga também ao móvel péssimo ? em tudo.
Odarcy G. Ferreira Jr.
Acho que a questão aqui não é velocidade, mas sim preço pago, aí vamos para as primeiras posições....
Rogério
Pela extensão territorial, dinheiro para o Brasil não seria o problema. Sobre complexidade é só vc comparar o Brasil com outros Países, aqui não temos maremotos, terremotos , tempestades elétricas, tornados, furacões ou seja nenhum efeito da natureza que vai avariar uma instalação ou dificultar na mesma. Sobre a dificuldade de se passar uma fibra tomemos o exemplo de rodovias , ferrovias e linhas de transmissão de energia esses três elementos passa por vales, florestas, rios etc.. e diferente da linhas de transmissão de energia de alta voltagem a fibra não terá grande perda se desviar o máximo possível dos exemplos que vc citou. Passar cabos de Fibra óptica por aldeias não altera em nda a fauna e a flora, mas é claro que isso deve ser conversado nas aldeias e leva tempo. Ao contrário da solução do governo para a falta de energia no Sudeste que é a construção de uma represa no norte do País, o que seria pior? Isso pq nosso governo é "inteligente" Brasil País fluvial onde milhares de pessoas não tem água potável para tomar. Hao123 concordo com vc em certos pontos, mas o que a maior parte dos Brasileiros não sabem é que o territorio brasileiro é um dos lugares melhores do mundo e o Brasileiro não dá valor.
Hao123
O Brasil é um país complexo, em todos os sentidos. É óbvio que o custo benefício da fibra se pagaria a longo prazo, mas temos que levar em consideração, novamente, nossa vasta extensão territorial. Por vezes a fibra iria precisar passar por algum lugar tombado (como patrimônio publico/humanidade), aldeias indígenas, terras de quilombolas e muitas outras complexidades que você possa imaginar, isso sem contar os rios caudalosos, cidadezinhas sem estrutura pra um cabo de fibra sequer e muito mais. Por essa e por outras é que citei que o "nosso grande tamanho" é também "um grande problema". E só pra adiantar, em alguns casos não basta uma simples canetada, são anos de diálogo até que se chegue num denominador comum. Poderia citar o caso da Fibra ótica no Amazonas, que teve um percalço enorme por precisar passar por uma aldeia indígena.
Rogério
Não acredito que o tamanho do território brasileiro seja um problema, o custo de "passar" fibra é alto mas depois é só 'alegria', igualmente digo para ferrovias, o custo para aumentar nossa malha ferroviária é alto, mas a longo prazo pelo beneficio que trens trazem de levar milhares de toneladas acaba valendo este custo. Vejo problema mesmo só no governo que tira muito dinheiro em impostos e não quer fazer nda, e operadoras que ao ver como o governo trata os brasileiros querem fazer o mesmo. empurraram esse 4G de gambiarra no brasileiro por causa da COPA, agora com os alardes do 5G vai ser mais uma gambiarra para o povo brasileiro visto que o 3G aqui não funciona devido ao número limitado de ERBs. Não é possível pensar em um futuro usando ADSL por motivos de interferência e velocidade de upload baixa, e o incrível de tudo isso é que tem operadoras que oferecem conexões de fibra com 30, 40, 50 ou mais Mbps e uma taxa de upload que não representa nem 10% da de download.
Hao123
A Oi herdou as redes estatais e é de longe a que tem a pior infraestrutura, justamente por não fazer investimentos (já que ganhou uma rede de mão beijada). O resultado a gente observa na qualidade da conexão Oi Velox, que é um lixo em alguns lugares.
Emerson Alecrim
" E mesmo nos grandes centros urbanos..." Eu sou um exemplo: moro em São Paulo, capital, mas em um bairro mais afastado do centro. Fibra óptica até tem por aqui, mas para uso de empresas. Conclusão: tenho que usar ADSL e a infraestrutura de telefonia da região está há anos sobrecarregada, causando lentidão nas conexões e outros problemas.
Bruno
As empresas preferem pagar as "multas" da anatel e molhar a mão do pessoal grande da anatel do que investir em ampliação da cobertura e melhorar a qualidade do serviço. Pois a primeira opção fica mais barato pras teles.
Felipe Francelino
Esse oi veloz que não presta. Explica melhor o final pra mim por favor ?
Keaton
3.4Mbps? Nossa, isso é cerca de 25 vezes mais rápido que o 25Mbps da GVT...
Alberto Prado
Sim e pra piorar a nossa população é distribuída pelo território todo (salvo o caso do sudeste). Se fosse tudo concentrado na costa igual na China seria bem mais fácil chegar a todos. O governo deveria incentivar empresas a passarem fibra óptica pelo Brasil pra pudesse vender banda pra pequenos provedores no interior, para ter mais concorrência.
Hao123
Antes que os vira-latas venham uivar: O Brasil tem proporções continentais, e isso corrobora bastante pra que áreas inteiras fiquem "isoladas digitalmente". E mesmo nos grandes centros urbanos, as empresas de telefonia e internet tem uma extrema má vontade em expandir seus serviços, e só os fazem quando há determinações judiciais ou multas. Edit: fora a estrutura precária de algumas teles que herdaram as redes antigas (antes da privatização) e até hoje usufruem da mesma. OI VELOX, estou falando de você
Weverton Acacio
Então não é - Com média - e sim - Comédia.