Início / Arquivos / Internet /

Google vai coibir “conteúdo adulto” no Blogger

Emerson Alecrim

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Apesar da existência de sites especializados ou de utilização mais fácil, o Blogger continua sendo bastante usado para pornografia. Um amigo meu que disse. Mas o Google quer acabar com isso: a partir de 23 de março, a plataforma não permitirá mais a publicação de imagens e vídeos sexualmente explícitos.

Os posts no Blogger que já contêm conteúdo adulto não serão eliminados. No entanto, seus responsáveis estão sendo avisados que, na referida data, esses materiais serão tratados como privados, ou seja, somente proprietários e pessoas com as quais os blogs foram compartilhados poderão acessá-los.

Só há uma forma de evitar que um blog nessas condições seja marcado como privado: eliminar todas as imagens e vídeos de sexo antes que a nova política entre em vigor. Como essa ação pode significar o fim do blog, a própria empresa sugere a exportação de todo o conteúdo por meio do Google Takeout.

Raio x - conteúdo adulto

A companhia também ressalta que material com nudez que possui contexto artístico, educacional, documental ou científico continuará sendo aceito sem restrições. O problema é que, não raramente, essa postura dá margem para interpretações ambíguas, o que nos faz questionar se o Google conseguirá evitar “injustiças”.

Mas a pergunta que fica mesmo martelando na mente é: com o Blogger pertencendo ao Google há anos, por que só agora a empresa está restringindo conteúdo “NSFW” na plataforma?

Pode não ser convincente, mas um porta-voz da companhia explicou que a medida faz parte de um alinhamento das condições de uso do Blogger com as rígidas políticas que a empresa adota em seus demais serviços, como o YouTube e o Google+.

Resta saber se o Google terá êxito em coibir as publicações em questão. Tarefa fácil não é, vide o exemplo do Yahoo: em 2013, a companhia anunciou medidas para remover postagens adultas no Tumblr dos mecanismos de busca, mas continua sendo fácil encontrar essas páginas. Pelo menos é o que aquele meu amigo afirma.

Com informações: The Next Web