No ano passado, um smartphone bem peculiar chamou a atenção da imprensa tech de todo o mundo: o YotaPhone, um aparelho com duas telas, sendo uma e-ink e outra LCD, que foi idealizado por uma empresa russa e era prometido para o último trimestre deste ano. Cumprindo a data, ele foi lançado hoje.

Com foco na Europa, especialmente na Áustria, França, Espanha e Alemanha (além, claro, da própria Rússia), o YotaPhone deve abrir caminho para que suas próximas gerações se expandam ainda mais. Foi anunciado que a segunda versão, que deverá sair no fim do ano que vem, já está sendo trabalhada, e a expectativa é que ela chegue a mais de 20 países. Uma terceira versão também é garantida.

O YotaPhone tem a construção bem interessante: na frente, a tela de 4,3 polegadas de LCD. Atrás, uma tela de e-ink, que fica sempre ligada e não é retroiluminada – ou seja, assim como um Kindle, pode ficar vários dias funcionando sem acabar a bateria. Ela pode exibir atualizações do Twitter, funcionar como um bloco de notas, mostrar widgets que explicitem as condições do aparelho e, claro, como um e-book – mas não utilizando o app do Kindle, só o próprio – , entre outras funções.

O valor do YotaPhone é o equivalente a cerca de 675 dólares. Nas especificações, tem processador Snapdragon dual-core de 1,7 GHz, 2 GB de RAM, 32 GB de armazenamento, bateria de 1.800 mAh e roda Android 4.2.2. Nada de impressionante em termos de hardware, mas não dá para não admitir uma curiosidade de como a existência de uma segunda tela muda a experiência.

Com informações: TechCrunch

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Brenno Pereira Machado
Uma tela assim ajudaria muito no consumo de bateria, pricipalmente se pudesse escolher quando usar cada uma das telas. A maioria das coisas poderia ser feita numa tela e-ink, deixando apenas algumas para tela de alta resolução. A bateria agradecer muiiiiiiiiito!