Os smartphones com processadores quad-core nem dominaram o mundo ainda, mas já há chips com oito núcleos sendo preparados para chegar aos dispositivos móveis em um futuro relativamente próximo. Um deles é o True Octa-Core (nome provisório?), anunciado recentemente pela taiwanesa MediaTek.

O nome é, sem sombra de dúvidas, uma bela de uma provocação ao recém-atualizado Exynos 5 Octa, da Samsung. Este possui oito núcleos – quatro Cortex-A15 e outros quatro Cortex-A7 – mas não é possível usá-los todos de uma vez: ou se utiliza os núcleos A15 para tarefas mais exigentes ou os A7 para o processamento mais básico.

A MediaTek, por sua vez, garante que todos os núcleos do seu chip poderão trabalhar simultaneamente, ou seja, trata-se de um “octa-core de verdade”, possivelmente baseado em uma versão aperfeiçoada da tecnologia ARM big.LITTLE presente no Exynos 5 Octa. Para evitar que a bateria se esgote em tempo recorde, também será possível deixar núcleos desativados quanto há tarefas simples a serem executadas.

Nossa, não deixava, Samsung!

Nossa, não deixava, Samsung!

Segundo a companhia, o True Octa-Core terá tudo para ser um dos mais rápidos processadores móveis do mercado, podendo inclusive superar a casa dos 30.000 pontos no Antutu. A empresa só não explicou como lidará com o aquecimento excessivo do dispositivo, situação bastante provável para um processador de oito núcleos.

A MediaTek também não deu muitos detalhes a respeito das características do chip. Há, no entanto, rumores de que o processador será composto por núcleos Cortex-A7 de 1,7 GHz a 2 GHz e será fabricado com tecnologia de 28 nanômetros. Será que terá excelente desempenho mesmo? O vídeo abaixo, que parece ter sido narrado pela mulher do Google Translator, sugere que sim:

Felizmente, até que não teremos que esperar muito para obter estas informações: a MediaTek deverá apresentar mais detalhes e protótipos equipados com o chip no mês de novembro ou, no mais tardar, na próxima edição da CES, que acontece em janeiro de 2014.

Se levarmos em conta que a Huawei também promete um chip octa-core (o K3V3, com núcleos Cortex-A15 de 1,8 GHz) e que a Samsung provavelmente não deixará por isso mesmo, 2014 tende a ser um ano bastante interessante para o segmento móvel.

Com informações: Engadget, MediaTek

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Caio Tiago Oliveira
Você chutou certo: http://www.eetimes.com/author.asp?section_id=36&doc_id=1318968 o Cortex-A15 oferece cerca do dobro de processamento, gastando 5 vezes mais energia. Ou seja, um octa-core Cortex-A7 te dará um desempenho parecido, economizando energia. Como mencionado no artigo, nesse caso perderá em desempenho pra aplicações que usem poucas threads e precisem de resposta imediata. Porém como a própria Samsung assumiu depois do escândalo de fazer overclock de CPU e GPU pra rodar benchmarks, ela não consegue rodar tudo no máximo do desempenho por muito tempo. Fazendo as contas, se o projeto da MediaTek for bem feito, ele deve economizar energia e esquentar menos o celular pra coisas que rodem durante muito tempo, como jogos.
Caio Tiago Oliveira
O Cortex-A7 esquenta muito menos que o A15. Veja os reviews de dissipação de calor da Samsung com o octa dela. Os quatro cortex A15 chegam em 4W (que é o máximo que o celular aguenta). Ele diminui consideravelmente o clock quando usa a GPU (o suficiente pra jogar, já que o que mais pesa no caso é a GPU mesmo). Ele só usa ambos altos ao mesmo tempo pra benchmarks, porque sabe que dura pouco e não irá torrar o celular. ;)
Elias Alberto
Oito núcleos só faz sentido pra multitasking pesado (não fazemos isso em nenhum telefone ou tablet) ou pra aplicativos pesadamente otimizados pra processamento multinúcleo. Portanto, pode ser que um processador octa-core permita melhor desempenho em jogos mais pesados ou em outros aplicativos, desde que especificamente otimizados pra isso (mas acho difícil ver um 3dsmax ou photoshop full versão android). Acho que o foco tá errado, aumentar ainda mais o número de núcleos do processador não faz sentido (faria sentido, no entanto, aumentar o número de núcleos da GPU). Em termos de processador, a abordagem da samsung faz mais sentido, porque tem a opção de quatro núcleos A7 pra economizar energia ou quatro núcleos A15 pra maximizar performance - e eu chuto que com 8 núcleos A7 o desempenho vai ser parecido com os quatro núcleos A15.
Cristiano de Oliveira
Fontes? o.O
Motomagx Noitatsyalp
POr exemplo, a Samsung poderia se empenhar na estabilidade do sistemas de seus celulares, os clientes que mais reclamam de instabilidades no Google Play, a maioria usam Galaxy. Ou seja: hardware pode ser bem elaborado, mas a samsung faz um sistema PORCO!
Daniel Santiago
Quer ver é bater os 36,000 pontos do Xperia Z Ultra com Snapdragon 800
gatunox
A quantidade de calor dissipado independe da quantidade de núcleos em um processador, Claudio. Vide por exemplo um comparativo simples entre AMD vs INTEL. A grande quantidade de TDP dos processadores AMD, com a mesma quantidade de núcleos da concorrente. Baixo consumo e baixa temperatura estão presente em bons processadores e não em pequenos processamentos! ;)
YanGM
Não era pra ser uma resposta a esse comentário, falha minha.
YanGM
Tudo bem ter 8 núcleos, desde que ele saiba a hora de usar apenas 2, 3, 4, 5...
@mos_axz
O problema não é desenvolver isso, o problema é que é exagero colocar um octa core num sistema operacional que ira usar 30% dessa capacidade. Eu uso um i7 no meu computador, mesmo com 30 abas do chrome, jogo de nivel ps3, e tudo aberto, o processador não chega nem nos 50% do uso. Imagina se seria necessário isso num celular?
Claudio H.
Se com 4 núcleos meu smartphone já esquenta consideravelmente, com esse ai eu faço um omelete. :P
gatunox
Já cansei de ouvir esses comentários a respeito de que "processadores dual core em celulares é mais que suficiente". Gente, por favor. Quanto mais processamento, melhor. É muito mais interessante que a industria de hardware consiga criar processadores com grande capacidade e que cada vez tenham um consumo menor de energia, como forma paliativa de desenvolvimento na velocidade das aplicações HOJE, que amanhã. Aliás, quem deve melhorar a arquitetura e toda a interpretação do processamento não são as fabricantes e sim a dona do sistema operacional. Não sejamos BURROS, enquanto a GOOGLE não se mexer e fizer com que todos esses processadores sejam usados até o TALO, não teremos teremos um avanço explosivo. Agora imagine amanhã, com o sistema Android todo preparado para essa capacidade e com os processadores já criados até hoje... O bicho vai pegar!
othon
Mais de dois núcleos em um smartphone é masturbação tecnológica. Dois núcleos em um hardware e software bem trabalhados são mais do que o suficientes para um celular, como iOS e WP já conseguiram nos provar. Essas empresas deveriam focar numa melhor arquitetura de seus sistemas e menos nesses números que só servem para fortalecer a obsolescência tecnológica.