Ao contrário do que se poderia imaginar, utilizar o Facebook para divulgar causa na qual você acredita pode não surtir o efeito desejado de ter mais pessoas ativamente apoiando-a – ou seja, doando para ela. Pode parecer óbvio para algumas pessoas, mas esse fenômeno foi estudado por uma universidade gringa e tem explicação.

Pesquisadores da University of British Columbia realizaram uma pesquisa com voluntários que eram convidados a apoiar uma causa gratuitamente, fosse entrando para um grupo no Facebook, aceitando um brinde ou assinando uma petição. Depois, foi pedido que eles doassem dinheiro à causa ou fizessem trabalho voluntário.

O resultado foi que os que apoiaram de maneira mais pública doaram menos, enquanto os que o fizeram de maneira mais discreta acabaram enfiando mais a mão no bolso.

Ninguém curtiu ver a mulher decapitada, Facebook...

Há maneiras melhores de apoiar uma causa do que curtir uma fanpage

Segundo os pesquisadores, o motivo é que, ao demonstrar publicamente seu apoio, as pessoas sentem que já estão com o dever cumprido, pois já passaram uma boa impressão para os outros. Já quando apoiam em “segredo”, escolhem causas mais alinhadas aos seus valores, sem precisar impressionar ninguém e, assim, doam mais.

Esse fenômeno é conhecido como slacktivism, e tem como definição “a disposição para demonstrar apoio sem custo, junto com a falta de disposição para dedicar esforços significantes que possam causar alguma mudança”. Meio que se relaciona, também, com aquela história de revolução de sofá.

A conclusão é que, para as instituições que dependem de doações para sobreviver, ter uma participação tão ativa nas redes sociais pode ser mais danoso do que o imaginado. Apesar da ajuda na divulgação, se os likes da fanpage não se converterem em renda eventualmente, não há muita vantagem.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Jonanthan Bispo
Agora todos pelos menos param pra ler e saber mais sobre o ELA.
Mozart
"Segundo os pesquisadores, o motivo é que, ao demonstrar publicamente seu apoio, as pessoas sentem que já estão com o dever cumprido, pois já passaram uma boa impressão para os outros. Já quando apoiam em “segredo”, escolhem causas mais alinhadas aos seus valores, sem precisar impressionar ninguém e, assim, doam mais." EU JÁ SABIA!
Ayslan Dielf
Na verdade a matéria não fala que o FB nao ajuda, só fala o que todo mundo sabe, das centenas de milhares de assinantes de um grupo voluntario, apenas milhares [isso sendo otimista] é que fazem algo realmente e se preocupam de verdade, o resto só quer ser "cool" no Facebook, fingindo se importar com o próximo. Ótimo exemplo disso são os ativistas de sofá, que suja a timeline sobre maus tratos aos animais, mas vê um cachorro na rua e da um chute, mas no face ele eh a favor dos "bixinhos".
Tayler Cassiano Padilha
Ui, até me emocionei...
Andreonni Di Lorenzo Mmn
Apoiado amor!
Wanessa Lins De Farias
Não sei realmente o que se passa nesse universidade gringa ou em outros locais do mundo, mas eu sei de onde eu vivo, eu vivo no Brasil, eu vivo em João Pessoa na Paraíba, e aqui sim as pessoas ajudam, as pessoas colaboram, se o estudo prova isso ou aquilo eu não sei, mas eu sei da dificuldade que é ter alguém na família passando por problemas, dificuldades financeiras por não ter o dinheiro suficiente para uma cirurgia e tratamento da doença. A saúde pública do Brasil é precária, então eu APOIO sim o uso do facebook para contribuir com doações na internet, seja em relação ao dinheiro, ou doação de SANGUE. Então vamos participar da campanha da VIDA e deixar de lado essas afirmações que o facebook não ajuda, que o facebook limita as doações. ACREDITE que é possível mudar o mundo e ajudar as pessoas, se coloquem no lugar dos familiares e amigos. Vamos AJUDAR sem olhar a quem!!!!!!!!!
Andreonni Di Lorenzo Mmn
É engraçado que depois que enviei msg por inbox que fizeram essa matéria... e olhe que o Tecnoblog é parceiro do meu blog. Só para constar em 1 dia de campanha já tive R$400 em doação e quase 500 visitas. Não é porque ele é meu tio, pois eu faria por qualquer um. O conceito de web 2.0 é criar interação com o usuário e a interface, se fosse algo tão banal doação online o vakinha.com.br não faria tanto sucesso! Abracei a causa! http://www.vakinha.com.br/VaquinhaP.aspx?e=228086