No não tão longínquo ano de 2010, Keiji Inafune, chefe de pesquisa e desenvolvimento da Capcom conhecido por ser um dos criadores do Mega Man, teve a ideia de deixar o personagem de acordo com a geração atual de games. Foram escalados Mark Pacini, Todd Keller e Jack Matthews, os responsáveis pelo desenvolvimento de Metroid Prime, jogo de 2002 que atualizou a franquia e acabou dando início a uma trilogia. A receita seria mais ou menos a mesma: manter a essência do jogo e mexer no visual e na jogabilidade para ficar de acordo com a época em que ele seria lançado, mais realista e que pudesse tanto agradar antigos fãs como conquistar novos.

O resultado do novo game de Mega Man se chamaria Maverick Hunter e a história seria baseada em Mega Man X, a mais sombria e complexa da série. O herói foi reimaginado numa versão muito mais robótica e nada fofinha, que chega a lembrar toda a ciborguice do Raiden de Metal Gear Rising Revengeance. Mas sem perder características que são marca registrada, como níveis em plataforma e, claro, o canhão no braço, além de outras armas e personagens com design renovados. A armadura do Mega Man, aliás, foi desenhada por Adi Granov, ilustrador da Marvel que começou sua carreira na Nintendo e também foi um dos responsáveis pela armadura do Homem de Ferro no cinema.

Créditos: Polygon.com

O nome Maverick Hunter, aliás, não é estranho para os fãs da franquia: é o nome do grupo que protege o mundo dos ataques de Mavericks (de forma bem simplificada, são os vilões do jogo) em Mega Man X.

O realismo projetado no novo título se estendia para o combate: em vez de cargas de energia, o protagonista disparava mísseis e bombas, e poderia roubar as armas dos oponentes derrotados e combiná-las para criar uma nova. A ideia da Armature, empresa que se encarregou de recriá-lo, era que Maverick Hunter fosse o primeiro game de uma trilogia, assim como Metroid Prime. No título final, o protagonista passaria a ser Zero, o único capaz de derrotar um Mega Man superpoderoso que se torna uma ameaça.

Durante seis meses, o estúdio investiu no desenvolvimento do jogo e chegou a uma versão jogável beta, da qual foram tirados os gameplays que mostram, em poucos minutos, como seria o game. Mas, com a saída de Inafune da Capcom, ele se tornou apenas mais um título de Mega Man que foi para o limbo nos últimos anos, junto com Mega Man Legends 3, Mega Man Universe e Mega Man Universe, o mais recente.

Como resultado, a Capcom parece não ter ideia do que fazer com o personagem. A franquia não tem nenhum grande lançamento há um bom tempo – tanto que a comemoração dos 25 anos, em 2012, foi dividida com Street Fighter no bobinho Street Fighter X Mega Man – que, aliás, surgiu como uma versão feita por fãs. Outra versão não oficial que caiu nas graças dos fãs foi um mod de Doom que tornava Mega Man um jogo em primeira pessoa. Mas a Capcom não se animou e disse, em seu próprio fórum, que não tem intenção de fazer um jogo assim.

Créditos: Polygon.com

No entanto, depois de ver as imagens e vídeos de Maverick Hunter, não dá para deixar de pensar se, caso tivesse sido levado até o fim, repetiria o sucesso da versão nova de Metroid feita pelos mesmos caras ou do reboot de Tomb Raider, outro clássico que foi atualizado para as tendências atuais no mercado de games. Além disso, observando algumas das características reveladas, ele parece lembrar bastante, pelo menos no visual, Metal Gear Rising: Revengeance, lançado neste ano. Ou seja, pelo menos na teoria, o trabalho seria muito bem feito. Na prática, nunca saberemos.

Com informações: Polygon