No final de 2011, uma série de inundações afetou várias fábricas de HDs na Tailândia, fazendo os preços destes dispositivos aumentarem consideravelmente. Nesta quarta-feira, um incêndio numa fábrica da SK Hynix pode nos fazer adentrar em uma crise semelhante, só que no mercado de memórias RAM.

O fogo afetou as plantas C1 e C2 da fábrica da Hynix em Wuxi, China. Uma vez que a companhia responde atualmente por cerca de 30% da produção global de DRAM, perdendo a liderança do mercado apenas para a Samsung, houve um temor generalizado de escassez de memória RAM para os próximos meses.

E não é exagero: a Hynix fornece chips para diversas empresas, entre elas, Apple, Asus e nVidia, praticamente não havendo sobras em estoque. Isso significa que o comprometimento da sua produção fará os preços das memórias aumentarem rapidamente, afetando os vários segmentos da indústria que dependem destes chips.

Supostas fotos do incidente sugeriram um incêndio de grandes proporções. Aí que o pânico quase se instaurou mesmo. Ciente disso, a Hynix não demorou para se manifestar, dizendo que os danos às unidades afetadas não eram tão grandes quanto pareciam – o grande volume de fumaça visto nas imagens foi consequência da concentração do fogo em estações de purificação de ar, segundo um representante da Hynix.

Incêndio - Hynix

Incêndio - Hynix

A companhia reconheceu que o incêndio perdurou por várias horas, mas assegurou que o fogo não atingiu as partes mais importantes das plantas, tampouco causou ferimentos graves em funcionários ou socorristas (tomara que pelo menos esta parte seja verdade, né?).

Ainda de acordo com a Hynix, de 10% a 15% de produção mundial ficou prejudicada pelo ocorrido, mas a empresa garante que esta situação não deverá durar muito tempo, não havendo, portanto, motivos para se acreditar em escassez de memórias e consequente aumento de preços.

Apesar do clima de alívio oriundo da rápida resposta da Hynix, o risco de crise não está de todo descartado. Como em circunstâncias habituais as reservas de DRAM já são baixas, a paralisação de uma fábrica tão importante pode afetar o mercado no curto prazo, já no próximo trimestre.

Há inclusive informação de que alguns dos principais fornecedores de memórias RAM do mercado suspenderam o despacho de encomendas até que haja maior clareza à respeito do impacto do incêndio.

Pelo bem dos nossos bolsos, fica a torcida para que esta crise fique apenas na condição de rumor.

Com informações: The Register, Reuters, Bloomberg, KitGuru

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Ricardo Salgueiro
putz.... e ainda tem o efeito Brasil, que aumenta e nunca volta o preço
Paulo Trajano
Na verdade, o preço JÁ disparou. No final do ano passado comprei 8gb(2x4gb) por R$180,00. Hoje, dia 11 de setembro, 4gb não sai por menos de R$200,00. Se não comprar logo, vai pagar o dobro. Não acredita? Olhe o que aconteceu com o preço dos HDs que, mesmo normalizando a produção pós enchente, NUNCA MAIS baixou. Faça as contas...
Maurício Rodrigues
Mesmo assim ainda não voltaram, lembro de ter adquirido HDs de 1TB por R$:200, hoje tou pagando R$:230 e 500GB.
Maurício Rodrigues
Ainda bem que não preciso de RAM por um bom tempo 16GB de boa aqui.
EFG
Quero nem ver o que vai acontecer com os preços no Brasil... Já entubamos o preço dos HDs, faz dois anos que aconteceu a enchente e o preço NÃO CAI MAIS. (Antigamente o HD de 500GB Samsung custava R$ 143, hoje ainda custa R$ 231.)
Paulo Cesar
Já to achando um absurdo 90 reais numa memória de 4GB DDR3... Aumentar mais do que isso é sacanagem!
Robson C.
Os efeitos daquela enchente perdurou por ANOS (pelo menos aqui no mercado brasileiro). Foi só recentemente que os preços voltaram, mais ou menos, ao que era em 2011, época em que o preço era cada vez menor. Pelo menos de memória não preciso tão cedo.