Início / Arquivos / Antivírus e Segurança /

Snowden afirma que funcionários da NSA espiam e compartilham entre si fotos íntimas interceptadas

Giovana Penatti

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Mais revelações de Edward Snowden ao The Guardian foram feitas nesta semana: em uma entrevista que teve sete horas de duração, o ex-funcionário da Agência de Segurança Nacional americana, a NSA, afirmou, entre diversos outros tópicos, que os funcionários compartilham entre si fotos íntimas interceptadas pelo programa de vigilância da empresa.

Segundo Snowden, jovens entre 18 e 22 anos são os que mais fazem isso, provavelmente por conta da imaturidade. “Eles de repente foram colocados em uma posição de extrema responsabilidade em que têm acesso a todos os seus registros privados”, explica.

Então, quando encontram algo como uma foto de alguém nu ou em uma “situação sexual comprometedora”, é comum mostrarem a um colega de trabalho, que envia a outro e assim repetidamente. “Isso nunca é denunciado. Ninguém sabe, porque a auditoria dos sistemas é extremamente fraca”, denuncia Snowden. “O fato que registros de seus momentos íntimos foram tirados foram tirados do seu fluxo de comunicação privado e dados ao governo sem autorização ou necessidade é uma violação dos seus direitos”.

Edward Snowden Gives First Interview In Russia

Em outros momentos da entrevista, ele falou sobre como está sua vida atualmente, afirmando que não pretende voltar para os EUA tão cedo pela impossibilidade de um julgamento justo, mas que, como já disse anteriormente, está em paz com as decisões que tomou: “Se eu terminar acorrentado em Guantánamo, posso viver com isso”.

Snowden também disse que acredita estar o tempo todo sob vigilância e que sua vida não é tão diferente do que era antes de suas revelações sobre a NSA. Hoje, ele trabalha até tarde da noite, principalmente no desenvolvimento de ferramentas de criptografia para profissionais.

A entrevista, editada em uma versão de 13 minutos, pode ser vista no site do The Guardian.