A AMD continua apostando firme em seu enfraquecido, mas ainda principal nicho: nesta terça-feira (4), a companhia anunciou oficialmente a AM1, sua nova plataforma para PCs de baixo custo. A novidade é baseada nas APUs Kabini (arquitetura Jaguar) apresentadas no segundo semestre de 2013 e surge com a promessa de trazer mais fôlego às marcas Athlon e Sempron.

AMD AM1

O foco em equipamentos de baixo custo tem uma boa razão. A AMD espera que seus novos chips equipem HTPCs, desktops compactos e até mesmo PCs all-in-one mais baratos, razão pela qual a plataforma foi preparada para trabalhar especialmente com placas-mãe microATX e miniITX.

Para atender a estes segmentos, a AMD tratou de incluir suporte nativo às tecnologias SATA 6 Gb/s, USB 2.0 (até oito portas), USB 3.0 (duas portas), HDMI, DisplayPort e VGA.

Em relação ao desempenho, a plataforma AM1 trabalhará com memórias DDR3 de até 1.600 MHz e GPU com arquitetura Graphics Core Next. O processamento básico ficará por conta das já mencionadas CPUs Kabini, que contam com versões com dois e quatro núcleos, só que agora baseadas no novo socket FS1b.

Como que para deixar claro o foco em equipamentos mais econômicos, a AMD explicou que os novos chips AM1 chegarão ao mercado ostentando as tradicionais marcas Athlon e Sempron, enquanto que os processadores mais avançados continuarão fazendo parte das linhas FX e A Series.

AMD AM1 e o socket FS1b

Há dúvidas se esta é uma boa estratégia, uma vez que os nomes Athlon e Sempron não trazem boas lembranças para muita gente. Por outro lado, a AMD parece estar seguindo a fórmula adotada pela rival Intel, que utiliza as marcas Pentium e Celeron até hoje para batizar seus processadores mais singelos.

De acordo com a AMD, os chips AM1 já estão sendo produzidos e as primeiras unidades deverão chegar ao mercado já em abril. Os preços, promete a empresa, serão bastante atraentes, começando em US$ 60 e não devendo passar de US$ 100, valores que incluem a placa-mãe.

A plataforma AM1 não é a única novidade da AMD na semana: a companhia revelou também a GPU Radeon R9 280, que trabalha com frequência de até 933 MHz e conta com 1.792 stream processors, 32 ROPs, 3 GB de GDDR5 (5 GHz), interface de memória de 384 bits e consumo estimado em 250 W. Seu preço sugerido é de US$ 279.

Com informações: AnandTech

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Vinicius Ferri
Pelo menos é melhor que o ATOM e o Celeron 847 da intel, eu já usei o AMD C-60, dual core 1GHz, faz os processadores de baixo desempenho da intel comerem poeira, e reproduzem filmes em full HD perfeitamente
Guilherme MacLeod
APU de baixo custo da AMD nunca mais. Meu C-50 faz qualquer um ficar doido. Ele não consegue rodar nem vídeos em flash decentemente (se for em HD nem rodar roda) ou mesmo abrir um pacote de escritório em menos de 1 minuto.
EFG
Quad-core x86... ô maravilha... AMD, vai pra casa que tu tá bebada!