Início » Arquivos » Telecomunicações » Governo reduz impostos de operadoras para ampliar banda larga

Governo reduz impostos de operadoras para ampliar banda larga

Operadoras podem investir até R$ 16 bilhões em ampliação de rede

Lucas Braga Por

Na corrida a favor do avanço das telecomunicações do Brasil, o Governo Federal criou nesta segunda-feira (18) o chamado REPNBL-Redes, sigla para o gigantesco nome do Regime Especial de Tributação do Programa Nacional de Banda Larga para Implantação de Redes de Telecomunicações. Na prática, esse regime beneficia as operadoras com algumas reduções de impostos.

O objetivo desse regime é massificar a banda larga no Brasil, junto ao existente Plano Nacional de Banda Larga. Operadoras que pretendem ampliar a área de cobertura dos seus serviços ficarão isentas de três impostos (PIS, Cofins e IPI) na compra de equipamentos e nas obras realizadas para implementação das redes. No entanto, a desoneração de impostos ocorrerá apenas se os equipamentos possuírem tecnologia nacional, algo já comum no atual cenário da telecomunicação brasileira.

Mais fibras pelo Brasil afora

Mais conexões pelo Brasil afora

Isso vale também para os serviços de internet móvel. A redução de impostos poderá incentivar a ampliação da capacidade e cobertura das redes móveis, o que deve beneficiar a expansão do 4G no Brasil. As operadoras estão correndo para entregar até abril uma rede 4G em todas as cidades-sede da Copa das Confederações.

Tudo tem um porém: os investimentos não poderão se concentrar apenas nas regiões Sul e Sudeste. As operadoras que construírem novas redes nessas regiões do país deverão obrigatoriamente expandir a cobertura nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Isso deve melhorar a oferta de serviços nas regiões menos privilegiadas de redes de fibras óticas.

As operadoras deverão enviar seus projetos de expansão para o Ministério das Comunicações até o dia 30 de junho. Essa medida prevê um investimento adicional do setor de até R$ 16 bilhões, e o governo deixa de receber aproximadamente R$ 6 bilhões até o ano de 2016. Esperamos que os investimentos realmente aconteçam e que a banda larga se torne um serviço mais universal.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Vicente Azulay
Eu fabrico e monto as torres em qualquer lugar do planeta e ainda instalo os sistemas irradiantes para enlaces ponto-a-ponto e ponto multiponto, para conexões via rádio e/ou a cabo...! ...Se depender de mim, tá na mão a parte mais trabalhosa e arriscada da infraestrura...! Quer ver...? http://www.facebook.com/photo.php?fbid=4184633464354&set=pb.1540041885.-2207520000.1361379573&type=3&theater
lucassandoval
Qualquer medida protecionista que o governo americano tome é ruim para o povo americano. Qualquer medida que o governo brasileiro tome, é ruim para o brasileiro. Ajudar a nação só é possível de um único jeito: abrindo a economia. Quanto menos governo, menos miséria.
Lucas Braga
Não faz muita diferença, já que grandes partes dos fornecedores utilizados pelas operadoras mantém unidade fabril aqui no Brasil.
Vitor
Pelo mesmo motivo que os EUA travam as laranjas brasileiras. Porque compraremos laranjas do Brasil se podemos usar a nossa própria? Mesmo a do Brasil sendo mais barata... As medidas de proteção da indústria nacional estão aí para AJUDAR a nação e quem nela vive. Medíocre seria se ele não ligasse E ABRISSE MAIS AINDA AS PERNAS PARA O EXTERIOR.
mlhz
Boa!!!
Gustavo R.
"Ocorrerá apenas se os equipamentos possuírem tecnologia nacional." Maldito protecionismo...
lucassandoval
"No entanto, a desoneração de impostos ocorrerá apenas se os equipamentos possuírem tecnologia nacional, algo já comum no atual cenário da telecomunicação brasileira." A imbecilidade nacionalista parece não ter fim. Por que diabos comprar essas merdas no Brasil? Se uma empresa do exterior produz mais rápido e barato, por que não comprar? Gente do céu, que governo medíocre. E nada de redução de ICMS? O governo federal devia pisar na gargante dos governos estaduais. o icms é o imposto mais criminoso da conta de telefone/internet. Outro ponto é a concorrência. Oras, o governo devia dizer "A partir de agora, quem quiser instalar rede, é só começar. Não há impedimentos e nem montanha de burocracia". ê laia
Rodrigo Almeida
Tem que investir pesado mesmo no 4G, porque o 3G ninguém merece!
Fabio
Parece uma boa notícia, só parece, por enquanto. Porque a Internet brasileira ainda é muito deficiente, principalmente, com relação a velocidade de upload. Nos dias atuais, a necessidade que os usuários têm de enviar vídeos para o Youtube e grandes quantidades de dados através de redes sociais cresceu absurdamente. Chega a ser vergonhoso a velocidade de upload por aqui, mas uma mudança visando diminuir a discrepância entre taxas de upload e download vai requerer um movimento dramático em termos de infraestrutura, devido a maioria dos modems básicos ADSL suportar somente até 1MBps de upstream. Sonho com um cenário onde teremos uma conexão de 100MBps de download e 50MBps de upload pagando míseros 49,99 por mês. Espero a conversão deste sonho em realidade para nós brasileiros. Obrigado pela atenção queridos :D