Início » Arquivos » Brasil » Positivo puxa para baixo preços dos notebooks híbridos

Positivo puxa para baixo preços dos notebooks híbridos

Duo ZK3010 é um notebook com touchscreen e preço sugerido de 1.399 reais

Paulo Higa Por

Microsoft e Intel, com Windows 8 e ultrabooks, forçaram as fabricantes de PCs a pensar em notebooks com formatos diferentes e telas sensíveis ao toque que viram para lá e para cá, mas eles costumam ser caros e custar alguns milhares de reais. A Positivo, mais conhecida por suas máquinas de baixo custo, resolveu entrar no mercado de híbridos com o Duo ZK3010, que pode ser encontrado por cerca de 1,2 mil reais.

O Duo ZK3010 é um notebook híbrido com um touchscreen capacitivo de 10,1 polegadas (1366×768 pixels) que vira para trás e suporta 10 pontos de toque. Vendo de longe, ele lembra um pouco o Lenovo Yoga 13, lançado no Brasil em 2012 por 8.999 reais, só que bem menos sofisticado e mais limitado: enquanto o poderoso da Lenovo gira totalmente para trás, fazendo o Yoga 13 virar um tablet gigante, o basicão da Positivo só gira 300º.

positivo-duo-zk3010

positivo-duo-zk3010-2

E, como colocar uma tela sensível ao toque em um notebook ainda parece ser caro, a Positivo decidiu sacrificar o hardware para torná-lo barato. O processador é um econômico Intel Celeron N2806 dual-core de 1,6 GHz — esse chip é um Bay Trail, criado pela Intel para equipar PCs de entrada e tablets, e tem um TDP máximo de apenas 4,5 watts. Há apenas 2 GB de RAM, 500 GB de HD (nada de cache em memória flash) e GPU integrada da Intel.

De resto, tem porta Ethernet (100 Mb/s), uma USB 2.0, outra USB 3.0, saída HDMI, Wi-Fi 802.11n, Bluetooth 4.0, entrada e saída de áudio, leitor de cartões de memória e bateria de 28,86 Wh, que é de baixa capacidade, mas não deve ser muito exigida por causa do processador de baixo consumo. A máquina roda Windows 8.1, tem 21,7 mm de espessura e pesa 1 kg.

Quase dois anos depois do lançamento do Windows 8 e dos primeiros híbridos no Brasil, parece que os custos de produção ainda não baixaram o suficiente para alguma fabricante lançar um híbrido acessível com hardware melhor — o ZK3010 não é para mim e, provavelmente, não é para você — mas é bom saber que, pelo menos, os primeiros passos estão sendo dados.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

karine
eu comprei um tambem mais agora que estou pesquisando sobre o equipamento .. agora estou com medo de dar problema.
Marcos Dias Meneghel
Não sei pq todo mundo fala tão mal da Positivo. Tive um compudor e um notebook da marca. Nunca tive problemas, o note funcionou por 5 anos. Já meu notebook novo, da Asus já tenho dores de cabeça desde que comprei. ¬¬'
Shaka00
Mentira. Conheço pessoas que tem Positivo há três anos e nunca teve problema. Agora Sony Vaio se tornou uma marca sem a menor qualidade. Essa sim não recomendo a ninguém.
Fer
"E, como colocar uma tela sensível ao toque em um notebook ainda parece ser caro..." E aí os aparelhos não conversíveis não contam com o touch como opcional, mas como modelo base e tu tem que pagar por essa inutilidade, já que todas as concorrentes tão fazendo igual! (¬¬)
DavidMSS
Dessas empresas nacionais eu tive azar de comprar de uma tal de Qbex. Comprei um ultrabook e foi o pior arrependimento, pois do primeiro ano com esse PC, eu passei uns 4 meses sem poder mexer nele, por que deu problema e a assitência fica na Bahia! E o aparelho deu problema duas vezes! O melhor incentivo que a indústria nacional precisa é qualidade!
Vagner Alexandre Abreu
Guilherme MacLeod só lembrando que o gráfico mostra o mercado "internacional". E de fato, o gráfico vai em acordo com o que eu tenho observado também. Infelizmente noto que a HP e Acer tem um grande número de falhas... : Não consta a Clevo no gráfico, mas como já dito, a mesma é a fornecedora de notes para muitas marcas.
Guilherme MacLeod
Fernando Garcia , Dá uma olhada no gráfico: bit.ly/1n1qlKi
Fernando Garcia
Guilherme MacLeod Com controles de qualidade totalmente diferentes, diga-se de passagem.
Eduardo Rigler
Vagner Alexandre Abreu e Guilherme MacLeod. Acho que eu ainda estava dormindo quando postei pela manhã... hehehe. Concordo em gênero, numero e grau com vcs, sei que alguns produtos da Positivo realmente tem qualidade e prestam (infelizmente a minoria), mas eu particularmente faço questão de passar longe! :) Abraços!
Vagner Alexandre Abreu
Guilherme MacLeod Pode ter usado o mesmo "hardware" para processamento e placa mãe, mas como o do Clevo fecha completo, não me parece tanto igual.
Guilherme MacLeod
Aliás, eu não dei uma olhada com mais cuidado, mas esse Positivo parece ser um Clevo: http://www.clevo.com.tw/en/products/prodinfo_2.asp?productid=527
Vagner Alexandre Abreu
Eduardo Rigler basicamente a maioria dos computadores no mundo tem peças compartilhadas, ou projetos fabricados nos mesmos "fornecedores". Foxxconn, ECS, Asus, Clevo, etc... muitas empresas fazem "projetos base" para serem usados por qualquer empresa, em qualquer equipamento. O mesmo Celeron que se encontra em notebooks positivo, é o mesmo Celeron que pode ser encontrado em um notebook Levono / LNV (A marca de baixo custo da marca) ou CCE. Telas são coisas que se compartilham entre todas as empresas. Há telas que servem em qualquer marca. Placa mãe é a única coisa mais customizada para cada empresa (ou menos compartilhada, já que há projetos mais comuns), já que há o design do note, etc... Claro que há um ponto a se analisar: no passado, a Positivo usou e abusou de peças de baixa qualidade, o que resultou no nome manchado. Mas com o tempo, quem acompanha mesmo a informática, vê que todas as empresas tem destas coisas, e a própria Positivo hoje tem muitos pcs com boa qualidade. O que mata, e isso vale para a grande maioria das empresas também, é o fator "suporte". Positivo e outras empresas brasileiras trabalham com associação para prestar suporte técnico, e muitas vezes essa associação infelizmente também mancha a reputação das empresas. Fora o fato também que o custo de manutenção via assistência oficial sempre será mais cara do que fazer a manutenção por conta própria ou por um técnico comum.
Guilherme MacLeod
Eduardo Rigler , as ODM da Positivo (pelo menos da última vez que pesquisei) são Compal e Clevo. Essas são as mesma ODM da Dell, Toshiba, HP e outras. O que a Positivo faz é comprar o projeto feito e montar no Brasil (tem um ou outra modificação, mas é irrelevante). No site da standards.ieee.org/develop/regauth/oui/oui.txt dá pra ver o MAC (6 primeiro caracteres) do seu dispositivo e ver quem é a fabricante. Meu equipamento, por exemplo, começa com 00-15-F2, ou seja, é feito pela própria Asus (uma das poucas que fabricam e vendem pro consumidor final). O que acontece é que a Positivo vende muito e quanto mais vende, mas problemas aparecem. Depois tem o fato da empresa no começo ter produzido equipamentos mais baratos com a marca Positivo, o que fez sujar o nome até de outros produtos melhores (empresas geralmente dividem em marca barata e marca mais cara pra não acontecer isso). Depois ainda tem o fato da empresa ser brasileira. Sabe como é o Complexo de Vira-Latas.
Eduardo Rigler
Guilherme MacLeod Vc está certo disso?rs... É fato conhecido que de lá não sai nada além de equipamentos dela. Também é conhecido os ~testes~ que fazem removendo ou mesmo trocando componentes importantes das placas por inferiores para baratear os custos aos milhares na produção. O que tem por dentro é comum com outros fabricantes, mas "customizado" para a Positvo, se é que me entende :)
Guilherme MacLeod
O mais interessante é que vem das mesmas fábricas de um Dell ou de outras marcas.
Exibir mais comentários