Se o lançamento de um novo modelo de iPhone fosse um filme, um dos clichês que estariam em todos eles seria o do desmanche do aparelho. Um segundo clichê é o teste de queda que compara como o smartphone da Apple se sai contra algum dos seus concorrentes. O primeiro aconteceu ontem pelas mãos do iFixit e o segundo inevitavelmente aconteceu hoje, pelas mãos do pessoal do Android Authority, que o colocou lado a lado com o Galaxy S III.

O resultado? A tela do iPhone 5 se saiu melhor, sobrevivendo intacta a quatro quedas de alturas diferentes. O mesmo não possa ser dito das suas laterais, que ficaram bem amassadas com a queda. Já o Galaxy S III teve sua tela quebrada na segunda queda, na altura do peito, e mesmo depois de passar por duas quedas subsequentes o display ainda funcionava.

Veja o vídeo desse teste incrivelmente científico logo abaixo.


(Vídeo no YouTube)

Outro que testou a durabilidade do iPhone 5 na situação de queda foi o pessoal do iFixYouri, e eles tiveram um resultado um pouco diferente… depois de uma queda meio forçada como você pode ver no vídeo abaixo.


(Vídeo no YouTube)

A conclusão científica que podemos tirar dos dois vídeos é: esse tipo de teste é um daqueles “sua quilometragem pode variar”, em que diferentes circunstâncias vão gerar diferentes resultados. O ângulo da queda do aparelho pode influenciar bastante o dano que o chão causa no dito gadget. Mas ambos dão uma ideia geral da resistência do novo iPhone, que parece ser um pouco melhor que os anteriores.

Outra conclusão que eu tiro, dessa vez de forma independente, é que por mais que um celular custe caro, vai ter gente comprando uma unidade dele apenas para atirá-lo ao chão. Esse é o mundo que vivemos, deal with it.

Com informações: MacRumors.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Caio Vidal
Não da pra tomar base por um teste assim, depende muito do angulo que o celular cai e o jeito que ele cai no chão, se fosse um teste mais controlado, ai sim seria correto a comparação!
@leossoliveira
O meu Lumia 800 já caiu duas vezes no chão com a tela virada pra baixo :( doeu na alma! mas não aconteceu nada e ele continua novinho, a unica coisa ruim é que é inevitável não riscar a tampinha de metal de trás. Mas eu não vou vender o meu não rs vai ficar de relíquia que nem o N95 8gb.
@leossoliveira
Fica queto velho...
Allan Cancian Marquez
Acho que a Nokia doou a tela pra Apple...
caRIOca
O meu Nokia 3310 também adorava um chão e nunca quebrou ou pifou. Mas eu tenho um medo danado do meu Nokia Lumia 800 cair no chão, já que quero mantê-lo novinho, para conseguir um preço razoável numa venda para adquirir um Lumia 920 em janeiro do ano que vem!
Kessler
O teste continua sendo de certa forma falho, pois não dá pra saber a probabilidade de ele quebrar com apenas uma queda. Mas é claro que este não é um teste científico, é apenas para se ter uma certa base de quão resistentes são os aparelhos.
trovalds
Bom, só sei que uma amiga minha "fez o favor" de detonar um SIII com uma semana de uso após uma queda do sofá. A tela virou "nada". Detalhe: o SIII não era dela. A (má) sorte é que ela tinha um SIII também e teve que "doar de bom grado" o aparelho.
Ramon Melo
Que eu me lembre, é mesmo. Mas isso porque nunca tinha encontrado um motivo para defendê-lo antes. Dona Apple foi generosa dessa vez.
Ramon Melo
Ah, então não é só por aqui que estou vendo pessoas usando high-ends no transporte público. Bom saber. Outro dia estava no ônibus preso no engarrafamento e todo mundo estava usando um iPhone, um Galaxy SIII ou um Razr.
Rennan Alves
Em todos estes anos nesta indústria vital, esta é a primeira vez que o Ramon defende o iPhone.
Ramon Melo
Eu nem acredito que vou defender um iPhone, espero que os deuses tenham piedade da minha alma depois da minha morte. Não existe esse papo de "se deu mal pela forma que caiu". Aparelho bem construído simplesmente não quebra quando cai. A fabricante, antes de lançar um aparelho no mercado, faz testes intensivos de quedas, resistência do acabamento a água, a poeira e a produtos químicos, resistência dos botões a fadiga, resistência do painel e das câmeras a pressão, arranhões, poeira e perfuramentos, entre outras coisas. Em outras palavras, a fabricante SABE os pontos fracos do aparelho ainda na fase de protótipo e ela ESCOLHE se deve lançá-lo ou refazê-lo. A Apple sabia que o iPhone 4 tinha problemas de recepção e sabia que o iPhone 4/4S era um aparelho frágil, mas ela OPTOU por lançá-los mesmo assim. Da mesma forma, a Samsung OPTOU por lançar um aparelho que pode quebrar se cair de uma altura de um metro e meio. A probabilidade de falência dos materiais é uma das variáveis que compõem o impacto de um produto sobre a percepção da qualidade (para saber mais, procure sobre "teoria dos jogos") e grandes empresas como Apple e Samsung possuem especialistas dedicados a decidirem se compensa (financeiramente, claro) lançar o produto ou não. Pessoalmente, acho lamentável que um aparelho de 600 dólares/2100 reais possua um design tão frágil, mas não impactaria na minha decisão porque sou muito cuidadoso. Por outro lado, a resistência do iPhone 5 talvez seja a melhor novidade no aparelho, já que o resto foi bem medíocre. Caso alguém esteja interessado, recomendo esse excelente artigo do CNET: http://reviews.cnet.com/8301-12261_7-20119031-10356022/nokia-testing-labs-breaking-phones-to-fix-them/
Ibrahim Cássio
Bom mesmo era o meu antigo Nokia 5000, que caia no chão, se desmontava inteiro e era só remontar e estava novo. Quatro anos com ele, uma queda por semana, e quando troquei ainda estava intacto.
Edmilson
Nenhum deles ganha da resistência do meu P500, isso já caiu, já foi chutado, ja foi sentado(ui!), já rolou, já foi arremessado na parede quando sacudi almofadas/lençóis. Quero ver eles sobreviverem a isso.
thiagosaboya86
Muito relativo o teste como já disseram, depende de como cara Smartphone caiu e tal, não dá para saber nada com um teste desses.
mlhz
o teste não prova nada. mas o engraçado é cara do mané quando o iphone não quebrou; e mais ainda as pessoas em volta olhando o idiota jogar o celular no chão.
Exibir mais comentários