Início » Arquivos » Internet » Quando o Kickstarter dá errado: a campanha que arrecadou 3 vezes mais que o inicial e ainda assim fracassou

Quando o Kickstarter dá errado: a campanha que arrecadou 3 vezes mais que o inicial e ainda assim fracassou

The Doom That Came To Atlantic City virou um prejuízo de mais de US$ 100 mil para os investidores

Avatar Por

The Doom That Came To Atlantic City é um board game que, como acontece com vários projetos no Kickstarter, caiu nas graças do seu público e acabou arrecadando bem mais do que o valor inicial: de US$ 35 mil, os investimentos chegaram a quase US$ 123 mil.

Eis que após um ano dedicado à produção do jogo, o cara que criou a campanha no Kickstarter, Erik Chevalier, postou um update falando que… O jogo estava cancelado.

Antes, vamos fazer uma pausa para falar um pouco do jogo. The Doom That Came To Atlantic City é um game idealizado por Keith Baker, que tem um currículo bem extenso em desenvolvimento de games e escrita, e Lee Moyer, que tem um currículo igualmente gigante em design e ilustração.

Os dois trabalhavam na ideia há pelo menos uma década e resolveram repassar os direitos para a empresa The Forking Path, de desenvolvimento de games. Ela lançou projeto no Kickstarter para ser financiado e, eventualmente, chegar às casas das pessoas loucas para ver Cthulu destruir cassinos, numa espécie de Banco Imobiliário ao avesso.

Erik é o chefão da The Forking Path. Pelo site oficial, a empresa foi criada para trazer o board game à vida e fornecer material de apoio, como tutoriais, add-ons e suporte ao cliente. Obviamente tudo isso custa dinheiro, e, pela explicação, Erik teve problemas com o planejamento financeiro, gastando mais do que esperava em contratação de pessoal, problemas técnicos e questões legais. Ele também cita a sua mudança da Califórnia para Portland, no Oregon, para criar a empresa em um lugar com menor custo de vida e uma comunidade mais acolhedora.

O empresário já fez dois updates (este e este) explicando o que aconteceu e se desculpando com os investidores. A promessa é de que todos terão seu dinheiro de volta, mas sabe Deus quando, já que ele gastou tudo e está sem emprego, ou seja, não tem de onde tirar para devolver.

doomthatcameboard

Claro que a suspeita geral é de fraude, tanto que Erik diz que já recebeu várias ameaças desde que postou o update há três dias. Afinal, que tipo de planejamento é esse que, depois de arrecadar três vezes e meia o valor inicial esperado, ainda não consegue entregar o projeto? E se tivesse arrecadado exatamente os US$ 35 mil?

Curiosamente, 20 dias antes, um update havia sido postado avisando que o lançamento deveria ser no terceiro trimestre de 2013. Ou seja, o jogo estava bem encaminhado para ter uma previsão dessas. Também era essa a impressão de Keith e Lee, os criadores de The Doom That Came To Atlantic City, que ficaram tão surpresos quanto o resto da internet com a notícia de que o jogo havia sido cancelado.

Mas, ao contrário de Erik, eles têm como preocupação apenas a frustração de ver algo em que passaram tanto tempo trabalhando se tornar uma imensa dor de cabeça para milhares de pessoas. Para tentar ajudá-las, prometeram liberar gratuitamente para download uma versão para impressão do jogo. Assim, The Doom That Came To Atlantic City pelo menos verá a luz das residências.

O Kickstarter não deu nenhuma declaração oficial por enquanto em relação ao jogo, mas, no FAQ, consta que, se o projeto for bem-sucedido, quem o colocou no ar é obrigado a entregar todas as recompensas ou fazer o reembolso das que não forem possíveis. No caso de Erik, são quase US$ 123 mil em reembolso – sendo que ele recebeu um valor abaixo disso com o fim da campanha, após a cobrança das taxas do Kickstarter e da Amazon, como ele mesmo diz em um dos updates.

Vai ser preciso muita sorte para superar esse fracasso. Esse foi um caso isolado, entre milhares de outros que não dão problemas, mas fica a recomendação para quem costuma investir em crowdfunding de sempre dar uma bela pesquisada na empresa e ver como o planejamento está sendo feito antes de aplicar uma boa grana no projeto.

Com informações: Geekosystem

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Fernando Vicente

Kickstarter só serve pra recada dinheiro e deixa os fã na mão, vários jogos sem pre são adiado isso é de deixa agente frustado por espera algo que até não poderá sair eu mesmo não entro nessa de paga pra ajuda porque sempre temos decepções

Daniel Santos
Como você sabe que é o primeiro?
Yuji Negoro
Mas nesse caso é bem complicado mesmo...se pensar nos grandes nomes envolvidos...
Jean Brito
É verdade... Foda é que sempre tem um idiota pra estragar a magia da coisa.
Rodrigo Reis
Então, aconteceu o primeiro oportunista dos Crowndfunding, daqui pra frente será ladeira abaixo, infelizmente :S
Diogo Ramos Gutierre
Na verdade o caso não é tão isolado. Por coincidência ontem eu estava lendo sobre casos deste tipo no Kickstarter. A conclusão é que o sistema não ajuda aos financiadores nestes casos. E ela é a quem mais lucra e sai de boa nestas situações. Não lembro o site que eu li uns 5 casos como estes. Mas eu lembro que o mais comentado era de um aquário para agua viva. Aonde várias pessoas não receberam, ou a agua viva morria em poucos dias. Segue o link: http://reefbuilders.com/2012/03/18/desktop-jelly-fish-tank-turns-sting-owners/
Pierre Henrique Lehnen
Entrei no artigo achando que era sobre o Ouya
Felipe Teodoro
uma pena, parecia que seria mais um caso de sucesso :/