Na manhã de quinta-feira (6), a revista Newsweek publicou uma extensa reportagem para contar a história de Dorian Prentice Satoshi Nakamoto, um imigrante japonês de 64 anos que mora na Califórnia e supostamente seria o homem por trás da criação do Bitcoin. Poucas horas após a enorme repercussão da matéria, Nakamoto deu uma entrevista para a agência de notícias Associated Press para afirmar que não, ele não inventou o Bitcoin.

"Peer-to-peer pode ser qualquer coisa. Mas que diabos é isso? Não faz sentido para mim" — O homem apontado como o suposto criador do Bitcoin

Peer-to-peer pode ser qualquer coisa. Mas que diabos é isso? Não faz sentido para mim” — O homem apontado como o suposto criador do Bitcoin

A repórter da Newsweek afirma ter ido até a casa de Nakamoto para tentar uma entrevista frente a frente após um papo por email sobre trens ter fluido bem. Ao chegar lá, Nakamoto se recusou a comentar o assunto e chamou a polícia. Quando os policiais vieram, ele fez uma breve declaração: “Eu não estou mais envolvido nisso e não posso mais discutir sobre isso”. Ou seja, Nakamoto praticamente confessou que, em algum passado, estava envolvido com o Bitcoin, certo?

Talvez não: na entrevista para a Associated Press, Nakamoto afirmou que sua declaração foi mal entendida. Na verdade, ele queria dizer que não estava mais envolvido com um trabalho. “Estou dizendo que não estou mais na engenharia. Isso é tudo. E mesmo se eu estivesse, quando somos contratados, você precisa assinar um contrato dizendo que não vai revelar nada durante e após o emprego. Então isso é o que eu insinuava”.

Toda a confusão provavelmente se deve ao fato de que Dorian Prentice Satoshi Nakamoto nasceu no Japão, foi para os Estados Unidos em 1959 ainda criança e fala tanto inglês quanto japonês, mas seu inglês não é perfeito. A Associated Press diz que, durante a entrevista, Nakamoto várias vezes se referiu ao Bitcoin como uma empresa (mas nós sabemos que se trata de uma moeda virtual) e pronunciou o termo como “bitcom”.

Mas por que ele faria tanto mistério a respeito de trabalhos anteriores? Porque algumas de suas funções eram realmente confidenciais: ele havia trabalhado na companhia aeroespacial de defesa Hughes Aircraft por volta de 1973 e projetou sistemas de mísseis para a Marinha e as Forças Armadas dos Estados Unidos; por volta de 1999, Nakamoto começou a trabalhar para a Administração Federal de Aviação, mas foi mandado embora após os ataques de 11 de setembro.

Nakamoto ainda afirmou que nunca tinha ouvido falar de Bitcoin antes de ser contatado pela repórter da Newsweek, há três semanas, e que havia trabalhado com software por cerca de quatro anos, a partir de 1987, inclusive com um projeto para o Citibank. Quando foi perguntado se seria tecnicamente capaz de criar o Bitcoin, Nakamoto afirmou que sim, mas que “qualquer programador poderia fazer isso”.

Ou seja, é provável Dorian Prentice Satoshi Nakamoto realmente não seja a pessoa por trás do Bitcoin. E talvez a pessoa (ou o grupo de pessoas) que criou a moeda nunca confirme isso.