A American Airlines (AA), uma das maiores companhias áreas do mundo, não vai mais disponibilizar seus voos na Decolar.com. A decisão já está em vigor e vale para todos os 21 países onde a agência online atua. O motivo? Uma política de preços supostamente injusta e obscura.

Em seu comunicado aos clientes, a companhia área informa que não pode dar detalhes quanto à decisão pelo fato de o assunto estar “sob análise legal”, mas explica ter descoberto que a Decolar.com, incluindo aí a Despegar.com (braço da agência para países de língua espanhola), estaria “adotando práticas desleais e duvidosas quanto às tarifas” da empresa.

A Decolar.com não demorou para se defender: segundo o Estadão, a empresa afirmou que a AA pediu que o valor total dos bilhetes emitidos pelo serviço não informasse tarifas, impostos e outros encargos, e que por não concordar com esta solicitação é que a parceria entre ambas teve que ser desfeita.

Aeronave da American Airlines (Fonte: Boing)

No mencionado comunicado, a American Airlines esclarece que os bilhetes já adquiridos via Decolar.com continuam válidos e que, caso algum cliente necessite alterar data ou horário de algum destes voos, terá que procurar a central de reservas da companhia e não a agência. Nestas ocorrências, a empresa explica ainda que não haverá cobrança da taxa para alterações de reservas feitas por agentes externos.

Este posicionamento provavelmente tranquiliza o consumidor que tem passagens da AA em aberto adquiridas via Decolar.com, mas não é suficiente para o PROCON-SP: ao O Globo, a instituição informou que irá notificar ambas as empresas para que o entrave seja esclarecido.

No ponto de vista de Marcio Marcucci, diretor de fiscalização do PROCON-SP, uma vez que a AA expôs a Decolar.com, precisa explicar claramente o que aconteceu. A agência online, por sua vez, tem que esclarecer as suas cobranças: nos tickets, qual seria a diferença entre “impostos e taxas” e “taxa de serviço”, por exemplo?

A American Airlines não descarta voltar a oferecer seus voos na Decolar.com, contanto que esta resolva os referidos problemas. Para quem deseja adquirir seus bilhetes, por ora a companhia recomenda serviços como KAYAK e o seu próprio site, AA.com.