Início / Arquivos / Internet /

Facebook faz mudanças para acabar com os posts caça-cliques no seu feed de notícias

Paulo Higa

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

O Facebook faz mudanças regularmente no algoritmo do feed de notícias para tentar melhorar a qualidade do conteúdo exibido. Depois de diminuir o peso dos memes e aumentar a quantidade de notícias, o alvo desta vez são os clickbaits, posts que induzem o usuário a clicar em um link para acessar páginas externas, que raramente oferecem conteúdo realmente útil.

Chamadas como “Você não vai acreditar no que aconteceu com esta mulher” ou “Este vídeo vai fazer a sua cabeça explodir” são típicos exemplos de posts caça-cliques. Eles costumam atrair a atenção porque, como são bastante clicados, tendem a aparecer para mais pessoas, gerando um efeito viral no Facebook. Quem gera esse tipo de conteúdo também acaba se beneficiando com o aumento de receitas publicitárias.

Você não vai acreditar no que vai acontecer com este post depois desta imagem

Você não vai acreditar no que vai acontecer com este post depois desta imagem

Mas é claro que as pessoas não clicam nesse tipo de conteúdo porque gostam: de acordo com a pesquisa do Facebook, em 80% do tempo os usuários “preferem chamadas que os ajudam a decidir se querem ler o artigo inteiro antes de clicar no link”.

Para determinar se um post é caça-cliques ou não, o Facebook vai analisar alguns fatores, como o tempo gasto para ler o conteúdo. Se uma pessoa clicar no link e imediatamente voltar para o Facebook, isso provavelmente significa que ela não encontrou o que queria — e, portanto, é provável que este seja um clickbait. Caso isso aconteça com frequência, o post terá menos peso no feed de notícias.

Outro ponto a ser considerado pelo Facebook é a interação com o conteúdo. A ideia da rede social é que, se muitas pessoas clicaram em um link, mas poucas curtiram ou compartilharam o post com seus amigos, provavelmente o conteúdo não é muito importante.

De acordo com o Facebook, um pequeno número de páginas que publicam frequentemente conteúdo caça-cliques irá perceber uma queda no alcance dos posts “nos próximos meses”. A sociedade agradece.