Início » Arquivos » Celular » Samsung é acusada novamente de inflar resultados de benchmarks, agora no Galaxy Note 3

Samsung é acusada novamente de inflar resultados de benchmarks, agora no Galaxy Note 3

Paulo Higa Por

O Galaxy Note 3 começa a ser vendido esta semana nos EUA e os sites americanos já publicaram as primeiras análises sobre o phablet com tela de 5,7 polegadas da Samsung. Entre elogios à tela e ao acabamento e críticas ao TouchWiz e à bateria, o Ars Technica notou que a Samsung fez “otimizações” no aparelho para que o Galaxy Note 3 se saia melhor que a concorrência nos testes de desempenho.

galaxy-note-3

O Ars Technica afirma que a Samsung está turbinando artificialmente o modelo americano do Galaxy Note 3 ao usar um modo de alto desempenho que é ativado quando aplicativos populares de benchmarks estão sendo executados. Nesse modo, todos os núcleos do processador são forçados a trabalhar ininterruptamente e com o clock máximo de 2,3 GHz. A empresa já havia feito algo parecido no Galaxy S4, como notado pelo AnandTech.

Mas como eles descobriram isso? O Galaxy Note 3 possui um processador quad-core Snapdragon 800 de 2,3 GHz, exatamente o mesmo do LG G2, mas o aparelho da Samsung conseguia números bem maiores. No Geekbench, o Galaxy Note 3 conseguia 2.986 pontos, enquanto o LG G2 ficava com apenas 2.278 pontos – uma diferença muito grande para dois aparelhos com o mesmo SoC e mesma resolução de tela.

geekbench-note-3

Para burlar o “modo benchmark” do Galaxy Note 3, eles renomearam o aplicativo do Geekbench para Stealthbench e executaram os testes novamente. Os resultados foram 20% menores e ficaram mais próximos do LG G2, como esperado. Mas repare na imagem acima que, mesmo assim, o Galaxy Note 3 consegue se sair melhor que o concorrente, o que indica que a Samsung nem precisava usar esses artifícios para inflar os resultados.

O arquivo responsável por turbinar o processador do Galaxy Note 3 lista 25 aplicativos, todos de benchmarks: tem AnTuTu, Quadrant, GLBenchmark, Geekbench e NenaMark, além de possíveis aplicativos internos de testes da Samsung.

A Samsung ainda não se manifestou sobre o assunto. Quando a mesma história envolvia o Galaxy S4, que aumentava a frequência da GPU em determinados aplicativos de benchmarks, a Samsung afirmou que fazia o mesmo em aplicativos de tela cheia, como players de vídeo e galerias de imagens, para “fornecer uma experiência melhorada para o usuário”, não para manipular testes de desempenho.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

forsureitsme
THIS
Carlos Santos
é ruim porque não entrega a performance nos aplicativos que o usuário escolher e sim no que a Samsung escolheu.
Cícero Pereira Costa
Acho ótimo isso. Pela lógica, com o root, se conseguirmos acessar a linha de código/xml que realiza esse "overclock", poderíamos aumentar o desempenho do app que quisermos.
Alessandro Johnny
Ainda não consigo entender porque vocês veem problemas nisso. O hardware consegue entregar uma perfomance além do que eles informam, porque diabos isso é ruim?
Amanda Novaes
Desculpe-me colega mas vc acredita nos testes da Apple? Mês passado mesmo eu li uma matéria na revista ÉPOCA sobre o merchan que eles fazem para manipular os dados de desempenho em propagandas na televisão o que é mais cara de pau ainad.
Marco Túlio Vale
Ela só não perdeu ainda muitos compradores, pq os aparelhos são mais acessíveis. Mas é uma vaca escrota mesmo!
Marco Túlio Vale
rsrsrs
Vladimir Machado Malaquias
Samsung escrota
Yan Gabriel Minário
Cheaters...
Eliézer José Lonczynski
Que feio Samsung de novo....