Início » Arquivos » Telecomunicações » A NASA conseguiu receber dados da órbita lunar com velocidade de 622 Mb/s

A NASA conseguiu receber dados da órbita lunar com velocidade de 622 Mb/s

Emerson Alecrim Por

Cerca de dois meses atrás, a NASA revelou que iria testar o LLCD (Lunar Laser Communications Demonstration), sua tecnologia para envio de dados à Lua, e assim o fez. A meta? Atingir uma velocidade na casa dos 600 Mb/s. O Resultado? A transmissão foi realizada com sucesso à taxa de 622 Mb/s, um recorde!

Para fazer o experimento, a NASA preparou a nave da missão LADEE para trabalhar com o LLCD. A sonda espacial foi lançada em 6 de setembro deste ano e levou cerca de 30 dias para chegar à órbita lunar, numa distância de aproximadamente 385 mil quilômetros da Terra. Neste caso, a comunicação foi feita a partir de um base instalada no Novo México, Estados Unidos.

Além de ter conseguido receber dados da missão a uma velocidade de 622 Mb/s, a NASA também comemorou o feito de ter enviado informações à nave com uma taxa de 20 Mb/s, sem erros. O ingrediente principal para resultados tão bons está explícito no nome da tecnologia: laser.

LLCD

Segundo a NASA, sistemas de transmissão via feixes de laser utilizam comprimentos de onda bastante reduzidos. Assim, é possível utilizar antenas de porte pequeno e, ao mesmo tempo, ter menos suscetibilidade a interferências e interceptação do sinal, sem contar a menor exigência de energia em relação a sistemas de radiofrequência.

Com estas vantagens, a NASA pôde implementar frequências na casa dos terahertz na comunicação, criando vários canais simultâneos na transmissão. Esta técnica é a principal razão para a velocidade de 622 Mb/s ter sido atingida.

A intenção da NASA é, de fato, ter a sua disposição meios de comunicação espacial mais eficientes e que superam as limitações da radiofrequência. Desta forma, a entidade poderá obter imagens em alta resolução de equipamentos espaciais rapidamente, por exemplo.

Mas, como já vimos várias tecnologias iniciadas na NASA virarem parte do nosso dia a dia, dá para pensar (e torcer) no LLCD como a origem de um novo padrão de acesso à internet em solo terráqueo. Se isso acontecer, não será para já, é claro: até para uso da própria NASA, inúmeros testes e ajustes ainda precisam ser realizados.

Com informações: The Verge

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Fernando Garcia
Gabriel Bemfica pq 8 segundos o 'ping' na lua ? A distância daqui lá é ~350.000 km, velocidade da luz = 300.000 km/segundo
Leandro Alves Moreira
Mas se pegar fibra da vivo ae no tecnocenter da pra chegar a 100mb pelo preço desse 10mb ae.
Thiago Mobilon
E uma operadora aí não consegue nem fazer chegar 10mb direito aqui no Tecnocenter.
Fabricio Stefanini
Meu iPhone 4S com Chip da TIM esta um pouco mais rapido kkkkkkkkkkkkkk
Giovanni Diniz
Gostaria mesmo de ver funcionar isso aqui =) Na verdade, a forma mais útil disso acontecer, seria a instalação desses "módulos" LLCD em um satélite geoestacionário, roteando os pacotes pra outros e retransmitindo o sinal de volta à Terra, direcionado ao destino. Uma segunda hipótese, seria um monte desses "módulos" em antenas na Av. Paulista =D desde que os pombos não "caguem" nas transmissões ^^
Gabriel Bemfica
Considerando que, com o laser na velocidade da luz, o ping até a lua dá coisa de 8 segundos, tá indiscutivelmente melhor awehuhuawehuaweuhawe
Davi Rocha
tá quase melhor que a TIM