Início » Arquivos » Aplicativos e Software » Facebook cria especificação para apps conversarem entre si

Facebook cria especificação para apps conversarem entre si

Sem navegador. O Chrome/Safari/Firefox está com os dias contados?

Por

O Facebook está de olho nos desenvolvedores. Quer agradá-los para ser não apenas uma rede social, mas uma plataforma presente em todos os dispositivos móveis. Para solucionar uma série de problemas, a companhia anunciou uma iniciativa interessante que tem por objetivo fazer os aplicativos de celular/tablet conversarem entre si. Os App Links foram lançados com o apoio de uma penca de empresas interneteiras, entre elas Dropbox, Spotify, Pinterest e Hulu.

Os App Links partem do pressuposto de o endereço de uma página (URL) pode conter elementos que alimentem um aplicativo em dispositivos móveis. A Co.Design deu um bom exemplo: não é possível usar um cupom de desconto do Groupon diretamente no seu restaurante favorito, listado no Yelp (falamos ontem da nova ameaça ao serviço: o novo Foursquare, agora sem o botão de check-in).

Os programadores poderão adicionar os elementos diretamente no cabeçalho da página. Dessa forma, aciona a execução do aplicativo nos dispositivos móveis, com exatamente aquela informação que o cidadão estava tentando linkar.

Atualmente não tem como abrir um link que automaticamente abra o aplicativo da CNN, já na história recomendada por um amigo no Facebook, sem recorrer a gambiarras. Os App Links resolvem a questão. Compartilhar um episódio específico de uma série por meio do Hulu? Novamente, a tecnologia permitirá que o aplicativo leia o link e automaticamente abra no conteúdo em questão.

Pelo que o Facebook explicou, a tecnologia funciona em Android, iOS e Windows Phone. No sistema da Apple, a URL poderá determinar exatamente qual aplicativo deverá exibir as informações. O WP funciona da mesma forma. Já no Android, é preciso trabalhar com filtros conhecidos como Intents. Falando de forma bem generalista, o Android permite que diversos aplicativos abram um mesmo conjunto de informações. Portanto, o programador tem que tomar o cuidado para que o App Link liste especificamente qual app deve ser executado.

Próximo passo: matar o navegador. Afinal, daria pra passar de um aplicativo para outro, sem necessidade de um software assim.

A documentação dos App Links estão num site dedicado à iniciativa. Se você é desenvolvedor, passe por lá para conhecer a tecnologia, e depois não se esqueça de voltar a este Tecnoblog para repassar suas primeiras impressões a respeito do assunto.

Os links voltados para aplicativos foram liberados como código aberto (open-source). Qualquer um pode usar, sem necessidade de pedir permissão.

Durante a conferência F8 também foi anunciado o login anônimo. Em resumo, o dono do celular poderá se autenticar num aplicativo por meio da conta do Facebook, mesmo sem repassar suas informações pessoais.