A Netflix segue aumentando a quantidade de países em que atua. Até aí, nenhuma surpresa. O que ninguém esperava, pelo menos não tão prontamente, é que a companhia fosse oferecer seus serviços em Cuba. O anúncio da chegada da empresa à ilha foi feito nesta segunda-feira (9).

Com a iniciativa, a Netflix se torna uma das primeiras empresas norte-americanas a ingressar em Cuba após a reaproximação econômica e comercial do país com os Estados Unidos.

O valor da assinatura em Cuba será o mesmo que a Netflix cobra atualmente dos usuários norte-americanos: US$ 7,99 por mês com pagamento via cartão de crédito internacional. A companhia promete disponibilizar um vasto acervo de títulos conhecidos, além de produções que levam a sua marca, como House of Cards e Orange is the New Black.

Só há um “pequeno” problema: hoje, somente 25% da população cubana acessa a internet de alguma forma. Para piorar, as conexões locais são caras e lentas na maioria esmagadora dos casos.

Cuba + Netflix

Decerto que as “pazes” com os Estados Unidos ampliarão os serviços de acesso à internet em Cuba, mas isso não acontecerá da noite para o dia.

É necessário levar em conta ainda que boa parte dos cubanos vive com condições financeiras bastante desfavoráveis, o que dificulta, obviamente, a aquisição de computadores, TVs e outros equipamentos para entretenimento.

Estes fatores farão com que a companhia tenha uma base diminuta de clientes em Cuba. Presume-se, portanto, que a decisão da empresa de chegar a este mercado tenha fins simbólicos – ajudar a Netflix a transmitir uma imagem de empresa global, por exemplo.

No anúncio oficial, o CEO Reed Hastings também sinalizou interesse por produções cubanas: “Cuba tem grandes cineastas e uma cultura artística robusta; esperamos um dia trazer seus trabalhos para a nossa audiência global de mais de 57 milhões de membros”.

A Netflix já está presente em 50 mercados, aproximadamente. Mas não é o suficiente. Em janeiro, a companhia revelou um audacioso plano: oferecer streaming em 200 países até 2017.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Bruno Silveira
Legitima estrategia para a Netflix ficar com imagem de "empresa cool"
Lídison Santos
kkk Marco. Cuba não é bagunça! kk
Antônio Cesar Moraes
Pois é. Complicado...
Marco Pacheco
Na verdade só um cabo passa pela ilha, os demais não justamente para evitar que fosse feitauma conexão pirata no cabo.
Marco Pacheco
Se não sabia de nada é bom voltar pra escolinha e começar a ler um cadinho mais. Ô gente desinformada! p.s.: estive em cuba faz menos de 1 ano e vi um pouco do melhor e do pior de Cuba.
YagoG.
Pelo menos a gente sabe que eles vão conseguir pagar a conta.
Lídison Santos
Sim. E o Brasil já tem uma parte nessa nobre colaboração. O Porto!
YagoG.
Oxe, você não está vendo as últimas notícias não? Essa política está se extingüindo. Daqui a pouco Cuba vai ser melhor do que o Brasil.
edw
Nem sabia que em Cuba tinha eletricidade, dirá televisão. Lá pelo século XXIII descobrirão o modem, aquele discado
Lídison Santos
Tecnicamente sim. Mas duvido que comercialmente, pela política comunista que prega um socialismo porco sem direitos.
Lídison Santos
kkk Verdade!
Luander Falqueto Beltrame
Aqui já é o Dobro? Quem dera, ta mais pro triplo, 2,81 no momento :/
Guilherme C.
Uma coisa não tem a ver com a outra. Uma coisa é o governo, as mentiras, etc, etc, etc, e outra é o FIES, que é importantíssimo. Se abrissem os comentários, eles precisariam ser sobre o FIES, da importância dele e do pq não pode acabar, não sobre o governo genericamente, o político A, o político B, a família ou o cachorro.
YagoG.
Os cabos das américas passa por cuba, talvez a oferta lá seja bem melhor que o Brasil. E por ser uma ilha pequena, a média fique, em poucos anos, melhor que aqui.
fernandohr
Fidel não curtiu isso
Exibir mais comentários