Início / Arquivos / Aplicativos e Software /

Controle financeiro Organizze lança aplicativo para Android

Thássius Veloso

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Donos de celular com Android ganharam um novo aliado no controle das contas, para saber o que foi gasto e o que foi poupado ao longo do mês. Os criadores do Organizze – falamos do serviço de controle financeiro logo que foi lançado, há alguns anos – apresentam neste mês o aplicativo para a plataforma mantida pelo Google. Foi uma longa espera, mas aí está o Organizze para Android.

Organizze: controle financeiro no Android

Organizze: controle financeiro no Android

Logo de cara, ao executar o app pela primeira vez, o usuário passa por um tutorial ensinando como usá-lo. Em seguida aparece a tela inicial com o resumo mensal, informando quanto você tem na conta. Trata-se de uma visão geral para você saber se está no azul ou vermelho.

O modo relatório pode ser acessado ao abrir a área de lançamentos. Ali sim estão listadas todas as movimentações: receitas, despesas e transferências entre as suas contas.

A intenção do Organizze para Android é facilitar a adição de dados ao serviço, bem como fazer consultas rápidas às informações financeiras. Por meio do aplicativo, o usuário (ou assinante, já que o serviço oferece recursos pagos) pode lançar novos gastos ou recebimentos. Para facilitar as coisas, o Organizze permite adicionar categorias como “moradia” ou “educação”. Elas servem para gerar um relatório apontando no que exatamente o usuário está gastando dinheiro.

As informações do aplicativo ficam no cache do celular. Ou seja, dá para usá-lo mesmo sem uma conexão, o que não é possível no web app. O próprio sistema faz a sincronização constante entre o dispositivo e os servidores do serviço. Pelo menos nos meus testes, às vezes foi necessário forçar um sync para conseguir visualizar os lançamentos recém-adicionados na interface web do Organizze. Imagino que exista um intervalo entre as atualizações, até para evitar o consumo excessivo de dados.

 

O fundador do serviço, Tiago Vicente, contou que a demora para lançar o Organizze (mais de três anos, pelas minhas contas) na Play Store se deve ao foco na versão para a web. “Nossa versão web ainda não estava madura. Muita coisa precisava ser feita. Não fazia sentido termos aplicativos para celular se na web ainda deixávamos a desejar”, disse. Ainda assim, a versão para iPhone existe desde o primeiro semestre de 2012.  “Foi um erro que não quisemos cometer novamente”, complementou.

Sobre o desenvolvimento para Android, o programador Matheus Nunes, responsável pelo projeto, disse que os principais desafios da plataforma são o visual mais granular do sistema e a a compatibilidade entre as diversas versões do Android. “São smartphones dos mais variados tamanhos. Projetar a interface de modo que a experiência do usuário seja a mesma em todos eles é um grande desafio”, segundo Nunes. A gente bem sabe: uma consultoria de Hong Kong tinha mais de 400 aparelhos diferentes para testar aplicativos no Android. O programador complementou dizendo que adaptar o software para os variados sabores do Android também foi um trabalho complexo: “As mudanças em cada versão são enormes”. Hoje em dia, o Android está consistentemente espalhado entre três grandes atualizações: Ice Cream Sandwich, Jelly Bean e Gingerbread.

Outro ponto importante foi a sincronização dos dados. De acordo com o programador, foi preciso azeitar a API de comunicação com o servidor do Organizze para trabalhar com as conexões de internet móvel mais lentas, entre elas o 3G e o EDGE.

O aplicativo para Android faz a autenticação com o mesmo login e senha do site. Por uma questão de segurança e também de conveniência, existe a opção de ativar um PIN (código de bloqueio) para liberar o acesso ao app – sem necessariamente ter que fazer o logoff.

Site do Organizze tem relatórios mais completos

Site do Organizze tem relatórios mais completos

Embora o aplicativo para celular seja muito bom, algumas funcionalidades ainda são restritas ao site do Organizze. Por exemplo, a visualização do resumo financeiro com os gráficos mostrando receitas e despesas em cada categoria definida pelo usuário. Tais dados são preciosos para quem deseja fazer um controle financeiro completo. O ideal é revisar as informações mensalmente, para determinar se você está alcançando os objetivos para a vida contábil.

Também é pelo navegador do computador que a pessoa terá acesso aos ajustes do perfil, como as contas bancárias e os cartões de crédito. Tem até a função para apagar tudo e começar do zero novamente – já apelei para esse botão algumas vezes, devo confessar.

O Organizze é uma empresa genuinamente brasileira, com sete pessoas trabalhando no desenvolvimento de novos recursos e atendimento aos clientes – seis delas em período integral. Mesmo estando no mercado há bastante tempo (ainda mais considerando-se a rapidez inerente ao mundo das startups), Tiago Vicente disse que não recebeu investimentos e nem está à procura disso. “Decidimos crescer com os pés no chão e o tempo nos provou que foi a melhor decisão”, afirmou em entrevista por email.

Existem versões do serviço para pessoas e para empresas. Falando especificamente do Organizze pessoal, o plano mais simples é de graça, com direito a recursos como criação de categorias, lançamentos ilimitados e acesso pelo celular. O plano “Mais” custa R$ 9,90/mês, com algumas vantagens extras: gerenciamento de cartões de crédito, adição de metas mensais, várias contas bancárias e lembretes por email. Eles publicaram uma página mostrando a diferença entre os planos.