Lançado em 2008, RealDVD é um programa que permite que usuários façam cópias digitais de seus filmes em DVD, seja apenas como backup ou para não depender da mídia física para assistir a um filme. Os arquivos gerados por ele são cobertos por DRM, tecnologia que impede que tais arquivos sejam pirateados. Desse jeito, o filme só poderia ser exibido em até 5 computadores autorizados, no caso, pelo RealDVD.

Ao ler isso pode-se imaginar que a MPAA, associação de filmes americana, não teria um problema com a RealNetworks, empresa que faz e vende o programa, certo? Eles têm uma licença para decriptografar o DVD e ainda colocam DRM impossível de ser removido no arquivo, ou seja, tomaram os passos necessários para impedir que os DVDs fossem distribuídos livremente em redes de compartilhamento. Ainda assim, a MPAA decidiu processar a RealNetworks alegando que a empresa “ilegalmente violou o direito deles de restringir o uso dos filmes no formato digital”.

MPAA X RealNetworks, quem ganhará?

MPAA X RealNetworks, quem ganhará?

Hoje esse processo deu um passo à frente e fez o ato de realizar um backup de um DVD dar quinze passos para trás. O juiz Judge Patel emitiu uma espécie de liminar impedindo a RealNetworks de vender o programa. O ponto mais absurdo é que a DVD Copy Association, que deu a licença para quebra da criptografia CSS dos DVDs à RealNetworks e essa associação tem como membros os mesmos estúdios que formam a MPAA.

Felizmente, a decisão do juiz é apenas preventiva, o caso ainda vai para julgamento. Enquanto isso, a MPAA não quer que você use nenhum programa de backup de DVDs porque são todos ilegais. Portanto, não use o Handbreak, DVD Shrink, Videora, ou qualquer outro programa de conversão de DVDs. De fato, não clique nem nos links. Você não deveria nem estar lendo esse post. Afaste-se do seu computador, a MPAA sabe onde você mora e está indo te pagar. [Engadget]

Comentários

Envie uma pergunta