Início » Arquivos » Telecomunicações » Oi quer levar banda larga popular para 4.800 cidades até 2014

Oi quer levar banda larga popular para 4.800 cidades até 2014

Banda larga de 1 Mbps tem franquia mensal de 500 MB

Lucas Braga Por

A Oi comunicou que não está parada com o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). A operadora adicionou mais 127 municípios ao programa, e até o final de 2014 todas as cidades-sede onde a Oi atua com o serviço de telefonia fixa serão atendidas pelo serviço. 4.800 cidades serão beneficiadas com o plano.

O PNBL tem como objetivo levar banda larga para todas as cidades do Brasil a um preço que o consumidor possa pagar. Com mensalidade de R$ 35 (ou R$ 29 nos estados onde há isenção de ICMS), o cliente leva banda larga de 1 Mbps com 500 MB de franquia para navegar. Em julho do ano que vem, essa franquia aumenta para 1 GB e, após o consumo, a velocidade é reduzida para 128 kbps até o próximo mês.

Como o serviço é voltado para a inclusão digital, ou seja, seria a “primeira conexão com a internet” do consumidor, até que está de bom tamanho. A operadora fornece o modem sem custo para o cliente e a instalação de R$ 99 é parcelada em 10 meses para facilitar na hora de pagar.

Regiões onde Brasil Telecom e Oi atuavam antes da fusão entre as duas empresas

De todas as 2.132 cidades atualmente cobertas, 41,5% são das regiões Norte e Nordeste do Brasil, que sempre enfrentaram dificuldades em conexão de qualidade. A falta de fibras ópticas impede o desenvolvimento tecnológico dessas regiões, que precisam recorrer a satélite ou fibras de países vizinhos. É o caso do Velox no Amapá: a Oi aluga uma fibra de uma operadora da Venezuela, que passa pelo mar até chegar em Fortaleza, no backbone da empresa.

A operadora também conta com um plano de internet móvel nos moldes do PNBL: são 150 MB de franquia no Velox 3G, que custam R$ 29,90. Após o consumo da franquia, a velocidade é reduzida para 150 kbps.

Vale lembrar que o estado de São Paulo não será atendido pela Oi no PNBL de internet fixa: a operadora não possui infraestrutura necessária no estado, e isso fica a cargo da Vivo e de outras operadoras participantes do programa.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

josia.40
olha ei sei do que falo não entre na oi ela tem propaganda enganosa oferece mais não funciona estou tendo problemas desde que instalei tenho e na verdade prejuizo no meu bolso pago pelo que não recebo a conta chega mais a velocidade contratada não tenho 15 megas mais sor chega as vezes 1 ou menos como hoje 3/26/2014 11:27 PM GMT iso e meu ip 189.81.210.101- 0.45 Mb/s 0.83 Mb/s 138 ms Juazeiro tenho mais teste veja esse 3/26/2014 11:36 PM GMT 189.81.210.101 0.27 Mb/s 0.24 Mb/s 104 ms Recife iai estou provando na verdade o que eles são na verdade deixo a qui o meu desabafo estou doente com essa oi e sou ainda hipertenso tive uma briga com eles hoje agradeço desde já
Pedro H. Oliveira
MEU DEUS... com essa qualidade de serviço só tenho uma coisa a dizer: "Corra Bino é uma cilada"
Lucas Sandoval
DeveLonBR, tudo certo? Deixe-me explicar porque você está errado: "É importante lembrar que o mercado de banda larga é um dos mercados mais concorridos do brasil. Existem cerca de 3,5 mil empresas atuando no país todo, muitas delas focando no interior ou em nichos de mercado. Só que elas dependiam das grandes para prover essa infra que agora está sendo provida pela TELEBRAS." -Primeiro: telebras não deveria existir. Será que existe concorrência mesmo? Por exemplo, eu moro no interiorzão de SP, aqui tenho apenas uma opção: speedy da telefonica. Oras, cadê as 3,5 mil empresas? E é assim em boa parte do país. Meu primo, que mora no interior de MG, tbm só tem uma opção para telefone e banda larga. A culpa é fata de concorrência. Pago 70 reias por mês por 8mb dsl. Com esse mesmo valor eu teria uma conexão via fibra óptica bem mais rápida e estável na capital SP. "Ante a esse panorama, não vejo como a presença do Estado nesse setor, ao menos nesse momento, possa ser uma coisa ruim." - Como você não vê a total e extorsiva presença do estado no setor de telefonia? Deixa eu te contar uma coisa: foi a anatel que atrasou a chegada do LTE ao Brasil. O estado só serve para atrasar o avanço da telefonia no Brasil. "E essa bravata sobre o fim imediato da Anatel, propondo uma comissão “enxuta e técnica” revela desconhecimento. A Anatel é um Conselho de 5 pessoas, que tem uma estrutura de apoio voltada a estudos e fiscalização de cerca de 700 profissionais de nível superior na atividade fim e mais uns tantos de nível médio. O Quadro é, em sua maioria, de servidores de carreira aprovados por concurso público e altamanete especializado." - Você tem uma visão muito errada sobre a real ANATEL: Vou começar com um exemplo básico: Estamos em 2012 e até hoje a ANATEL não deixa que operadoras virtuais existam. No exterior, operadoras virtuais são muito usadas para se manter alta concorrência. Dê uma olhada no número de operadoras de celular que atuam na austrália e depois compare com o Brasil. ANATEL protege cartel...um crime contra o brasileiro. Lembra quando eramos obrigados a contratar um provedor de acesso discado ao contratar banda larga? Pois é, coisa da maravilhosa ANATEL. Ao contrário do que você pensa, a ANATEL é inchada, burocrática e ineficiência. Depois que o PT assumiu o poder, ANATEL se tornou mais um palco de politicagem da mais asquerosa possível. Obviamente o PT não vê por onde arrumar emprego para os amigos a troco de ver esses amigos defendendo-o de forma absurda(ao ponto até de dizer que mensalão não existiu). É por isso que defendo uma comissão enxuta e extremamente técnica. No canadá, por exemplo, até existe agência reguladora, mas essa não tem o poder sobre a qualidade e o preço dos serviços prestados. E nem precisa, pois onde há baixos impostos, concorrência e baixa regulamentação, a coisa flui naturalmente. "- Como assim a Anatel não vai regular qualidade? Mesmo regulando as empresas fazem o que fazem, imagine se não houvesse regulação. Qual seria a alternativa?" Vejo que você está parado em 1950. Quando a mentalidade estatista imperava. Por exemplo, aquela coisa que obriga as empresas a entregarem pelo menos 20% da velocidade contratada é desnecessária. Não conheço uma pessoa sequer que tenha contratado um link e recebido apenas 20% da velocidade. Se em algum lugar isso acontece, mais uma vez a ampla concorrência é o que realmente resolveria. Lembra do canadá? lá a reguladora não pode exigir qualidade e preço. Isso é desnecessário. "- Devido à necessidade de investimentos em infra, TELECOM é um mercado com tendência monopolística. Se você deixar tudo liberado “à mão invisível do mercado”, as empresas vão começar a se fundir até sobrarem algumas poucas ou mesmo uma única empresa. “Concorrência de verdade” sem presença do Estado regulando é impossível. No 4G, por exemplo, a Anatel se virou nos 30 para garantir que pelo menos 4 empresas estivessem na banda de 2,5 GHz." - A "mão invisível do mercado" funciona. O estatismo, não. Você lembra da época em que uma linha demorava meses para ser instalada e custava uma montanha de dinheiro? Hoje com 100 reais(q pode ser dividido em 10 vezes sem juros) e 2 ou 3 dias vc tem uma linha fixa instalada. Telefonia estatizada jamais conseguiria isso, pois é sempre dominada por políticos e sindicalistas mafiosos que querem apenas enriquecer de forma ilícita. - Sobre o 4G: Apenas 4 empresas para um país do tamanho do Brasil? Essa é a ta concorrência? Pra mim isso quase igual um cartel. A frequência leiloada mostra, mais uma vez, a inutilidade da anatel. O certo seria a ANATEL já ter desativado a frequência de 700mhz que hoje é usada pela televisão analógica se não me engano. Pode estatal pra isso ela tem. O problema da frequência de 2,5Ghz é que as operadoras serão obrigadas a instalar MAIS antenas porque quanto maior a frequência, menor o alcance(sim, parece besteira, mas é assim). Na prática, isso fará com que o custo da infraestrutura necessária SUBA e, consequentemente, o preço inicial do serviço. No mais, a anatel arrecadou pouco dinheiro nesse leilão. "- Diminuição dos impostos tem impactos sobre o preço, que, por sua vez, tem impacto sobre o uso (vide o caso da promoção infinity day da tim). Não é tão fácil quanto parece quando temos uma infra precária. Mas concordo que a diminuição é desejável." - Na verdade, essa seria uma solução específica para a melhoria do setor. Compreendo que não é o ideal. O ideal seria uma reforma da previdência pra cobrir o rombo do setor público e tbm uma reforma trabalhista. Sem essas duas reformas seria impossível uma reforma tributária justa(a solução ideal). "- Que outros exemplos de “Regulamentação estúpida” você tem? 10-20% de tecnologia ou produção nacionalizada não é um empecilho para as empresas e traz benefícios para o país. Convenhamos, não há estupidez na medida. Não voltamos ao tempo de Collor em que tentamos nacionalizar TODA a tecnologia de ponta que tinhamos." Bobeira! Mais uma vez você está enganado. Eu defendo a ideia de que o custo para instalação de infraestrutura seja o menor possível para as empresas privadas. Por que? Porque quanto mais caro for, mais caro será o serviço prestado. O problema de se comprar, por exemplo, 20% ou 30% dos equipamentos necessários no BR é claro: preço maior e demora. Esse preço acima da média fará com que o preço do serviço suba tbm(como eu já disse e tô repetindo hehe). Sobre o Collor: Esse cara abriu a economia do Brasil o que foi extremamente benéfico. Que tecnologia de ponta o BR tinha? A maldita reserva de computadores criada pelos militares? hahahaha estávamos décadas atrasados em computação(o que contribuía para a ineficiência das nossas empresas já que elas não podia comprar computador bom no exterior legalmente). E os carros? Collor foi o cara que teve peito de dizer que os nossos carros eram extremamente patéticos. O nosso cartão de crédito não funcionava no exterior. É engraçado olhar para trás e ver o impeachment do Collor. Não que ele não tenha merecido pelos erros que cometeu, mas porque nos últimos 10 anos um ser asqueroso fez coisas MUITO PIORES e ninguém ousou bater de frente. Alguns exemplos? caso celso daniel, lulinha rico e mensalão. Pra finalizar, gostaria de indicar um vídeo no youtube: "O milagre nas telecomunicações da guatemala" http://www.youtube.com/watch?v=cmyPDjJ4l7o
DevlonBR
Me desculpa, mas no seu comentário de 21/11/2012 às 18h02 você está redondamente enganado. 1. Os "poderes" da FCC são MUITO, MUITO parecidos com os da Anatel, que tem forte inspiração nas Executive Agencies americanas. Ambas regulam competição, prestação dos serviços, qualidade, universalização, entre outros elementos, homologação e certificação de equipamentos. 2. A Anatel também é uma Agência Independente (autarquia especial). 3. Se você acha que o modelo dos EUA é melhor...
YanGM
As operadoras de lá são grandes empresas que fazem Lobby no governo, aqui as operadoras são incompetentes protegidas pelo governo. E eu nunca mandei ninguém se inspirar no Estado mínimo dos EUA. Além disso, a FCC é um órgão independente do governo que regula aparelhos emissores de RF, já a Anatel tem maior poder (de fazer merda).
Alex Ramos
É bom ver que as operadoras estão se esforçando para melhorar esse serviço tão importante para o brasileiro, mas com uma franquia dessas não dá né?!
Edmilson
A velocidade não chega a ser um problema mas uma franquia menor que 2GB para desktops não rola, no celular até rolaria, pois eu pouco uso, nos últimos meses no wifi usei 5,16GB em sua maioria com atualização de apps, seria super viável.
Pedro Saldanha
Essa franquia é que atrapalha as coisas, assino uma de 2MB por R$60 mas ilimitada, em um mês transfiro mais de 60GB. Com 128kbps eu prefiro nem navegar.
DevlonBR
Só tem um problema no seu raciocínio: a regulação de Telecom nos EUA é BEM parecida com a nossa. Muita coisa daqui é inspirada nas de lá e nas experiências europeias. Veja em qualquer aparelho passível de emissão de RF se não tem um "selinho" de homologação da FCC Então criticar a Anatel e querer ver uma experiência de "estado mínimo" inspirada nos EUA é bem estranho.
Rennan Alves
"Estado mínimo funciona muito bem quando pessoas competentes estão no estado." Como tudo na vida meu caro. :-) Infelizmente os capazes levarão os incapazes nas costas e ainda precisarão de tempo para resolver problemas.
YanGM
Muito custo e muito lucro, amigo. Menos a Tim, que está no Canadá passando por uma marolinha financeira.
YanGM
Incentivos? Essas teles devem aprender a obedecer as ordens do estado mandão e ficarem quietas.
YanGM
"Crise? Isso é só uma marolinha." Mas sério, essa intervenção do estado a cada peido que alguém dá já deu. Estado mínimo funciona muito bem quando pessoas competentes estão no estado.
João Ricardo
Sério. R$ 29,90 por R$ 150 MB de 3G? A Vivo oferece 200 MB por R$ 10,00 aqui no 3G, aliás é a única que tem 3G aqui. Mas tá ok né.
Rennan Alves
Interessante, não conhecia estes dados. No caso, seria este também um indício do governo Dilma "obrigar" as empresas de telefonia, ou prover incentivos para as mesmas expandirem a infraestrutura utilizando os cabos de fibra da Telebrás que não estão sendo utilizados?
Exibir mais comentários