Estamos mais pertos dos sonhados SSDs de altíssima capacidade. Em uma conferência com investidores realizada recentemente, a Intel revelou que começará a produzir chips Flash NAND 3D a partir de 2015. Aliada a técnicas avançadas de produção, a tecnologia permitirá a fabricação de SSDs capazes de suportar 10 terabytes ou mais.

O “3D” no nome da tecnologia faz alusão ao empilhamento vertical de múltiplas camadas de células de armazenamento, como se estas formassem cubos ou blocos. A tecnologia da Intel, fruto de uma parceria com a Micron, permitirá o empilhamento de até 32 camadas.

Flash NAND A Samsung explora esta técnica há alguns anos e já consegue produzir chips NAND 3D com 32 camadas. A Intel argumenta, em contrapartida, que a sua tecnologia será mais vantajosa por proporcionar o dobro de capacidade por bloco.

Os chips atuais da Samsung oferecem densidade de até 128 gigabits. Já os da Intel terão até 256 gigabits em chips flash MLC (armazenam dois bits por célula) e 384 gigabits em memórias TLC (três bits por célula). É uma diferença importante, embora nada impeça a Samsung de aumentar a densidade de bits em um futuro próximo – a próxima geração da sua tecnologia deve ser apresentada também em 2015.

De acordo com a Intel, os números generosos de seus chips possibilitarão a fabricação de unidades SSD com pelo menos 10 TB de capacidade dentro de um prazo de dois anos.

É uma visão de futuro empolgante, certamente, mas ainda um tanto nebulosa. Não está claro, por exemplo, se estas unidades serão baseadas nos chips que serão produzidos a partir de 2015 ou se terão como base gerações posteriores da tecnologia, o que é mais provável.

Intel Flash NAND 3D

Além do processo de armazenamento em si, a Intel precisa, por exemplo, desenvolver (ou obter de algum parceiro) controladores que permitam à unidade trabalhar eficientemente com tamanha capacidade de armazenamento.

De qualquer forma, as unidades de alta capacidade, se realmente lançadas no tempo previsto, deverão atender inicialmente aos mercados de servidores e aplicações corporativas, até porque, a despeito do maior poder de armazenamento, estes produtos serão tudo, menos baratos ao consumidor final.

Para 2015, é de se esperar que a tecnologia NAND 3D da Intel viabilize a produção de SSDs com capacidades que já são oferecidas atualmente, mas com alguns diferenciais – menor espessura, por exemplo.

Com informações: ExtremeTech, AnandTech

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Igor Costa
Estranho você dizer que não vive com apenas 1/2 TB e no entanto não está usando nem 500 GB.
Igor Costa
Caramba, e eu que me achava um consumidor de espaço. Haha. Brincadeiras a parte, isso varia muito mano. Acho que a massa em si não chega a consumir tanto. :-)
Igor Vitor
Verdade, eu possuo 5Tb de armazenamento no meu pc, e tenho algunS Hds externos cheios tbm rs. (sim eu guardo tudo =D, backup é vida )
Cachorro Loucobr
Você acha que todo mundo é mortal? hehehe Eu não consigo viver com apenas 1 ou 2TB. A capacidade DISPONÍVEL, atualmente, no computador, é de 4TB. Por favor, na próxima vez, fale apenas por você.
Thiago
Então... mas aí você está imaginando um futuro onde o software não sofreu uma evolução como quando ainda tínhamos Windows 3.11 "for Workgroups", DOS 6.22 e etc (ocupavam ~20MB em disco) e agora estamos no Windows 10 com seu requisito de 16GB livres, com sua evolução no controle por voz e gestos (com o Kinect ou Leap Motion). O que eu vejo é que o modo de processamento atual linear (tentando ser paralelo com os processadores multi core - tentando, porque eles ainda dependem de um controle linear para não haver sobreposição de informações) está se tornando ultrapassado para as necessidades modernas, talvez por isso a computação quântica está surgindo pelas beiradas. Mas sim, quanto mais o controle de voz e gestos, assim como o avanço da previsibilidade, onde o computador tenta prever sua próxima ação e adiantar ela para você, mais espaço será ocupado. Assim como toda a arquitetura terá que evoluir em conjunto, pois cada vez mais dados trafegam pelas redes.
Michel Conrado Diz
PS. Observe que enquanto escrevo analiso o que escrevo. Mas não foge a resposta para a sua afirmação comparativa do passado. "Cara" hoje é um mundo completamente diferente que aquele. Hoje podemos mensurar o quanto de dados podemos "criar". Não há atual e a curto prazo necessidade absurda de memória ou armazenamento para um usuário caseiro. Só se um dia seu arquivo de Word for tão complexo que não caiba em um pendrive de 64GB. O que é um absurdo. Eu vejo que precisaremos de muito espaço e memória quando tivermos uso grandioso de SO (Sistema Operacional) de imersão. Com uso de realidade virtual. Coisas como Oculus Rift e um futuro quase CyberPunk esteticamente falando. Porém se continuar tudo como está. SO com uso do bom e velho mouse, assistir Youtube a 8K, baixar filmes a 8K e etc. Não precisaremos de nada mais que um PetaByte. Talvez muito menos de 1TB pra manter o SO e programas abertos. O futuro meu caro eu acho que será simplificar Sistemas e programas. Então é bem remota mesmo a ideia de precisar de tantos Teras ou Petas.
Edmilson_Junior
Muito obrigado pelo nome, eu estava procurando só por HD ODD e na minha lista já tinha favoritado o mais barato que achei sata/sata que estava 75, vou economizar o
Jobles
O nome é "Adaptador Caddy Sata/Sata", dá pra encontrar por 25 reais + frete no ML e por menos de $10 no ebay/Aliexpress já com frete
Felipe Silva
Da uma olhada na marca Avell.
Edmilson_Junior
Sim, eu não sabia o nome do Adaptador e nem se realmente existia, baseando-me no site da Avell eu aprendi o nome, já escolhi o modelo e pretendo adicionar um Kingston SSDNow V300 SV300S37A 120 GB Interno. Tenho um HD de 750GB e agora é descobrir se faz alguma diferença no desempenho em usar internamente ou no HD ODD.
Edmilson_Junior
Era esse mesmo, obrigado! Vou usar ele no futuro mas por agora preciso entender melhor oque é mSATA e HD ODD pois parece que dá para tirar o drive de CD e por outro HD, algo que há muito tempo desejo pois não uso o Drive de DVD faz muito tempo.
Felipe Teodoro
deve ser os Notebooks da Avell.
Thiago
Cara... O mesmo foi pensado quando foram lançados os primeiros HD's de 1GB... Na época os de 512MB já eram muito! E veja só hoje hehehe
Les Claypool
Isso é relativamente fácil, basta substituir o drive de DVD por um adaptador de disco (HDD 2,5 ou SSD). O adaptador não é caro e isso já é bem difundido.
Igor Costa
Essa imensa capacidade deve, inicialmente, começar a se aplicar em servidores para um ganho de desempenho e barateamento para nós, míseros mortais, que podemos viver muito bem com uma memória de seus 1-2 TB né? Acho que seriam muito poucos os usuários finais que fariam questão de ter uma capacidade de armazenamento como essa em seu computador domestico. Logo essa notícia soa mais como uma ponte para algo do tipo "Em breve você vai poder ter um HD em SSD de 1 TB sem gastar muito".
Exibir mais comentários