nokia-disconnecting A blogueira Pryia Ganapati, da Wired, decidiu fazer uma listagem com sete motivos pelos quais a Nokia não é uma fabricante de celulares “amada” nos Estados Unidos. Nós do Tecnoblog News decidimos reproduzir (e comentar!) a lista de Ganapati aqui, com uma breve explicação sobre cada item. O artigo completo, em inglês, pode ser encontrado no Gadget Lab.

  1. Marca fraca: enquanto Apple, RIM e Palm veiculam comerciais na televisão, impressos e na web, a Nokia faz muito pouco nesse sentido. E todo mundo sabe: “a propaganda é alma do negócio”.
  2. Perda de foco na produção para CDMA: a Nokia fez grandes apostas no GSM, que se popularizou no mundo inteiro. No entanto, no mercado norte-americano a briga com o CDMA permanece: Verizon e Sprint adotam a tecnologia mais antiga, enquanto que AT&T e T-Mobile preferem a mais recente.
  3. Má execução: Ganapati cita como exemplo de projetos mal executados da Nokia o lançamento da Ovi, loja de games, aplicativos, vídeos e podcasts que, logo no primeiro, dia enfrentou grandes dificuldades devido à enorme (e mal calculada) procura.
  4. Falta de relacionamento com as operadoras: enquanto que no Brasil o mais comum é ver operadoras vendendo aparelhos da Nokia, com subsídios e contratos de pelo menos um ano, nos Estados Unidos é o contrário. A Nokia gringa prefere vender os próprios aparelhos desbloqueados e sem subsídios.
  5. Design incomum: embora os americanos prefiram celulares “anoréxicos”, a Nokia insiste em fazer aparelhos “realmente finos”. Outro problema para o mercado americano é a falta de aparelhos com flip, que a empresa se nega a produzir porque os europeus não gostam. (Nota: a Nokia é finlandesa)
  6. Symbian: segundo um analista ouvido por Pryia Ganapati, o software da Nokia é “muito bugado, muito difícil de usar e muito desajeitado”.
  7. Loja de aplicativos insignificante: desde que a Apple lançou a App Store, há um ano, a loja tornou-se modelo de vendas ainda inatingível. A Nokia bem que tenta com a Ovi, mas enfrenta problemas. Por exemplo, para comprar um aplicativo, é necessária uma transação de cartão de crédito separada para cada compra.

Em termos mundiais, a Nokia ainda é a maior fabricante. Foram 468 milhões de aparelhos vendidos no ano passado, um aumento de 7,8% em relação a 2007. A América do Norte é a que menos compra os celulares da empresa (16 milhões), enquanto que a região da Ásia/Pacífico é a que mais compra: 115 milhões de aparelhos vendidos. A América Latina foi responsável pela compra de 51 milhões de celulares em 2008.

Comentários

Envie uma pergunta