Início » Arquivos » Internet » Facebook muda algoritmo para priorizar conteúdo de pessoas em vez de páginas

Facebook muda algoritmo para priorizar conteúdo de pessoas em vez de páginas

Emerson Alecrim Por

Em um anúncio publicado na tarde desta terça-feira (21), o Facebook confirmou, indiretamente, o que muita gente já vinha notando nos últimos dias: o Feed de Notícias do serviço agora dá muito mais destaque a publicações de usuários do que a conteúdo promovido por fan pages.

A empresa justifica estas mudanças recentes sob o argumento de que as pessoas realizam muito mais ações na rede social (comentam, curtem ou compartilham) em atualizações feitas por seus contatos. A lógica, portanto, é a de que este tipo de conteúdo deve ser priorizado.

Embora sem mencionar este ponto, esta explicação pode ser interpretada como uma resposta à “acusação” de que a empresa diminuiu o alcance das fan pages para convencer os administradores destas páginas a pagarem para promover seu conteúdo.

No comunicado, o Facebook afirma ainda estar trabalhando nos algoritmos de classificação dos dois tipos de conteúdo para permitir uma “convivência harmoniosa” entre ambos, mas já alertou que os administradores de fan pages poderão perceber uma diminuição na distribuição de suas atualizações, especialmente nos status de texto.

O Facebook explica, por outro lado, que os administradores poderão notar um aumento no alcance de outros tipos de conteúdo, como posts acompanhados de links e fotos ou mesmo vídeos. Para este fim, a própria companhia recomenda o uso da ferramenta de compartilhamento de links, que exibe por si só uma descrição do conteúdo acompanhada de uma imagem.

É melhor fazer isso...

É melhor fazer isso…

Se o post tiver apenas texto e link, como mostra o exemplo abaixo, o engajamento será menor.

... do que isso, segundo o Facebook

… do que isso, segundo o Facebook

Pode até ser que esta seja, no final das contas, uma manobra da empresa para aumentar a sua receita a partir da promoção paga de publicações, mas o fato é que o Facebook vem mesmo tratando com atenção especial o aspecto do conteúdo.

Os anúncios mais recentes são evidências claras: no final de 2013, mudanças algorítmicas foram implementadas para priorizar notícias em detrimento dos memes; na semana passada, a empresa adquiriu uma plataforma de compartilhamento de conteúdo, além de ter prometido para breve a disponibilização de “trending topics”.

Atualizado em 23/01 às 14h30

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Edmilson Junior
Tenho de ficar indo nas páginas que acho relevantes e adicionando em listas de interesses por que se não realmente as postagens não aparecem todas, sendo que dou prioridade maior às páginas que curto do que as pessoas.
@
Mario Magalhães O Google+ na verdade tem um modelo para gerar receita. Só que ele não é dentro do Google+, ele corre dentro da rede Display de anúncios do Google. Se uma empresa tem uma página e quer patrocinar uma postagem, ela não vai ficar correndo dentro da Stream do usuário, e sim na rede display de anúncios que correm os sites por aí que usam AdSense, por exemplo. Eu achei isso bem sacado, pois não atrapalha o usuário dentro do feed com aqueles banners e postagens patrocinadas. As empresas disseram que tiveram um aumento considerável quando ativaram o Google+ Post Ad. Além disso dá para o usuário interagir no próprio anúncio, inciar um Hangout e escolher a cor do carro (no caso de um anúncio da TOYOTA que circulou por aí quando anunciaram a novidade. O serviço está em fase de testes por algumas empresas, como a TOYOTA e outras páginas grandes dentro da rede.
@
Acho que você não entendeu o conceito do Google+. Os Círculos é uma das coisas mais interessantes da rede. Você compartilha para pessoas o conteúdo certo. Trabalho, Amigos, Conhecidos, Amigos Tech, Fotografia, Comida e outros assuntos.
Mario Magalhães
Tb faço isso Alisson. Mas a bosta é que o face monopoliza esse mercado atualmente. Ele é muito maior que twitter, g+ etc... E se ele morrer e o G+ monopolizar, com certeza vai ter alguma medida para gerar receita. Só espero que não seja esse modelo do facebook que, infelizmente, as empresa nao tem como escapar, pois o facebook da muito retorno.
Alisson Silva
Eu sigo páginas justamente por causa do conteúdo, não me interessa se fulano está namorando ou se ciclano curtiu Calypso, eu uso o Facebook como feed de notícias. Se eu perceber que isso realmente aconteceu, excluo meu perfil sem dó e me concentro no Google+, onde eu tenho todas as páginas que sigo num círculo configurado para eu receber TODAS as atualizações delas.
Mario Magalhães
Nada tem que acabar, o facebook tem nas mãos muitos dados sobre pessoas e é essa a sua jóia. Se vc é uma empresa você tem que ir atrás das pessoas e eles estão no facebook... O problema é que é apenas o facebook que tem essa quantidade e qualidade de informação sobre pessoas e assim permite que ele faça o que quer, do jeito que quiser com esses dados. As empresas estão sim tendo que gastar muito mais publicidade para terem o mesmo retorno de antes.
Gabriel Cayres
Matheus Paes http://youpix.com.br/redes-sociais-2/facebook-esta-prestes-perder-80-dos-seus-usuarios-diz-estudo/
Aniele Reis
Tenho usado mais o instagram do que o facebook, pelo simples fato dele suprir sem poluir.
Matheus Paes
Apaga ai o teu
Lucimari Monteiro
Concordo com vc Gabriel, o Google + é mto confuso e nada prático =
Gabriel Cayres
O Facebook precisa acabar. O problema é não termos nada tão "bom" (pelo menos já foi bom) para onde possamos migrar. O Google+ é pura confusão e o conceito de círculos mais atrapalha que ajuda.