Início » Arquivos » Legislação » Procon-SP: computadores e celulares são as categorias mais reclamadas no 1º semestre

Procon-SP: computadores e celulares são as categorias mais reclamadas no 1º semestre

Emerson Alecrim Por

Computadores e telefones celulares. No primeiro semestre de 2014, estas foram as categorias que mais receberam queixas referentes a defeitos no Procon-SP. É o que aponta um relatório divulgado pela entidade nesta quinta-feira (4).

O documento revela que, no período informado, fabricantes de computadores e produtos de informática receberam 1.980 reclamações. Queixas referentes a telefones celulares surgem logo atrás, como 1.874 registros.

Produtos da chamada linha branca (eletrodomésticos) aparecem na sequência com 1.370 queixas. Televisores são a quarta categoria mais reclamada, com 762 registros.

Em relação a computadores (desktops e laptops), o grupo Lenovo / CCE figura como o principal alvo de reclamações. Foram 829 queixas, sendo que somente 61% delas foram resolvidas. A diferença é gritante para a segunda colocada, a Positivo, que teve 159 reclamações, mas resolveu 70% delas.

Lenovo / CCE: a mais reclamada

Lenovo / CCE: a mais reclamada

Na categoria de celulares, aparelhos da Samsung são os que mais geraram reclamações. Foram 571 registros contra 297 da segunda colocada, a Motorola. Mas a companhia coreana foi a que apresentou maior índice de resolução: 95%. O índice da Motorola é de 87%.

Nokia, LG e Lenovo / CCE também aparecem nesta listagem com 190 (84% de resolução), 172 (93%) e 128 reclamações (67%), respectivamente.

Por conta do período eleitoral, o Procon-SP não divulgou em seu site mais detalhes a respeito do relatório, como costuma fazer, mas é claramente perceptível que os problemas no pós-venda continuam significativos no Brasil, por mais rigoroso que seja o Código de Defesa do Consumidor.

Em nota, a Lenovo / CCE, que também lidera as queixas na categoria de televisores (165 reclamações com somente 60% de resolução), informou que “tem intensificado seus investimentos na área de atendimento ao consumidor”. Uma das medidas é a criação de um centro de reparos na fábrica da companhia em Itu, interior de São Paulo.

Com informações: Agência Brasil

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Petter
O que realmente fiquei de cara foi o fato do tal mediador somente se preocupar em multar para próprio benefício a empresa ao invés de estimular o acordo entre as partes. Nem que multe a empresa posteriormente, mas eu como consumidor perdi tempo, me stressei correndo atrás de provas e no final o PROCON só procura o próprio rabo.
Guilherme C.
Eles podem negociar individualmente em casos específicos, mas a função é diferente da justiça. A importância dele é como algo coletivo mesmo, pois eles tem poder de polícia pra fiscalizar e multar (tem poder administrativo) sem provocação de qualquer pessoa.
Petter
O detalhe mais importante é que o PROCON é totalmente inócuo, já procurei-o diversas vezes e se a empresa simplesmente ignorar eles não "podem" fazer nada e te aconselham a entrar em contato com um advogado. Então para que existe o PROCON?
Felipe Ferreira
Bem lembrado, tinha me esquecido que a verdadeira linha da Lenovo é outra história. Esses que são vendidos aqui nem se sabe da onde vem né...ou melhor, até se sabe mas..
Rafael Machado de Souza
eu tenho esse ultrabook S400 e é umas das melhores aquisiçoes que fiz na minha vida!
Eric Viana
Começou Comprando Errado
Landrutt
Não foi a Lenovo que arrastou a CCE e sim o contrário. Os computadores genuínos LENOVO são muito bons, pelo menos digo isso baseado na minha experiência com eles. Eu e meus sócios temos 4 notebooks Lenovo (todos modelo G485) para uso exclusivo dos assistentes e estagiários no nosso escritório tem exatamente três anos e nunca deram problema algum. Minha mãe tem um Lenovo S400 e é outro caso de boa máquina. Em compensação, os dois All-in-one que compramos recentemente para substituir as máquinas das recepcionistas, CCE, são verdadeiras porcarias e pelo visto não vão durar muito tempo sem dar problemas graves.
Guilherme C.
Internacionalmente a Lenovo (know how IBM) está na frente da HP e Acer.
Felipe Ferreira
Minha mãe comprou uma bomba dessas da CCE, não deu outra, em 2 dias o teclado ficou zoado, ela devolveu o notebook e pegou seu dinheiro de volta, eu só fiquei sabendo tarde demais, senão teria recomendado outro. A 3 anos, a Positivo era a líder no ReclameAqui, agora até a Lenovo conseguiu tomar a lugar dela, e ainda arrastou o CCE junto, e a Positivo é que resolve a maior parte de tudo, mas ainda continuo com a pulga atrás da orelha..
Pedro Campelo
Insira sua piada sobre a sigla CCE aqui
Emerson Alecrim
O problema é que o Procon não tem acesso ao volume de vendas de cada empresa. É por que isso que a entidade divulga a porcentagem de resoluções. Níveis altos sugerem boa vontade da fabricante em atender à queixa, ainda que o ideal fosse que o consumidor não tivesse que recorrer ao Procon.
Alisson Silva
Material vagabundo para fazer aparelhos mais baratos = maior incidência de defeitos.
Guilherme C.
Seria interessante ver os índices proporcionais às cotas de mercado. Senão dá uma má impressão da realidade. É como dizer que a Gurgel é melhor do que a BMW, pois o índice de reclamação da BMW é maior como um todo. Mas o curioso é ver os dados do Reclame Aqui qto à resolução dos casos. Um exemplo é a Dell, q praticamente não revolve nada, mas Positivo sim, o q contraria o senso comum: - http://www.reclameaqui.com.br/indices/605/dell-computadores-do-brasil/ - http://www.reclameaqui.com.br/indices/5034/positivo-informatica/