Início / Arquivos / Brasil /

Família de Nissim entra com processo contra YouTube

Google deve retirar vídeos do ar, defende advogado

Thássius Veloso

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

A família de Nissim Ourfali, o adolescente que ficou famoso na internet ao parodiar uma canção da banda One Direction, entrou com uma ação na justiça de São Paulo contra o YouTube, site controlado pelo Google do Brasil. O advogado da família, Marcelo Roitman, esclareceu ao Tecnoblog que não há interesse em indenização; somente em retirar os conteúdos do site de vídeos.

Assista ao vídeo no YouTube

Roitman disse que o pleito tem por objetivo proteger a vida privada e intimidade do adolescente, ambas violadas com o viral que chegou a mais de 3 milhões de visualizações na internet. “O único objetivo do processo é a imediata retirada do referido vídeo das páginas da internet controladas pelo Google.”

Ainda de acordo com a advogado, o valor do processo fixado em 30 mil reais ocorre por obrigação ao iniciar um processo judicial. “O menor Nissim Ourfali não pleitou qualquer indenização contra o Google”, diz.

Por ser menor de idade (13 anos), há uma série de salvaguardas a que a família de Nissim tem direito. O Estatuto da Criança e do Adolescente pode tornar a usual defesa do Google, de que não é responsável pelo conteúdo publicado na plataforma YouTube (geralmente é isso o que dizem), mais complicada, no meu entendimento. O garoto tem o direito de ser preservado. Nissim não concederá entrevistas à imprensa, de acordo com seu advogado.

O processo (583.00.2012.192672-8) foi iniciado em 19 de setembro na 1a. Vara Cível de São Paulo. Num despacho de 24 de setembro consta o seguinte.

“(…) é para mim duvidosa a possibilidade técnica de retirada da internet de todos os caminhos de acesso que a essa altura se estabeleceram ao vídeo em questão, sendo certo que disseminação descontrolada de conteúdo é característica da internet (da qual, talvez pela novidade ainda de sua existência, boa parte dos usuários não tem consciência). Assim é que, embora compreenda sob aspecto humano a situação em que se encontra o autor, não vejo de plano possibilidade de estabelecer obrigação de fazer, mormente de conteúdo aberto como pretendido, para a requerida, convindo seja por primeiro aberto o contraditório.”

O Google Brasil, como de costume, não se manifesta sobre casos específicos correndo na justiça. Por sua vez, a família do menino judeu, procurada pela revista Exame, preferiu não se manifestar sobre o assunto.

Andamento do processo

Andamento do processo

Há outros casos similares a estes, em que partes que se dizem prejudicadas pedem para que o Google remova conteúdo de seus sites ou mesmo de links que aparecem em resultados de busca. A apresentadora Xuxa recentemente perdeu uma litigiosa batalha contra a companhia. Em entrevista exclusiva, a diretora jurídica do Google disse que “não existe essa coisa de sair da internet“.

Em período de eleições, um candidato entrou na justiça eleitoral contra o YouTube e teve decisão favorável à remoção de conteúdo do site. O Google se recusou a removê-lo e o diretor-geral, Fábio Coelho, teve de prestar esclarecimentos à Polícia Federal. O Google Brasil publicou uma carta aberta tratando do assunto.

Atualização em 11/10/2012 às 14h14.