Início » Baú » Telecomunicações » Um circuito simples capaz de dobrar a largura de banda de dispositivos móveis

Um circuito simples capaz de dobrar a largura de banda de dispositivos móveis

Emerson Alecrim Por

Um fator que afeta significativamente a largura de banda dos celulares nas redes móveis é o modo de transmissão: os aparelhos precisam alternar entre envio e recebimento de dados para evitar interferências em seu próprio sinal. Mas esta limitação poderá ficar no passado: pesquisadores da Universidade do Texas afirmam ter desenvolvido uma solução simples para o problema.

Sob liderança do professor Andrea Alù, o grupo criou um circuito que permite comunicação full-duplex, ou seja, que possibilita o envio e recebimento de sinais pelo mesmo canal de maneira simultânea.

Em termos práticos, este modo significa que o smartphone consegue, por exemplo, receber dados de uma torre de celular ao mesmo tempo que envia informações. Como resultado, a velocidade de transmissão pode simplesmente dobrar (é claro que este aspecto pode depender de outros fatores, de qualquer forma, há um ganho considerável de banda).

O truque está em uma técnica engenhosa, mas não necessariamente nova: o uso de um tipo de circuito conhecido como circulador, componente já bastante utilizado em sistemas de radar, por exemplo.

Olha o circuito aí

Olha o circuito aí

Basicamente, o circulador isola o sinal que entra do sinal que sai, evitando que um gere intercorrências no outro. Para tanto, o circuito trabalha com rotas únicas, por assim dizer: o sinal que entra pela porta 1 sempre sai pela porta 2; o sinal que entra pela porta 3 sai pela porta 4; e assim se segue.

No circulador criado por Alù e equipe, há uma “rotatória” de três vias. Os sinais podem entrar e sair por qualquer uma delas, mas mecanismos chamados “ressonadores espaçados” os fazem trafegar sempre no mesmo sentido. Este modo permite a devida diferenciação dos sinais enviados e recebidos e, consequentemente, o seu isolamento.

O circuito desenvolvido se baseia apenas em componentes convencionais. Não há imãs ou artefatos mais sofisticados, portanto, os custos acabam sendo baixos.

Para completar, o circuito original tem cerca de 2 centímetros de largura, mas a sua simplicidade permite miniaturização em níveis suficientes para integrá-lo a dispositivos móveis. Sequer é necessário fazer mudanças complexas no design interno do aparelho – pode-se até posicionar o circulador como uma peça independente próxima à antena.

Se o circuito é tão vantajoso assim, será que logo mais o teremos em smartphones e afins? O projeto é um avanço e tanto, certamente, mas pode demorar um pouco para sair dos laboratórios: fabricantes interessados precisam avaliar, por exemplo, o impacto de transmissões full-duplex no consumo de energia do aparelho.

Com informações: ExtremeTech, MIT Technology Review

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Caio Oliva
@disqus_HS6QtrqJYG:disqus, agora sou sim. Tenho o Claro Online de 10gb de franquia, 200 minutos. Mas já fui Pré e Controle, tanto da Vivo quanto da Claro. E essa velocidade, de 90 mega, foi um pico usando um pré-pago de 60 centavos. O problema é que a franquia ia embora só com um teste, hehe. Mas geralmente a Claro bate na faixa de 60 mega. Mas mesmo sendo pré tem todos os direitos.
Jedielson Almeida
é sim, como toda nova tecnologia rsrs :x
llllllllllll
Você é cliente pós-pago? Qual seu plano?
AMULET
legal
Caio Oliva
Tem um gasto por um lado e um ganho em outro, né ? Hehe
Caio Oliva
É... Eu, pelo menos, ainda não preciso disso. To satisfeito com os meu 4G da Claro que me proporciona downloads de 6 a 8 mbps. Sempre batendo 65~80 mega de internet com sinal bom e sinal fraco 20~25. Mas vai servir pras redes 3G, 4G da Vivo lerda, e pra muitos outros países. Mas quando o LTE da Claro estiver congestionado, daqui muitos anos, vai ser útil essa placa. Por que eu duvido que ela se popularize tão cedo, kkk. Obs: O de 10.10 é o da vivo que não passa disso, devido o bandwidth control.
Jedielson Almeida
Que maravilha! O consumo aumentará sim, mas creio eu, que possa se achar um meio termo pois com o "dobro" da largura de banda seria necessário metade do tempo para transferir uma certa quantidade de dados, por exemplo, evitando que fique transmitindo sem necessidade e consumindo energia.