Início » Arquivos » Computador » z13: novo mainframe da IBM pode processar 2,5 bilhões de transações por dia

z13: novo mainframe da IBM pode processar 2,5 bilhões de transações por dia

Emerson Alecrim Por

Se engana quem pensa que mainframes são coisa do passado. Estes equipamentos continuam sendo muito relevantes para aplicações com alta demanda de processamento. Não é à toa que a IBM passou os últimos cinco anos trabalhando em um novo modelo: o z13, que tem capacidade para lidar com 2,5 bilhões de transações por dia.

A novidade é cercada de outros números grandes. A IBM afirma, por exemplo, que o mainframe é equipado com o “microprocessador mais rápido do mundo”, embora não tenha especificado qual. Provavelmente se referindo aos servidores atuais disponíveis no mercado, a companhia assegura também que o z13 possui “três vezes mais memória” e o “dobro de largura de largura”.

Parece uma geladeira do futuro, mas é o IBM z13

Parece uma geladeira do futuro, mas é o IBM z13

Há mais um número que impõe respeito: o desenvolvimento do projeto levou à obtenção de 500 patentes pela IBM, muitas delas relacionadas a técnicas de criptografia. Não é surpresa, portanto, que a capacidade de cifrar transações em tempo real seja outro destaque do mainframe.

Este poderio todo tem um alvo bem específico: o z13 foi projetado para lidar com transações móveis. Não é uma escolha aleatória. A IBM estima que, até 2025, smartphones, tablets e afins responderão por 40 trilhões de transações por dia no mundo todo.

Em relação ao usuário comum, a IBM dá a entender que o z13 viabilizará transações (compras online, principalmente) seguras e rápidas. Para empresas, além da alta capacidade de processamento e da criptografia, as vantagens estão nas análises que o equipamento pode fazer para apontar tendências de consumo ou comportamentos, por exemplo.

Infelizmente, a companhia deixou sem resposta a pergunta que deve estar martelando na sua cabeça agora: qual é o preço do z13? Pouca coisa é que não é, certamente: além de estarmos falando de uma máquina com altíssimo desempenho, a IBM gastou US$ 1 bilhão para desenvolvê-la.

Com informações: TechCrunch

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lucas Timm
Mainframe IBM nunca rodou com AIX. AIX é o UNIX da IBM, para a linha IBM Power System (antigo System/P). Os mainframes são a linha Z System (antigo System/Z), que pode rodar com z/OS, z/VM, z/TPF, Linux ou algum sistema legado -- OS/390 por exemplo. E sim, tem muuuuita coisa rodando com AIX ainda. :)
Joao
“dobro de largura de largura”. seria o dobro de largura de banda (memory bandwidth)
Les Claypool
Mas roda Crysis?
Augusto
Aguardando o review.
LifelessNewt
Um Mainframe não é vendido como um servidor, o que é "vendido" é a utilização de CPU's dele ou volume de dados processados. E isto não é para qualquer cliente, a IBM escolhe a dedo entre os grandes parceiros mundiais quem pode "ter" ou não um Mainframe desse porte.
Felipe Daldegan
Alguns clientes ainda usam o AIX, pode apostar... ;)
Diego F. Duarte
Um video q eu vi, um S390 levou um pouco mais de 5 minutos, e o procedimento de startup era quase q completamente manual (primeiro a chave do processador, depois eeprom, depois discos...). Hoje usam somente z/OS e suas extensões, como o CIC. O Aix praticamente morreu!
Diego F. Duarte
Aguardando alguem perguntar sobre o pq a IBM ainda fabrica os big irons...
Trovalds
Ligue e esqueça. Equipamento pra funcionar por 30, 40, 50 anos praticamente sem precisar desligar ou reiniciar. Aliás ainda tem muito mainframe com idades próximas a isso funcionando firme e forte, com sistemas em COBOL que dão muita surra em equipamentos e tecnologias recentes. Curiosidade minha: quanto tempo leva pra ligar um bicho desses, será? O último que eu vi de perto tem cerca de uns 15 anos de idade e levava 50 minutos aproximadamente para estar a pleno funcionamento. Outra curiosidade: será que ainda usam o AIX nesses equipamentos?