Você gastaria dinheiro para assistir a vídeos antes das outras pessoas? Essa é a proposta do Vessel, serviço de streaming de Jason Kilar, ex-CEO do Hulu. Cobrando US$ 2,99 por mês, o Vessel foi lançado publicamente nesta terça-feira (24) e oferece aos assinantes acesso antecipado a vídeos que serão futuramente publicados em outros serviços, como o YouTube.

A ideia é que os criadores de conteúdo que já publicam seus vídeos em outros serviços de streaming passem a priorizar o Vessel, enviando o material com antecedência. Mas como o Vessel vai conseguir isso? Pagando mais. Quando o serviço foi apresentado pela primeira vez, em dezembro, o Vessel informou que pagaria em média US$ 50 por mil visualizações — bem mais que a média do YouTube, de míseros US$ 2,20.

vessel

Esse dinheiro virá de duas formas: 60% da receita com as assinaturas e 70% dos ganhos com anúncios serão compartilhados com os criadores de conteúdo. Em outras palavras, isso também significa que, mesmo sendo um usuário pagante do Vessel, você não irá se livrar das propagandas: comerciais de 5, 15 ou 30 segundos aparecerão antes da exibição dos vídeos.

O sucesso do Vessel, provavelmente, dependerá da qualidade do conteúdo e da estratégia de marketing do serviço — com US$ 75 milhões em investimentos, talvez isso não seja um grande problema. Por enquanto, o Vessel possui vídeos de publicações como Vox, IGN e Time, além de canais e redes conhecidas do YouTube, como Unbox Therapy, linustechtips, Machinima e VEVO.

Como ninguém (e talvez nem o próprio Vessel) sabe ao certo se as pessoas estão realmente dispostas a pagar para ver um vídeo com dois ou três dias de antecedência, o serviço está oferecendo 12 meses de conta gratuita para quem se inscrever nesses primeiros três dias. Você poderá assistir aos vídeos na interface web e no aplicativo para iOS; uma versão para Android foi prometida para os próximos meses.