A Hanwang Technology (quem?) empresa que desde 2004 era proprietária da marca i-phone (sim, com um travessão) em solo chinês gentilmente cedeu às pressões da Apple e retirou o processo que movia contra a fabricante norte-americana por conta do registro do nome do mítico smartphone no país. Fabricante de cacarecos como e-reader e celulares, entre outros aparelhos, há pouco mais de cinco anos a empresa lançou um dispositivo com o nome mas agora afirma que ele “não está mais à venda”. Por hora não foram revelados maiores detalhes a respeito da transação.

Disponível na China desde o último dia 22 de novembro, as vendas iniciais do telefone da maçã naqueles lados não foram exatamente animadoras, já que em seus primeiros 14 dias de mercado o modelo teve apenas CINCO unidades vendidas, mas até a terceira semana de dezembro o telefone viu suas vendas explodirem e até o momento conta com mais de 100 mil unidades comercializadas do outro lado do mundo.

Em todo caso, as metas da operadora China Unicom para 2010 parecem modestas diante da ferocidade do mercado chinês: para o ano todo, a estimativa é vender “apenas” 300 mil unidades, auxiliados sobretudo por uma campanha “educacional/educativa” em 46 cidades do país. Por conta de regulamentações do país, os smartphones vendidos na China – incluindo o iPhone – não são tão espertos assim e não contam com conectividade WiFi ou bluetooth.

Imagine como seriam as vendas se eles tivessem todos esses recursos. [Mashable]

Comentários

Envie uma pergunta