Início » Arquivos » Negócios » A plataforma de discussão e compartilhamento de conteúdo Branch é a mais nova aquisição do Facebook

A plataforma de discussão e compartilhamento de conteúdo Branch é a mais nova aquisição do Facebook

Por

O ano mal começou, mas o Facebook já está em sua segunda compra: depois de adquirir a empresa de análise e monitoramento de aplicativos Android Little Eye Labs na semana passada, a companhia abriu a carteira para levar a plataforma social Branch para casa. O anúncio foi feito nesta segunda-feira.

Criada em 2011 e com sede em Nova York, a Branch não é necessariamente popular nos Estados Unidos, mas por lá é tida, até certo ponto, como uma “evolução” dos tradicionais fóruns de discussão. A sua proposta é simples, mas interessante, de fato: compartilhe conteúdo, inicie uma conversa sobre o assunto e a integre com blogs, Twitter, YouTube, entre outros.

Branch - exemplo

A Branch é mesmo focada neste segmento: a empresa também é dona de um app para iOS de nome Potluck que permite ao usuário justamente compartilhar links, fotos e vídeos e gerar discussões sobre este conteúdo.

Para variar, não ficou claro o que Mark Zuckerberg e cia. têm em mente com esta aquisição, mas segundo Josh Miller, um dos fundadores da Branch, a equipe da companhia ficará responsável por formar um time no Facebook que terá a missão de ajudar os usuários do serviço a se conectarem com seus interesses.

A partir daí, algumas possibilidades vêm logo à mente: o Facebook pode estar buscando um meio de aperfeiçoar fan pages e grupos, assim como pode estar pensando em criar uma nova ferramenta de interação entre os usuários.

Seja lá como for, pode apostar que o objetivo é manter os usuários dentro do Facebook e evitar uma debandada gradual. Um dos meios mais eficientes de se fazer isso é mantendo canais de conversação. Não é por menos que listas de discussão e fóruns existem desde os primórdios da internet e resistem até hoje.

Nenhuma das partes revelou o valor do negócio, mas fontes próximas à Branch disseram ao The Verge que o Facebook desembolsou algo em torno de US$ 15 milhões.