A Acer foi uma das primeiras fabricantes de PCs a implementar a tecnologia Thunderbolt em seus produtos top de linha, mas deverá deixar de fazê-lo ainda em 2013. O motivo? Na visão da empresa, o USB 3.0 é muito mais viável.

O Thunderbolt é, essencialmente, baseado nos protocolos das tecnologias PCI Express e DisplayPort. Graças a esta característica, o padrão possibilita comunicação com vários tipos de dispositivos de maneira bastante eficiente e permite até mesmo seu uso com equipamentos FireWire ou DVI, por exemplo, por meio de adaptadores.

Mas o principal atrativo do Thunderbolt é a sua velocidade: até 10 Gb/s (cerca de 1,25 gigabyte por segundo) de maneira bidirecional, ou seja, tanto para envio quanto para recebimento de dados. Com o Thunderbolt 2, confirmado pela Intel no mês passado, a taxa de transmissão de dados poderá chegar a 20 Gb/s.

Thunderbolt: só na Apple mesmo?

Thunderbolt: só na Apple mesmo?

O USB 3.0, por sua vez, também é bastante rápido, mas “só” alcança 4,8 Gb/s. Por que a preferência por esta especificação, então? Viabilidade, como informado no início do post. O USB 3.0 é mais simples e barato de implementar, é compatível com a imensa variedade de dispositivos USB 2.0 e, apesar de não ser o padrão mais rápido, sua velocidade é suficiente para a grande maioria das aplicações atuais.

Mas isso não quer dizer que o Thunderbolt está fadado ao fracasso, pelo menos não tão cedo. Primeiro porque a tecnologia continua firme e forme nos produtos da empresa que, depois da Intel, é a que mais apoia a sua adoção: a Apple. Segundo porque rivais como Asus, Dell e Lenovo confirmaram suporte ao Thunderbolt, pelo menos no decorrer de 2013.

Só que este apoio não é suficiente. É necessário que fabricantes de HDs externos, câmeras digitais e afins também aumentem seu interesse pela tecnologia. Para tanto, a Intel precisa dar conta da principal queixa da indústria: os custos de licenciamento e fabricação da tecnologia melhoraram, mas continuam elevados. Tente comprar um mero cabo Thunderbolt para sentir como o seu bolso grita.

Com informações: CNET News.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Roberto Oliveira Rodrigues
Promissora, mas acredito que ainda assim será o nome Firewire (só a Apple adotou, a "diferentona", e depois morreu).
portela.thiago
Nunca havia ouvido falar nessa tecnologia, até agora. Monstruosa essa taxa de transferência, creio que até interfaces digitais de áudio se beneficiariam dessa velocidade, caso a adoção dela fosse maior...
portela.thiago
Logo né.. tipo em uns 100 anos...
Cristiano Viana Alves
Logo a internet brasileira vai precisar de modens com essas taxas de transferência
Felipe Lima
tecnologia que em 3 anos será descontinuado
Manoel A. A. Carvalho
Cria a tecnologia e não facilita a adesão, dar nisso: as empresas pulam fora. Ver se a MS não abaixou o preço do novo sistema, Win8. Melhor, quase deu só pra ver a rápida aceitação. Windows por R$ 70? Nunca antes vi isso.
Rafael Machado de Souza
USB é um padrão criado por varias empresas na época.
Zeruel Otomo
Faltou mencionar que a porta não é tão difusa assim por restrição da própria Intel (aliás, é bizarro isso, afinal USB é tecnologia da Intel também não?) http://appleinsider.com/articles/13/01/15/thunderbolt-still-a-niche-due-to-intel-licensing-requirements Ou assim parece.